Traficante morre e a se diz consternada

Por Robson Aguiar

A morte do brasileiro condenado por tráfico na Indonésia está causando grande repercussão no Brasil e em alguns outros países.

A presidenta brasileira se diz consternada com o fato, pois, havia enviado documento, pedindo ao governo indonésio para não executar o meliante. O pedido não foi atendido, e o traficante foi executado.

Como represaria, Dilma solicitou ao embaixador brasileiro naquele País que retornasse ao Brasil, e o mesmo parece ter feito a Holanda. Também Rousseff enviou carta a família do traficante externando suas condolências.

Para os que são contrários a pena de morte, pareceu uma atitude nobre da governanta tupiniquim, afinal ela estava defendendo uma vida.

Mas, com o episódio, alguns pontos estão sendo levantados e debatidos, principalmente na internet, onde não há tantas máscaras e manipulações.

Primeiro ponto; Quem era o brasileiro condenado? Um traficante de drogas, que mesmo sabendo das leis da Indonésia, resolveu entrar no país com 13 kilos de cocaína. A intenção do rapaz era sair com 10.000 dólares, para farrear à vontade, enquanto sua droga estaria destruindo centenas de vidas naquele país.

Segundo Lugar; diz respeito a pena aplicada. Cada país possui suas leis, e na maioria dos países orientais e também em alguns estados dos USA, é comum essa punição. A diferença está no tipo de crime praticado. Vale ressaltar, que serviços forçados e prisão perpétua também são punições observadas por algumas nações.

Em terceiro lugar, nos desperta o interesse da presidenta pela não execução do rapaz. Seria um ato eleitoreiro, de quem vendo a repercussão do caso, resolveu tirar proveito? Ou, realmente, Dilma quis salvar o prisioneiro, e ficou indignada em não ter sido atendida? Será que ela agora está levantando a bandeira da defesa de criminosos? Agiu certo em trazer de volta o Embaixador Brasileiro naquele país?

Ainda levantamos mais uma questão, o que a Presidenta tem feito em relação aos policiais mortos todos os anos, vítimas de “traficantes” em todo o país?

Em particular, sou contra a pena de morte, mas, por que acho pouco. Para mim, a melhor punição é o serviço forçado, onde o bandido indenizaria com o suor do seu rosto os familiares de suas vítimas, e isso por no mínimo 30 anos, ai sim, na minha ótica haveria justiça, mas, por enquanto, é utopia.

Quanto a Dilma, não fico surpreso com seu desgoverno e suas inversões de valores, pois, a ideologia do seu partido já está fazendo isso há muito tempo. Oxalá, ela tivesse essa mesma preocupação e postura com os que combatem o crime e não com os que praticam.

Robson Aguiar

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui