Cristãos em Brunei: como eles vivem
Há muita pressão das autoridades sob a Igreja Perseguida neste país (Foto: Reprodução)

Representando 10% da população de Brunei, cristãos não podem falar sobre a fé e se sentem pressionados pela sociedade

No geral, a igreja em Brunei, 25º país na atual Lista Mundial da Perseguição, cresce lentamente.  Com a decisão do sultão de introduzir a lei islâmica no país, muitos jovens cristãos consideram a possibilidade de abandonar a nação. Os cristãos estrangeiros também estão pensando nessa opção. O que ocorre é que, em 2014, aconteceu a primeira fase da implantação da sharia, ocasião em que incluíram os castigos corporais, como o açoitamento e o apedrejamento, além da proibição de pregar o evangelho em terras bruneanas.

Implantação da Sharia

No segundo semestre de 2016, a segunda fase da implantação começou, onde a conversão ao cristianismo é considerada uma “forma de adultério”, punível com apedrejamento. A punição para crimes como roubo, por exemplo, é a amputação de membros. Poucas igrejas são reconhecidas oficialmente e o processo de registro é realmente muito complicado, sendo quase impossível obter uma permissão até mesmo para ampliar as estruturas de um templo. Segundo a agência de pesquisa do serviço de inteligência dos Estados Unidos, The World Factbook, os muçulmanos sunitas representam cerca de 79% da população, cristãos 8,7%, e budistas 7,8%.

Leia também: Brunei adota a Sharia a partir de 3 de abril

Os líderes cristãos são carentes de materiais bíblicos que os ajude a lidar com as restrições religiosas. Se reunir com outros cristãos é um desafio perigoso, já que a igreja no país é vigiada constantemente. Todas as escolas, sejam privadas ou públicas, são obrigadas por lei a estudar o islã. Se estudantes cristãos de origem muçulmana são descobertos, eles são isolados e forçados a negar a fé. A Portas Abertas tem servido os cristãos bruneanos com apoio em oração e projetos de advocacia e de sensibilização a respeito da perseguição.

Desafios dos jovens cristãos em Brunei

Brunei é um país muito pequeno no Sudeste Asiático. É o lar de 54.800 cristãos, o que representa um pouco mais de 10% da população majoritariamente muçulmana. Está na 26ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2018. As igrejas crescem num ritmo lento, em parte devido à pressão que enfrentam por parte das autoridades.

O departamento de pesquisas da Portas Abertas levantou o perfil de 27 jovens bruneanos cristãos de cinco igrejas diferentes. Quando perguntados sobre os desafios que enfrentam como jovens em sua nação, 62% responderam que o maior desafio é a restrição de não poder expressar a fé abertamente. Os outros 38% disseram que é a pressão da sociedade, para se converter ao islamismo e para se encaixar na sociedade.

O Brunei aprovou a sharia (conjunto de leis islâmicas), o que torna ilegal para os cristãos compartilhar o evangelho com outros. Em contrapartida, o país encoraja e oferece todo tipo de ajuda aos que se convertem ao islã. Ore para que Deus dê aos jovens cristãos perseguidos sabedoria para lidar com esses desafios. Clame também para que Deus levante líderes de jovens que possam ajudá-los a se fortalecer na fé e orientá-los a fazer a diferença na sociedade.

Fonte: Portas Abertas
_____________________________________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui