Combate a perseguição religiosa nos EUA

0
49

Câmara dos deputados dos EUA aprova projeto para defender a liberdade religiosa das minorias na Ásia Central e Oriente Médio

Câmara dos Deputados EUAA perseguição religiosa em países da área do planeta que corresponde a Ásia Central e o Oriente Médio está num momento crítico, o qual segundo especialista, principalmente nas regiões onde predomina os muçulmanos o cenário de terror é grande e pode levar a erradicação dos cristãos nesta região.

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou por maioria esmagadora de 400 votos contra 22, uma medida para criar a figura de um enviado especial para a Ásia Central e o Oriente Médio, para acompanhar e defender a liberdade religiosa das minorias nesta parte do planeta.

O enviado especial teria a capacidade e a missão de desenvolver opções políticas para garantir uma proteção adequada às comunidades religiosas minoritárias.

Com isso buscar a liberdade religiosa e acabar com a discriminação e perseguição, através do governo dos EUA e em casos mais específicos buscar ajuda da comunidade mundial para resolver o problema, disse Serles advogado jurídico.

Isso se dá porque em várias partes do mundo, onde existe uma maioria muçulmana e as minorias religiosas estão sofrendo e enfrentando um reinado de terror. Principalmente na área da Ásia Central e o Oriente Médio a perseguição se tornou terrível, levando a morte milhares de cristãos e religiosos que não confessam a fé islâmica, e é nesse cenário que especialistas estão prevendo que os não muçulmanos e os muçulmanos convertidos ao cristianismo e outras religiões poderão ser dizimados desta região.

As alas Democrata e Republicana dos EUA deram o maior apoio à iniciativa do Republicano Frank Wolf, e da Democrata Anna Eshoo que foram os principais impulsionadores desta iniciativa e legislação.

O Republicano Wolf afirmou que é de extrema necessidade a existência deste enviado especial para os casos frequentes e contínuos de ataques a liberdade religiosa nessas regiões.

Por causa dos exemplos por ele citado dos da fé Baha’i no Paquistão perseguidos, o caso de muçulmanos convertidos no Irã, como o caso do pastor Saeed Abedini, que está agonizando na prisão por sua opção religiosa, e mesmo sendo um iraniano com cidadania americana continua no carcere. Como também os casos de perseguição aos cristão no Egito, Síria, Iraque, Irã e Paquistão.

Há dois anos este mesmo projeto foi encaminhado, depois de aprovado na Câmara dos Deputados americano e foi barrado antes de chegar a votação no Senado, porque na ocasião a oposição dobrou os esforços e conseguiu inviabilizar o projeto. Mas hoje diante da atual e a triste situação desumana e sangrenta perseguição religiosa as minorias nesta e em outras partes do mundo, faz se necessário a intervenção de alguma forma para parar este genocídio.

Fonte: CPADNews

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome