Tempo de coisas novas

0
4176

Tempo de coisas novas

“Eis que farei uma coisa nova, e, agora sairá à luz; porventura não a sabereis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo” (Is 43.19).

Por Rosilene A. Pontes

Vivemos em um mundo tão conturbado, cheio de lutas e aflições, às vezes as provas que passamos são tão grandes que não conseguimos visualizar uma saída. Procuramos por todos os lados, mas não vemos uma porta de escape. Por muitas vezes as lágrimas são nosso alimento diário. Ela molha os nossos rostos e parece que se seca quando caem no chão ou cadeiras onde nos ajoelhamos para falar com o nosso Deus, mas na realidade elas são colhidas por um anjo e levadas até a presença do Senhor: “Registra, tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas no teu odre” (Sl 56.8).

Cada lágrima derramada por um crente fiel é altamente estimada por Deus, e preservada na sua memória. Ele assim faz para consolar o crente conforme o seu sofrimento aqui na terra.

O nosso Deus entende cada uma de nossas lágrimas

O Salmo 30.5, nos diz que: “O choro pode persistir uma noite, mas pela manhã irrompe a alegria”. Podemos chorar uma noite inteira, mas pela manhã o Senhor nos proporcionará coisas novas, pela manhã chegará a nossa resposta, pois Deus conhece todas as nossas necessidades.

Quando Deus falou com Jeremias: “Clamas a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece” (Jr 33.3), Ele estava dizendo que queria lhe mostrar coisas novas, coisas que o profeta não imaginava, eram coisas que mudariam sua vida e de toda sua nação. A partir do verso 6, Deus começa a relatar para Jeremias quais seriam as coisas novas que Ele faria. Enumerei 9 delas para meditar:

1 – Trarei restauração;
2 – Curarei o meu povo;
3 – Darei prosperidade;
4 – Darei segurança;
5 – Mudarei a sorte de Judá e Israel;
6 – Reconstruirei como antigamente;
7 – Eu os purificarei de todo o pecado que cometeram;
8 – Eu os perdoarei de todos os pecados de rebelião; e,
9 – Serão para mim uma fonte de alegria, de louvor e de glória…

Imagino a alegria de Jeremias ao ouvir de Deus estas promessas. Promessas essas que não foram apenas para o povo de Judá e de Israel, são para nós que aqui estamos, e que aguardamos pelo Senhor, que buscamos coisas novas para as nossas vidas, para a nossa família e para nossos familiares.

É TEMPO DE COISAS NOVAS

É Tempo de Vida Nova!

“Uma coisa pedi ao Senhor e a buscarei…” (Sl 27.4). Davi um homem segundo o coração de Deus. Um homem que sempre experimentava algo diferente da parte de Deus em sua vida, mas que ansiava por coisas novas a cada dia. A sua história de vida toma uma grande parte das escrituras sagradas, todos os seus feitos são relatados, tantos os certos como os errados. Mas não vamos julgar seus atos, e sim compartilhar um dos desejos do seu coração; entre os quais o desejo de buscar coisas novas para sua vida.

Neste Salmo Davi relata bem esse desejo: “Uma coisa pedi ao Senhor e a buscarei, que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida…”. Amava o Senhor de tal maneira que desejava estar com ele para sempre, e não apenas por um momento. Não só pediu, mas passou a buscar o objeto do seu pedido.

E você? Está buscando o que pediu ao Senhor com confiança? Ou apenas pediu e ficou parado esperando pela resposta?

O salmista queria uma vida nova na presença de Deus, na verdade ele queria muito mais que isso, ele queria morar todos os dias da sua vida na casa do Senhor para contemplar a sua formosura e aprender no seu templo; ele queria aprender coisas novas todos os dias e aprender de forma pessoal e direta do criador de todas as coisas. Davi sabia que quem tem vida nova com o Senhor, tem a firme garantia de não se importar com as lutas e provações, por causa da confiança de que o Senhor nunca o abandonará. No verso 10 deste mesmo Salmo, ele expressa: “Porque quando meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá”.

Não se desespere! A bondade de Deus lhe está reservada. Você sempre terá vida nova na presença de Deus, através de uma busca contínua. Não deixe que nada e nem ninguém te impeça de experimentar coisas novas todos os dias, porque é tempo de vida nova! Busque essa novidade em Cristo!

É Tempo de Projetos Novos

“E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne” (Ez 36.26).

Projeto é sinônimo de plano, formação da idéia, empreendimento, iniciativa, programação ou propósito. Quando nos mudamos para uma casa nova, queremos que tudo seja diferente, pintura nova, móveis novos, e etc. Com Deus não é diferente, pois, quando nos entregamos a Ele, pedimos para nos dar um coração novo, transformado, regenerado e inspirado em Jesus. E o Senhor nos concede! Ele muda o nosso coração de pedra, duro, mau, perverso que só maquina o mal, com desejos de vingança, magoado, machucado, dilacerado; incapaz de amar, de perdoar e de qualquer outro sentimento puro. Deus arranca esse coração e esse coração morre. E no lugar do coração morto Deus faz bater um coração novo. Quando digo novo, é porque é novo mesmo! O coração que Deus coloca no lugar do coração velho, é um coração amoroso, perdoador, dadivoso, quebrantado. Davi pediu ao Senhor: “Cria em mim, ó Deus um coração puro, e renova em mim um espírito reto” (Sl 51.10). Ele estava convicto de que Deus poderia lhe dá um coração novo!

Falando de projetos novos, está na hora de despejar os antigos moradores da nossa casa espiritual, e permitir que o Senhor faça uma limpeza em nosso interior. Mas, quem são esses moradores que precisam ser despejados? Esses moradores são inquilinos que não pagam aluguel, antes promovem a depredação do nosso patrimônio. Eles não têm sobrenome, mas são velhos conhecidos do homem, atendem pelos respectivos nomes: Ódio, Rancor, Tristeza, Amargura, Sentimentos de inferioridade, Inveja, Desejo de Vingança, Mágoas, Discórdias, e outros mais.

É de suma importância levar a sério a responsabilidade como mordomo da casa onde o Senhor Jesus mora! Olhando de fora, a moradia parece perfeita e organizada, pois a fachada pode se apresentar bela e formosa. Mas de nada adianta se por dentro a casa for desordenada e bagunçada. “Não sabei vós que sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós é santo” (1 Co 3.16, 17).

Mas, de fato, Jesus quer morar em nós? Sim! O Senhor quer dar um novo coração, um espírito novo, mas receber ou não é uma decisão muito pessoal, até porque a mudança se aplica ou ocorre em todas as áreas da vida. Mas ele não nos força a uma mudança, nos oferece uma nova vida com Ele. “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo” (Ap 3.20).

É Tempo de Decisões Novas

“Eis que as primeiras coisas se passaram, e novas coisas eu vos anuncio, e, antes que venham a luz, vo-las faço ouvir” (Is 42.9).

Em todos os dias é preciso tomar decisões. Isso vai de uma decisão simples até outras mais complexas. Há momentos que precisamos tomar decisões sérias, e sabemos que o nosso amanhã depende das decisões de hoje, por isso precisamos ser cautelosos.

A Bíblia narra a história de um moço que tomou uma decisão precipitada (Lc 15.11). Um moço que deliberadamente pediu a seu pai a parte que lhe caberia na herança da família, e após receber, em terras distantes perdeu tudo em um modo de vida dissoluto.

Tudo o que foi conquistado ao longo de anos de labor, por um pai dedicado à sua família, foi desperdiçado, gasto sem nenhum critério ou pudor em coisas ilícitas por um filho imprudente. Percebendo que nada mais lhe restara, se não a miséria, sujeitou-se ao trabalho de “pastor” de porcos. Que decadência! Mas foi nesse serviço que ele caiu em si, quando a fome lhe apertou e desejou comer o que os porcos comiam, e até isso lhe foi negado. “Ele não tinha distinção nem mesmo para comer o alimento dos porcos”.

Lembrou-se, então, de seu velho pai, dos seus muitos empregados e de como eram tratados. Em meio esse constrangimento e às lembranças que repensou a sua decisão. Tomou uma nova decisão: retornar à casa de seu pai e pedir-lhe perdão. E disse: “Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos seus empregados. A seguir, levantou-se e foi para seu pai” (v.18). “Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou” (v.20).

A reação do pai, em vez de tratá-lo como um empregado, conforme o pedido do filho arrependido foi receber o filho e lhe dar tudo novo! Roupas novas, sandálias novas e um anel no dedo, e depois comemorar com uma grande festa.

Decisões novas. Quando tomadas tudo se torna diferente! As coisas velhas ficam no passado, e tudo se faz novo! “Quem está unido com Cristo é uma nova pessoa; acabou-se o que era velho, e já chegou o que é novo” (2 Co 5.17).

Ainda que alguém venha te acusar e lançar em teu rosto, atitudes do seu passado, responda: “PASSADO É PASSADO, EU NÃO VIVO MAIS LÁ.”

E agora? Está disposto a uma decisão nova? Decidir pelo melhor, pelo que te fará bem? Deus te dá essa oportunidade hoje, de tomarmos uma nova decisão!

É Tempo de Experiências Novas

“E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia. E Moisés disse: Agora me virarei para lá, e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima” (Ex 3.2,3).

Experiências novas! Isso é o que o Senhor nosso Deus deseja nos proporcionar. Ele tem coisas tremendas, maravilhosas para nos revelar. “As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam” (1 Co 2.9).

Moisés pastoreava o rebanho de Reuel, seu sogro, quando teve essa experiência nova em sua vida. Viu uma sarça em chamas, mas que não era consumida pelo fogo. A visão deixou Moisés maravilhado. Tão maravilhado que ele deixou o rebanho de lado e se voltou para aquela visão. “Que impressionante! Por que a sarça não se queima? Vou ver isso de perto!” Disse Moisés, perplexo. Enquanto se aproximava para ver, foi surpreendido pelo Senhor que o chamou pelo: Moisés, Moisés! E prontamente, Moisés respondeu: “Eis me aqui”.

Quem estaria disposto a deixar tudo de lado ou até mesmo para trás, para ter uma experiência nova com Deus? Ainda é possível encontrar pessoas dispostas a uma renúncia para fazer a vontade Deus?

Para ter experiências novas, é preciso uma entrega total e sem reservas a Deus. Mas como fazer isso?

– Seguindo o exemplo de Jeremias que obedeceu à voz de Deus para clamar a Ele, e como resposta ouvir coisas misteriosas e maravilhosas que não conhecia (Jr 33.3).

– Às vezes é preciso cair do cavalo como Saulo caiu a caminho de Damasco (At 9) para depois tornar-se um vaso escolhido.

– É preciso responder como Pedro, que mesmo depois de tanto esforço e várias tentativas sem sucesso, disse: “como é o SENHOR quem está dizendo, vou lançar as redes outra vez” (Lc 5.5). Em seguida, Pedro e seus colegas de profissão pescaram uma tão grande quantidade de peixes que as redes não estavam suportando (Lc 5.6).

– Sentir-se incapaz como Moisés, que só enxergava o que lhe impedia de realizar a missão que Deus o estava designando a fazer, até que o próprio Senhor quem estava no comando da missão, e quem o capacitaria. “Deus afirmou: Eu estarei com você” (Ex 3.12). Quando Moisés mencionou que não poderia falar com Faraó porque era pesado de língua, o Senhor lhe disse: “Quem fez a boca do homem? Ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou Eu o Senhor? Vai, pois agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar” (Ex 4.11,12).

Deus é quem dá experiências novas! Se ele te mandar, obedeça! O segredo da sarça em chamas e não sendo consumida pelo fogo, era Deus mostrando para Moisés que estaria com ele, e de uma forma totalmente envolvente, mas não seria consumido. Veja que experiência nova! Moisés convivia com a chama e não era consumido! “Os pecadores de Sião se assombraram, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? Quem dentre nós habitará com as labaredas eternas? (Is 33.14).

Preservar a comunhão com Deus aqui, é garantir a experiência do porvir!

É Tempo de Vitórias Novas

“Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Co 15.57).

Vitória é outra maneira de dizer que o governo do mundo está nas mãos de um Deus Santo, que ordena todas as coisas conforme a sua vontade. Deus é um Deus de vitórias, Ele não conhece derrotas. É o Senhor sempre vencedor, é o Senhor das Vitórias, e sempre será vitorioso, pois não há quem possa detê-lo. “Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; operando eu, quem impedirá?” (Is 43.13).

“É Ele que engrandece as vitórias…” (Sl 18.50); “É ELE quem dá a vitória…” (Sl 144.10). Uma vez que a vitória pertence ao Senhor, podemos ficar confiantes. Pois servimos ao Deus de vitória. E mesmo que as lutas e as provações abrolhem para nos afligir, temos a certeza de que: “Somos mais que vencedores por aquele que nos amou” (Rm 8.37). Jesus conquistou a nossa vitória na cruz do calvário. E porque ele conquistou podemos declarar agora que hoje é tempo de vitórias novas em todas as áreas da vida. E que vitórias novas são essas? Abrangem o espiritual, o material, os negócios, o trabalho, os relacionamentos, o casamento, a família, a igreja, o ministério, até a comunidade, o bairro, a cidade, e o país. Mas há um requisito para desfrutar dessas novas vitórias: Obediência! Tudo que o Senhor deseja de nós é obediência a sua palavra (Dt 28. 1-14).

Conclusão

O Senhor está propiciando um novo momento, um tempo de perdão, de bênçãos e restauração de sua presença. Esqueça as coisas passadas, pare de olhar para trás e de ficar remoendo os problemas, as tribulações e as lutas. Creia que Deus está provendo um novo tempo, de milagres, de transformações, de fazer água nascer no deserto e o próprio deserto florescer, ressurgindo como uma terra fértil. É tempo de deixar a insensatez, abandonar o pecado, a frieza, a indiferença, o mundanismo, a vaidade, o orgulho, a soberba. É tempo de avivamento, de renovação espiritual, de retorno à Doutrina da Palavra. É tempo de boas novas! “Eis que farei uma coisa nova…” (Is 43.19).

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome