O que a ciência diz sobre a crença de que o vinho tinto faz bem à saúde

0
22

O que a ciência diz sobre a crença de que o vinho tinto faz bem à saúde
Pesquisas científicas não conseguiram comprovar benefícios atribuídos ao vinho tinto

 

Os cientistas vêm apresentando cada vez mais evidências de que o álcool, mesmo em pequenas quantidades, faz mal à saúde. Mas o vinho tinto seria uma exceção, podendo até fazer bem, dizem alguns. Será que isso é verdade?

O vinho tinto faz parte da Dieta Mediterrânea, inspirada originalmente nos padrões de alimentação da Grécia, do sul da Itália, da Espanha e Portugal.

Baseada no consumo de alimentos frescos e naturais como azeite, frutas, legumes, cereais, leite e queijo, ela seria a responsável pela longevidade das populações daquelas regiões.

Nessa dieta também é necessário evitar produtos industrializados como salsicha e comida congelada.

A Dieta Mediterrânea ajudaria ainda a mudar o estilo de vida de quem a adota. Mas será que existe mais alguma coisa no vinho tinto que possa contribuir para a longevidade e a saúde?

O programa Trust me I’m a Doctor (“Confie em mim, sou médico”), da BBC, foi investigar o caso.

Polifenóis

O que a ciência diz sobre a crença de que o vinho tinto faz bem à saúde
O vinho tinto é rico em resveratrol, substância que poderia retardar o envelhecimento, combater o câncer e a obesidade

Embora os cientistas concordem que o consumo moderado de vinho tinto pode ajudar a proteger o coração, reduzir o colesterol “ruim” e prevenir o entupimento das veias e artérias, há divergências sobre o que estaria por trás desses benefícios.

O vinho tinto é feito com uvas que contêm micronutrientes conhecidos como polifenóis. Eles atuam como antioxidantes e podem proteger o organismo contra algumas doenças e ainda combater o envelhecimento.

Os polifenóis protegem tanto as células quanto outras substâncias químicas naturais do corpo contra os danos causados pelos radicais livres.

Há mais de 8 mil polifenóis identificados em bebidas como chá e vinho e em alimentos como chocolates, frutas, legumes e azeite extra-virgem, entre outros.

Um destes polifenóis é o resveratrol, um dos mais estudados pelos cientistas. Sua existência já era conhecida no começo do século 20, mas foi somente a partir dos anos 1990 que a substância foi descoberta no vinho tinto.

Saudado durante muitos anos como uma espécie de substância milagrosa, o resveratrol é um composto que, segundo os pesquisadores, poderia retardar o envelhecimento e combater o câncer e a obesidade.

A maioria dos estudos testou o resveratrol em cobaias de laboratório como peixes, camundongos, ratos e até em leveduras.

Até o momento, os testes em camundongos revelaram resultados animadores, mas ainda não foram encontradas evidências sobre a eficácia em humanos.

Benefício duvidoso

O que a ciência diz sobre a crença de que o vinho tinto faz bem à saúde
Alguns especialistas acreditam que a associação do vinho tinto com a Dieta Mediterrânea teria sido responsável pela sua fama de bebida saudável

Na maior parte das vezes, os cientistas deram às cobaias grandes concentrações de resveratrol – muito maiores do que as contidas em uma taça média de vinho tinto.

Na Universidade de Leicester, na Inglaterra, testes com ratos indicaram que dois copos de vinho por dia podem reduzir a incidência de tumores nos intestinos – e o cientistas vêm estudando maneiras de desenvolver o resveratrol como composto isolado, para ser tomado individualmente como uma droga para prevenir o câncer.

Na verdade, teríamos que beber muitas garrafas de vinho tinto por dia para consumirmos uma dose correspondente a um suplemento de resveratrol.

E claro que, se fizermos isso, qualquer pequeno benefício do resveratrol será anulado pela quantidade de algo ingerida.

Há quem diga que a fama de ser bom para a saúde atribuída ao vinho tinto se deve, na verdade, ao fato de a bebida fazer parte da Dieta Mediterrânea.

Nesse tipo de alimentação, ele é consumido moderadamente, acompanhando uma boa quantidade de alimentos frescos ricos em nutrientes como frutas, vegetais, peixes e nozes.

Possivelmente, a combinação de todos estes elementos é que resulta em uma vida mais longa e saudável.

De acordo com o Cancer Research UK, o centro britânico de pesquisas para o câncer, é um erro tomar vinho tinto achando que isso fará bem à saúde.

A instituição lembra que, mesmo em quantidades moderadas, o álcool aumenta o risco de vários tipos de câncer.

Estima-se que esta seja a causa de 12,5 mil casos de câncer registrados todos os anos na Grã-Bretanha.

Fonte: BBC Brasil

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome

5 + treze =