Vivendo o Fervor Espitual

Escola Dominical – Comentário de apoio da Lição 9, do 1º trimestre de 2021 – Vivendo o Fervor Espiritual – O Verdadeiro Pentecostalismo.

Aniel Ventura

Ao estudar o tema “Vivendo o fervor espiritual”, observamos o apóstolo Paulo incentivando aos crentes a administrarem cuidadosamente o tempo, aproveitando as oportunidades para fazer o bem (Gl 6.10). Assim devemos utilizar o tempo como um recurso útil, da forma como um senhor faz com o seu servo. Deus não aprova o trabalho compulsivo, ele nos orienta a trabalhar e descansar. Não temos nas Escrituras uma desculpa para negligenciar as nossas necessidades físicas ou da nossa família. Entretanto devemos aproveitar cada oportunidade para atrair as pessoas das trevas para a luz. Porque os dias são maus, assim escreveu Paulo. Ele trouxe à consciência o senso de urgência, por causa da propagação da iniquidade e do mal que é sempre crescente no mundo.

I – A IMPORTÂNCIA DA DEVOÇÃO PELA PALAVRA E ORAÇÃO

Nem todos conhecem o poder da oração, através dela podemos alcançar grandes vitórias. Todos os que oram e confiam a Deus os seus problemas de difícil solução, são recompensados pelo Todo-Poderoso. Muitos desconhecem o quanto é bom orar, e aprender que tudo quanto pedimos ao Senhor, com fé, mediante sua vontade, se recebe (Mt 7.7,8).

- Publicidade -

Enoque, quando estava com 65 anos, passou a ter comunhão com Deus, através da oração. Com esta prática, cada dia ele se aproximava mais do seu Criador, entretanto, passados trezentos anos, não foi mais achado, pois o Senhor o levou para si (Gn 5.21-24). O Espírito Santo nos inspira nas palavras ditas em cada oração que fazemos, até mesmo com gemidos inexprimíveis e nos leva à comunhão com Deus (Rm 8.26).

“Sofia” (gr. Σοφία) significa “saber”; é o sufixo da palavra filosofia (gr. Φιλοσοφία), porém a verdadeira sabedoria vem de Deus, assim como Salomão pediu e Deus o concedeu. Se somos pessoas realmente sábias, e desejamos agradar a Deus, acolheremos bem a repreensão e a crítica. A admoestação da parte de um amigo, de um membro da família, ou do pastor da igreja, são alguns dos meios que Deus usa para moldar nosso caráter segundo a sua santa vontade (2 Tm 4.2; Tt 2.15; Ap 3.19).

Os verdadeiros cristãos não devem desperdiçar o seu tempo como insensatos. Temos um trabalho a fazer, e as nossas vidas devem refletir nossa motivação e objetivos, que é servir ao nosso Senhor. Não devemos ser tolos e fúteis, mas, entender qual seja a vontade Deus. E a vontade de Deus é que sejamos santos (1 Ts 4.3). Como servos de Deus, devemos fazer tudo o que pudermos em favor do cumprimento da sua vontade para conosco (Rm 12.2).

II – A IMPORTÂNCIA EM MANTER-SE “CHEIO DO ESPÍRITO”

Paulo fez um contraste entre o “antes” e o “depois” na vida dos crentes. Embriagar-se com vinho estava associado com o antigo modo de vida mundanos deles, terminando, por fim, em contenda. Isto não pode ter lugar na vida dos crentes, além do mais, não precisamos nos embriagar com álcool, pois podemos nos encher do Espírito Santo, deixando que Ele nos controle, assim seremos felizes e santos. Paulo comparou a atitude de se embriagar com vinho, que faz com que uma pessoa desfrute de um êxtase temporário, com o ser cheio do Espírito Santo, que produz uma alegria permanente.

O foco das palavras de Paulo aqui não é a proibição contra a embriaguez, pois os crentes já haviam entendido que não deveriam se embriagar, mas convencê-los a encher-se do Espírito continuamente e a viverem nele. Todo mundo percebe quando uma pessoa está embriagada, não podendo assim ocultar suas ações. De maneira semelhante, é o cristão sob o controle do Espírito. Que as nossas palavras e ações mostram, sem qualquer sombra de dúvidas, que estamos cheios da presença do Espírito Santo de Deus (Ef 6.18).

A vida espiritual do filho de Deus deve experimentar a renovação constante (Ef 3.14; Rm 12.2), mediante enchimentos repetidos do Espírito Santo. O cristão deve buscar ser batizado no Espírito Santo após a conversão (At 1.5; 2.4) e renovar-se no Espírito repetidas vezes, para adoração a Deus, serviço e testemunho (At 1.8; 4.31- 33).

III – VIGILANTES CONTRA A FRIEZA ESPIRITUAL

Segundo Erdman, a frase cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, sugere um sentimento de louvor no coração. Ele escreve: “A música silenciosa do coração alegre é para acompanhar o louvor dos lábios ungidos”. A tônica central da alegria “externa” e “interna” é o agradecimento. Cristo mediou a misericórdia e a graça para os homens; desta forma, ele oferece em sua obra reconciliadora acesso ao Pai, a quem expressamos gratidão (Jo 14.6).

A gratidão deveria ser uma característica mais presente na vida cristã, em todas as circunstâncias; não é dar graças por tudo, mas em tudo. Paulo diz que esta é a vontade de Deus. Temos um exemplo na pessoa de Jó, quando perdeu seus bens, seus filhos e sua saúde. Ele louvou a Deus, a despeito de suas tragédias pessoais, e não por causa delas. Nada revela de forma mais poderosa uma caminhada com Deus do que uma vida de contínua gratidão. “Todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28).

“Sujeitai-vos a Deus” (Tg 4.7). Devemos obedecer aos dois mandamentos desse versículo na ordem: primeiro, devemos sujeitar-nos a Deus, abandonando nosso orgulho egoísta (vv.1-6). Sujeitar-se ao Senhor também implica revestir-se de toda a armadura de Deus, uma imagem que inclui tudo, desde depositarmos nossa fé nele a mergulharmos na verdade da Palavra de Deus (Ef 6.11-18). Segundo, devemos resistir a qualquer tentação que o diabo lançar em nosso caminho. Então o maligno não terá outra escolha: ele fugirá, pois pertencemos ao exército do Deus vivo.

CONCLUSÃO

A expressão, “Enchei-vos do Espírito” (gr. πληρησ – Pleres), significa, no grego, de “ser enchido repetidas vezes”. A vida espiritual do cristão deve experimentar uma renovação constante (Rm 12.2), através de enchimentos repetidos do Espírito Santo no decorrer de sua caminhada. Os crentes eram encorajados a cantar e a salmodiar hinos de louvores a Deus. Isto cria um contraste entre a música dos cristãos, cantada coletivamente a Deus, e a música dos não-crentes, feita puramente para entretenimento ou autoelogio. Entretanto o foco principal da vida do cristão é dar sempre graças a Deus por tudo, ganhando tempo, para que o nome do Senhor Jesus seja glorificado (Sl 150.6).

Bibliografia
– Comentário Bíblico Warren W. Wiersbe – Novo Testamento – Vol.II – Geográfica

– Comentário Bíblico do Novo Testamento Aplicação Pessoal – Vol.2 – CPAD
– Léxico Analítico Grego do Novo Testamento – William D. Mounce – Vida Nova
– Comentário Bíblico Pentecostal – Novo Testamento – CPAD
– Bíblia de Estudo Pentecostal – CPAD

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui