Ausência de Jesus
Homem, pensativo, triste e solitário. | Foto: Fotorech / Pixabay

Tantas coisas estão acontecendo ao nosso redor… Quantos estragos podem acontecer em nossas vidas quando Jesus não está presente!

Por Rosilene A. Pontes
“Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor se tu estivesses aqui meu irmão não teria morrido” (João 11.21).

Jesus sempre esteve presente na vida de Marta, Maria e de seu irmão Lázaro, todas as vezes que passava por Betânia por certo os visitava. E Marta era aquela que se preocupava em servir Jesus da melhor maneira possível. Preparando os alimentos, arrumando a casa e etc… Até mesmo estando Jesus na casa de outras pessoas vizinhas suas como Simão o leproso, por exemplo. Marta se prontificava a servir a mesa, pois queria ela também estar presente onde Jesus estava (Jo 12.2).

A Bíblia registra no capítulo 11, do evangelho de João, que estando Jesus ausente, Lázaro ficou enfermo e suas irmãs, Marta e Maria mandaram avisá-lo o mais rápido possível, dizendo: “Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas. E Jesus, ouvindo isto, disse: Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela. (…) Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava” (João 11.3,4,6). E, a ausência de Jesus resultou na morte de Lázaro.

Quantos estragos podem acontecer em nossas vidas quando Jesus não está presente!

- Publicidade -

Às vezes vemos lares se desmoronando, filhos se distanciando da presença do Senhor, e muitos se perguntam:

– o que esta acontecendo?
– Por que meu marido ou minha esposa não me compreende?
– Por que está tudo dando errado?
– etc.

Tantas coisas estão acontecendo ao nosso redor. E muitas vezes, como resultado da ausência de Cristo.

Este é um fato que precisa ser reconhecido. Abra os seus olhos espirituais, observe se Jesus está ou não presente no seu lar, na sua vida, no seu dia a dia…

A ausência de Jesus produz solidão (Lc 15.11-22)

Veja o exemplo do filho pródigo, em uma parábola do capítulo 15 de Lucas. Enquanto ele tinha dinheiro, também tinha “amigos”, quando, porém, todos os seus bens foram desperdiçados dissolutamente e já não tendo mais nada todos se foram, o abandonaram deixando-o na mais completa solidão. E diz a Bíblia que tendo ele fome, desejou comer o que os porcos comiam, mais nem isso lhe davam. Foi necessário ele cair em si e reconhecer que estava errado, que havia se ausentado da casa de seu pai. Lembrou-se que até mesmo os empregados do seu pai tinham abundância de pão, e ele, ao contrário, estava em um lugar distante e perecia de fome. Arrependido ele voltou. Reconhecendo o seu pecado, confessou a culpa, recebeu perdão de seu amoroso pai, ganhou roupas novas, anel, e sandálias nos pés. Aleluia!

Muitas pessoas dizem assim: Como me sinto só! – Se é o seu caso, pare um instante e olhe à sua volta! Verifique se Cristo está presente em sua vida! Em Sl 68.6, diz o salmista que Deus faz o solitário viver em família. Então, não é a vontade de Deus que você seja uma pessoa solitária! Atenda agora mesmo aquele que bate à sua porta, sim, à porta do teu coração! Ouça a sua voz, deixe Ele entrar em sua casa. Ele quer ter comunhão com você (Ap 3.20).

A ausência de Jesus produz debilidade (Mc 14.66-72)

Jesus foi preso, seus discípulos o deixaram e fugiram. Momentos antes, Jesus havia dito a Pedro que antes que o galo cantasse duas vezes ele o negaria por três vezes, mas parece que ele se esqueceu do que disse a Jesus, que se fosse preciso morreria por Ele e que não o negaria. Mas, no momento em que Jesus era levado pelos soldados, Pedro o seguia de longe, tornou-se debilitado, enfraquecido, incapaz de estar ao lado dEle.

Quando a criada do sumo sacerdote o reconheceu e disse: “Tu também estavas com Jesus o nazareno”, ele negou dizendo: “Não o conheço”; e o galo cantou a primeira vez. Novamente a criada o vê e diz a todos que ali estavam: “este é um dos tais”. Pedro nega novamente, mas, enfim todos o reconhecem e dizem: “Verdadeiramente tu és um deles, porque és também galileu, e tua fala é semelhante”. Pedro jura e diz: “Não conheço este homem de quem falais”. E o galo cantou pela terceira vez. Pedro, então, se lembrou das palavras de Jesus, e retirando se dali chorou amargamente.

Foi por fraqueza, e não por iniquidade, que Pedro negou a Jesus, pois, nunca cessara de amar o seu Mestre e de crer nEle.

Avalie a si mesmo: quantas vezes tem negado a presença do Senhor no seu dia a dia? Quantas vezes têm deixado a fraqueza superar o poder dEle que há sobre você? Pedro negou a Jesus, mas, se arrependeu e teve a oportunidade de declarar seu amor por Ele (Jo 21.15). Aproveite a oportunidade e faça como ele, se porventura o tenha negado: reconheça sua fraqueza e debilidade, aproxime-se do Senhor que é forte e que nEle você pode tudo (Fp 4.13).

A ausência de Jesus produz tristeza (Lc 7.11-17)

Este cenário apresenta a história de uma mulher viúva que acabara de perder seu único filho. Imagine a tristeza daquela mulher. A Bíblia não faz referência do momento exato da morte do rapaz e, portanto, não sabemos há quanto tempo estava aquela mãe pranteando o único filho morto, se por uma noite ou mais. Porém, uma coisa é certa, Jesus não estava presente quando o fato ocorreu.

Quantas vezes passamos por situações semelhantes? Contudo, a Bíblia nos diz, em Sl 30.5b, que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer”.

E a manhã de alegria daquela mulher chegou! Sim, chegou com a presença de Jesus. Chegando Jesus perto da porta da cidade de Naim, presenciou aquela triste cena, e o seu coração foi movido de íntima compaixão. Então, ele disse à mulher: “Não chores”. Jesus interrompe o cortejo, toca o esquife e ordena ao jovem morto: “Levanta-te!”.

Na presença de Jesus até a tristeza salta de alegria (Jó 41.22). Por que, então, viver mergulhado na tristeza? Jesus é a nossa alegria! Aleluia!

A ausência de Jesus produz esterilidade (Jo 15.1-16)

Jesus declara: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador”. Se sabemos que não podemos produzir frutos se não estivermos ligados no Senhor Jesus, por que, então, nos ausentamos dEle? Por que vamos deixar de produzir bons frutos?

Jesus nos diz: “Sem mim nada podeis fazer”. O desejo do Senhor é de nos limpar a cada dia para que possamos produzir mais e mais frutos para a sua glória. Ele nos escolheu e nos nomeou para dar frutos e frutos que permaneçam, afim de que tudo quanto pedirmos no nome de Jesus, o Pai nos conceda.

Quer produzir bons frutos? Permaneça ligado na videira verdadeira, que é Cristo, pois, o ramo por si mesmo não pode produz, mas quando está ligado à árvore produz frutos em abundância.

A ausência de Jesus produz morte (Mt 27.3,4,5)

Judas, um dos doze discípulos, presenciou muitos milagres feito por Jesus, e mesmo assim não se converteu. Teve as mesmas oportunidades que os demais discípulos, mas, não soube aproveitá-las. Vendeu o Mestre por trinta moedas de prata, sentiu remorso pelo que fez quando viu que Jesus fora condenado. Tentou desesperadamente devolver as moedas aos principais sacerdotes e aos anciãos alegando pecado por trair sangue inocente. Eles, porém, responderam: “que nos importa? Isso é contigo!” Judas atirou as moedas de prata para o templo, retirou-se dali e foi enforcar-se.

Esta cena revela o que resultou a ausência de Jesus na vida de Judas. Ele até voltou pelo caminho do seu erro, à origem tentando esboçar arrependimento, mas, já vencido não teve condições de procurar o dono do perdão. Em I Jo 1.9 está escrito: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecado e nos purificar de toda injustiça”.

Há uma exigência para se lembrar da posição de onde se precipitou (Ap 2.5). É imprescindível voltar a Jesus, confessando culpas e pecados. Em vez disso, muitos tem preferido enforcar a vida espiritual. Eis a oportunidade neste momento! Não faça como Judas, mas confesse e deixe, receba perdão e viva! Ouça a voz de Jesus te dizendo: “perdoados estão os teus pecados, vá e não peques mais” (Lc 5.20; Jo 8.11).

Conclusão

Para finalizar, volto ao nosso texto inicial. Lázaro morreu. Jesus foi ao encontro de Marta e Maria. Quando soube, Marta se apressou para encontrar-se com Ele. Muitos criticam Marta por estar sempre preocupada com os afazeres de casa, mas no momento de tristeza foi ela ao encontro de Jesus, e Maria, porém, ficou assentada em casa (Jo 11.20).

Marta era crente, ela depositava confiança no poder de Jesus, por isso ela disse: “Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. (…) Mas agora sei que tudo quanto pedirdes a Deus, Deus to concederá”.

Talvez, antes não tivesse como demonstrar sua grande fé em Jesus, entretanto, chegado o momento e ela o fez. Marta chamou Maria em segredo dizendo: “O Mestre está aqui e te chama”. Maria levantou-se logo e foi encontrar-se com o Senhor. Os judeus pensando que ela fosse ao sepulcro para chorar, seguiram-na. Mas, agora era diferente, Jesus estava presente, não havia motivos para chorar de tristeza. O dono da vida acabara de chegar. Jesus mandou que retirassem a pedra e gritou para a morte ouvir: “LAZÁRO, VEM PARA FORA!”

O defunto saiu! Oh! Glória! Saiu com vida, para que o nome do Senhor fosse glorificado. E a tristeza de Marta e Maria foi dissipada, agora era só alegria.

Que Deus te abençoe.


DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
Se encontrou algum erro, ou deseja sugerir uma pauta, falar conosco. Clique aqui!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui