PSC decide lançar Feliciano à Prefeitura de São Paulo


O Partido Social Cristão (PSC) decidiu lançar o deputado federal, Marco Feliciano, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo

A reunião que definiu a candidatura própria ocorreu na manhã desta segunda-feira, 31, com a presença do presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo.

Para o deputado federal Marco Feliciano, a pré-candidatura dará a oportunidade ao eleitor paulistano em ter uma nova opção nas eleições de 2016. Nos próximos dias, Feliciano pretende organizar uma equipe técnica para mapear os problemas de São Paulo e iniciar a estruturação da pré-campanha.

Marco Feliciano pretende diminuir o distanciamento que existe hoje entre o prefeito e a comunidade. “A grande diferença do nosso governo será estar perto das pessoas. Não é porque São Paulo é uma grande metrópole que isso justifica o distanciamento do prefeito do dia a dia do paulistano; faremos um governo para as pessoas”, afirmou.

Ao jornal O Estado de S.Paulo, Feliciano confirmou a intenção de pleitear a Prefeitura em 2016 e fez críticas ao prefeito Fernando Haddad (PT), que tentará a reeleição. O parlamentar afirmou que “Haddad não tem carinho com a gestão do dinheiro” e disse que o prefeito “toma decisões de gabinete”.

“Não faço aqui um juízo de valor, mas a decisão que reduziu a velocidade na cidade não levou em conta o pensamento do paulistano. Foi uma decisão de gabinete, e conosco isso não irá acontecer”, disse Feliciano, ao atacar a medida tomada pela Prefeitura de reduzir o limite da velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros, em São Paulo.

Segundo Feliciano, as conversas no partido sobre o pleito teve decisão colegiada. “Já estávamos discutindo o assunto há algum tempo. E hoje, com a presença do presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo, do deputado federal, Gilberto Nascimento, presidente estadual do PSC, e outros companheiros, decidimos comunicar publicamente a nossa pré-candidatura”.

Ainda de acordo com Feliciano, “a nossa candidatura é pra valer e pra ganhar. O PSC tem hoje uma visão programática muito importante para o Brasil e São Paulo, como a maior metrópole da América Latina, não pode ficar fora desse debate”.

Sobre acreditar se teria chance de ser eleito, Feliciano declarou que “claramente São Paulo tem vivido um desencanto com a política. Representamos uma nova mensagem para o paulistano, que passa pela eficiência da máquina administrativa e pela mudança de paradigma do papel do Estado. Isso que nos move e nos fará competitivo até o final”.

Feliciano disse ainda que “a principal base de apoio é o paulistano que sonha com mudanças. Nós representamos um novo pensamento para o Brasil e isso foi expressado na campanha do Pastor Everaldo à Presidência da República. Qualquer apoio que receberemos terá que se basear em nosso programa”.

Sobre o que acha dos outros candidatos, diz que “neste momento não olho para os meus adversários. Tenho por todos eles o mais profundo respeito. Cada um a seu modo, busca pensar a cidade e seus dilemas. Com exceção, é claro, do atual prefeito, que não tem demonstrado carinho na gestão do dinheiro público”.

Feliciano conta que “a principal bandeira é aproximar a administração municipal da realidade do paulistano. É entender que as políticas públicas precisam de amplo espaço para debate e convencimento. Não faço aqui um juízo de valor, mas a decisão que reduziu a velocidade na cidade não levou em conta o pensamento do paulistano. Foi uma decisão de gabinete, e conosco isso não irá acontecer. Além disso, vamos repensar São Paulo integrando os diversos atores que a nossa cidade tem. Vamos trabalhar com um profundo respeito à diversidade. Vamos pensar a cidade nas suas infinitas possibilidades e sermos criativos nas soluções. Nos próximos dias estarei reunindo um grupo técnico para levantar as demandas e apresentar caminhos para superá-las”.

Nomes cotados à Prefeitura de São Paulo

Além de Marco Feliciano (PSC), outros nomes são cotados para disputar a Prefeitura da capital paulista. Entre eles o atual prefeito Fernando Haddad (PT), o deputado federal Celso Russomanno (PRB), a senadora, ex-prefeita e ex-petista Marta Suplicy (PMDB), o empresário e apresentador João Dória Jr., o vereador paulistano Andrea Matarazzo e os deputados federais Ricardo Trípoli e Bruno Covas (esses quatro devem disputar prévias pelo PSDB). O apresentador José Luiz Datena chegou a declarar que disputaria o cargo pelo PP, mas ainda está analisando propostas e não tomou uma decisão.

Com informações do perfil de Marco Feliciano no Facebook e Estado de Minas

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui