Portas Abertas ajuda cristãos em meio à pandemia do Coronavírus
Cristãos recebem produtos de higiene em um dos Centros de Esperança em Qamishli, na Síria | Foto: Portas Abertas

Organização internacional apoia cristãos em meio à crise do Coronavírus, levando alimentos e itens básicos para mais de 260 milhões de cristãos perseguidos.

Se a pandemia do Coronavírus tem trazido um grande impacto em nossas vidas, imagina para aqueles que já enfrentam tantas restrições por causa de sua opção religiosa? A intolerância e o extremismo religioso têm feito ainda mais vítimas entre os 260 milhões de cristãos perseguidos no mundo.

Esses cristãos estão vivendo sob dupla vulnerabilidade: perseguição e coronavírus. Por isso, a Portas Abertas lançou uma campanha global para que cristãos isolados por causa da COVID-19 recebam socorro emergencial, como alimentos.

Além da China, onde o vírus surgiu, outro país da Lista Mundial de Perseguição 2020 que foi drasticamente atingido foi o Irã, com mais de 85 mil casos confirmados da doença. Com o caos da pandemia, o país libertou muitos prisioneiros, entre eles cristãos que foram presos por causa da fé. Apesar da boa notícia, o efeito negativo deste momento na Igreja Perseguida é grande.

Em alguns países da Ásia, vários cristãos perseguidos perderam a fonte de renda por causa do isolamento social e estão enfrentando diversas necessidades, como a falta de alimento. Pastores que não recebem renda, trabalhadores autônomos que não têm sido contratados, professores cujas escolas foram fechadas. Esses são alguns exemplos de diversas situações que eles têm enfrentado.

Sem auxílio emergencial

Frequentemente, em países em que o governo oferece auxílio emergencial, ele tem sido negado aos cristãos, por causa de sua fé, e eles não recebem ajuda de familiares ou comunidade.

No Oriente Médio, os cristãos já enfrentam uma situação de isolamento e vulnerabilidade. Na África e América Latina, ainda não conseguimos ter a dimensão do impacto da pandemia entre os cristãos perseguidos, mas se toda a população tem sofrido e enfrentado a doença em meio à crises políticas e de saúde, a situação do cristão, já perseguido antes da pandemia, é ainda pior.

Na Índia, a população foi proibida de andar pelas ruas e trabalhar, para que bilhões de pessoas não fiquem doentes ao mesmo tempo e morram sem assistência médica adequada. Mas essas decisões afetaram aqueles que precisam trabalhar diariamente para ter o que comer. A Portas Abertas recebeu mensagens de socorro de vários pastores cristãos indianos, que não podem abrir as igrejas, continuar com o ensino da Bíblia ou atender às necessidades básicas dos membros. Segundo Shalom*, parceiro local da Portas Abertas na Índia, pelo menos entre 20 e 30 pastores estão passando fome por causa do confinamento.

Tara, uma cristã indiana que vive com o marido e filhos em uma região pobre da Índia, se encaixa nesse cenário de doença, fome e perseguição. “Não temos o suficiente para alimentar nossos filhos. Não posso vê-los morrer de fome e não podemos ir à casa de nossos pais. Por favor, façam algo para apoiar o corpo de Cristo”, é o apelo dela.

Você pode ajudar

A boa notícia é que as igrejas locais, mesmo as secretas, estão distribuindo tudo o que podem para ajudar cristãos afetados pela pandemia. As equipes locais da Portas Abertas também estão se mobilizando e fazendo todo o possível para alcançar, encorajar e fortalecer a fé da igreja em países afetados, tanto em ajuda prática quanto em apoio espiritual.

E todos podem ajudar. A Portas Abertas lançou a Campanha Emergencial Covid-19, em que todos podem se envolver e socorrer o cristão perseguido nesses países. A doação permite que cristãos perseguidos isolados por causa da COVID-19 receba socorro emergencial, como alimentos e outros itens de necessidades básica. 

Para saber mais, assista ao vídeo sobre a Campanha Emergencial Covid-19. Apoie o cristão perseguido! Colabore e ore!


DEIXE UM COMENTÁRIO 
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui