Verão, carnaval, férias... e a vida de santidade

Por Ronaldo Ayres Fontes

Olha o carnaval ai gente!!!!

”Mas eles gritavam dizendo: crucifica-o, crucifica-o” (Lucas 23.21). Afinal, porque pessoas que seguiam Jesus Cristo decidiram crucifica-lo?

Aparentemente, podemos notar que os primeiros contatos de Jesus com a multidão propiciava algum tipo de benefício. Os mais comuns eram: A cura física, (desde uma simples febre à lepra, a mais severa da época); também a ressurreição de mortos, perdão de pecados, valorização de indivíduos, entre outros.

Tudo era agradável aos olhos humanos. Quem não amaria um homem que defendesse uma mulher da morte por apedrejamento? Ou que alimentasse uma multidão com pão e peixe, sem que ninguém pagasse um centavo pelo lanche servido?

No entanto, em um ‘segundo estágio’, encontramos Jesus confrontando as pessoas a viverem dignamente diante de Deus Pai, em santidade e logicamente sem pecados.

Isso foi um estopim. Explodiu a ira nos corações. Parece que poucos estavam interessados em viver amparados pelo favor de Deus, tendo que abandonar as práticas do mundo. Para outros tantos, negociar com Jesus era um prejuízo muito grande, então preferiram ficar com suas mazelas, doenças, morte, perdas, acusações, fome, em detrimento de uma vida de paz e sossego.

Você que se sente amparado, abençoado e protegido por Jesus Cristo, não negligencie o segundo estágio.

Nestes próximos dias seremos mais confrontados a termos uma vida de santidade. Verão, carnaval, férias, parece ser um período onde a multidão olha pra Jesus, e prefere gritar: ”crucifica-o, crucifica-o”. Só porque não aceitam a proposta dele: Uma vida de santidade.

”Em todo tempo, sejam alvos os teus vestidos…” (Eclesiastes 9.8a).

Ronaldo Ayres Fontes, pastor da Igreja Batista da Barra do Jucu, Vila Velha, ESRonaldo Ayres Fontes
É pastor da Igreja Evangélica Batista na Barra do Jucú
em Vila Velha-ES

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui