Violência contra cristãos cresce no mundo todo
Mais de 9 mil igrejas foram atacadas, depredadas ou incendiadas em 2019. Na foto, igreja cristã incendiada no Níger | Foto: Portas Abertas

Pesquisa sobre perseguição religiosa revela que 2.983 cristãos foram mortos por sua fé em 2019

Um dos dados mais alarmantes pesquisados pela Portas Abertas para a formulação da Lista Mundial da Perseguição 2020 é o número de cristãos mortos, presos, violentados, pressionados no mundo.

Foram contados mais de 260 milhões de cristãos que enfrentam algum tipo de hostilidade por professarem sua fé em Jesus.

A pesquisa foi realizada no período de 1º de novembro de 2018 a 31 de outubro de 2019.

- Publicidade -

Ao todo, 2.983 cristãos foram mortos por sua fé, nos países pesquisados. No ano passado, esse número passou dos 4.300. A razão para a queda é a diminuição do número oficial de cristãos mortos na Nigéria. Isso se deve ao fato de pastores de cabra fulani, muçulmanos radicais, terem mudado parcialmente de tática. Em vez de se concentrarem em invadir propriedades e comunidades cristãs, eles agora colocam mais ênfase em sequestros e assassinatos em massa. Apesar disso, o número de cristãos mortos em outros países aumentou, o que significa que a violência contra cristãos no mundo tem aumentado a cada ano.

Grande parte disso se deve a alguns fatores, como:

O número de igrejas atacadas de diferentes formas aumentou consideravelmente, de 1.847 em 2019 para 9.488 este ano. Isso está especialmente relacionado à ação do regime chinês contra a igreja, onde o número de igrejas violadas, direta ou indiretamente, no período do relatório de 2020 foi de pelo menos 5.576. Outros países também viram um aumento de ataques nas igrejas, mas vale ressaltar que essa é uma estimativa conservadora.

Grande parte do número de cristãos mortos e igrejas atacadas estão em países da África Subsaariana. O mesmo se aplica a sequestros, abuso físico ou mental, casas ou outras propriedades atacadas e lojas ou negócios atacados. Isso ocorre porque a violência na África Subsaariana está frequentemente ligada a grupos extremistas islâmicos que visam criar instabilidade. Isso também acontece pelos muitos governos enfraquecidos na região.

Para os cristãos que são violentados ou assediados sexualmente, os números apresentados devem ser considerados apenas a ponta do iceberg. Cabe ressaltar que lideram esta lista quatro países da Península Arábica (Arábia Saudita, Catar, Kuwait e Emirados Árabes Unidos). Isso é especialmente devido à situação das empregadas domésticas africanas e asiáticas em famílias árabes que são vulneráveis a assédio ou abuso sexual. Há poucos dados disponíveis, porque esse tipo de violência ocorre normalmente a portas fechadas.             

Números da violência – LMP 2020

  • Cristãos mortos por razões religiosas – 2.983
  • Igrejas e outros edifícios cristãos atacados – 9.488
  • Cristãos detidos sem julgamento, presos, sentenciados e presos – 3.711
  • Cristãos sequestrados – 1.052
  • Cristãos violentados ou assediados sexualmente – 8.537
  • Casamentos forçados de cristãos com não cristãos – 630
  • Cristãos que sofreram abuso físico ou mental – 14.645
  • Casas de cristãos ou outras propriedades atacadas – 3.315
  • Lojas ou negócios de cristãos atacados – 1.979
Violência contra cristãos cresce no mundo todo
Números comprovam que a intolerância religiosa tem aumentado no mundo | Portas Abertas

Sobre a LMP

Há mais de 25 anos, a Portas Abertas – organização que apoia o cristão perseguidos em mais de 70 países – lança uma pesquisa inédita e com dados precisos e metodologia única. O resultado da pesquisa é a Lista Mundial da Perseguição, que classifica os 50 países que mais perseguem e hostilizam cristãos no mundo. É do resultado dessa pesquisa que também saem as decisões de quais e como apoiar os cristãos em seu país.

Fonte: Potas Abertas

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
.
Seara News 25 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui