Polícia paulista cria o primeiro cadastro de pedófilos do Brasil

1
111

Polícia paulista cria o primeiro cadastro de pedófilos do BrasilA Polícia Civil de São Paulo está formando um banco de dados inédito de todos os pedófilos do Estado. O trabalho é feito pela 4ª Delegacia de Repressão à Pedofilia, única no Brasil especializada nesse tipo de crime.

Desconhecida do público, a delegacia foi criada em novembro de 2011 e desde então tem cadastrado foto, nome, cor de pele, idade e histórico de crimes dos pedófilos.

Segundo a delegacia, 40% desses criminosos têm entre 18 e 40 anos, 25% estão acima dos 40 e 35% têm até 17 anos.

O número de pedófilos com parentesco com a vítima chega a 40%. Dos outros 60%, grande parte tem alguma relação com a família da vítima ou são amigos ou vizinhos, segundo a delegada-assistente Ana Paula Rodrigues, 38.

Alex Argozino/Editoria de Arte/Folhapress
Polícia paulista cria o primeiro cadastro de pedófilos do Brasil

A delegacia não foi autorizada a informar o número total de pedófilos cadastrados. Das vítimas, 80% são meninas, e 60% tem de 7 a 13 anos.

O sobrinho de dez anos da auxiliar de enfermagem Yneida Brito sofreu frequentes abusos de um vizinho, amigo da família. “Ele falou para o menino: ‘Vamos lá na minha casa. Tem uma bola de capotão super legal’. Ao chegar lá, fechou a porta, amarrou o menino e o estuprou”, disse a tia.

Os abusos foram tantos que a criança, hoje aos 12, teve uma disfunção anorretal e, desde então, usa fraldas.

A tia descobriu que as mudanças de comportamento no sobrinho tinham relação com algum tipo de abuso porque ela também foi abusada aos 9 anos. “Voltando da escola, eu fui tomar algo numa lanchonete de um conhecido da família. Ele disse entra, abaixou a porta da lanchonete e abusou de mim”. Yneida só conseguiu contar para mãe o que tinha sofrido aos 22 anos.

Em 2011, foram 2.814 denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes no Estado. No ano passado, chegaram a 3.117, um aumento de 10%, segundo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. No Brasil, o aumento foi de 20%.

A delegacia de pedofilia alerta: os pedófilos estão se proliferando pela internet.

CASO CHOCANTE

A delegada conta que o caso mais chocante que já investigou foi o de uma menina de 6 anos que vivia com a família em um cômodo pequeno. “Mãe, filha e padrasto dormiam na mesma cama e nessa cama ele abusava da menina, com o consentimento da mãe.”

A menina só conseguiu falar dos abusos quando encaminhada à brinquedoteca da delegacia. “Ela pediu para que todas as luzes fossem apagadas porque assim ela tinha a sensação de que ninguém ouviria o que ela tinha para relatar”, diz a delegada.

O homem foi preso, a criança, encaminhada ao Conselho Tutelar, e a mãe desapareceu.

O crime de pedofilia é punido com reclusão de oito a 15 anos. Praticar o crime pela internet tem pena de três a seis anos de reclusão.

Fonte: Adriana Farias | Folha de S. Paulo

1 COMENTÁRIO

  1. Meu padastro abusou de mim qundo eu tinha 11 anos, daí os abusos eram frequentes… Não contei nada a minha mãe. Somente quando eu sai de casa, aos16 anos, foi que eu tive coragem. Ela, nem minha familia, acreditaram em mim. Tudo isso pq ele trabalha em hospital ajuda muita gente, é amigo de todos, ajuda financeiramente meus familiares… Isso tudo me deixou muito fria e insensível e todos me taxaram de revoltada, ingrata pq tudo que eu tinha era ele quem tinha me dado. Então fico muito triste quando vejo essas reportagens na TV, pq muitas mães vêem, mas não acreditam que pode estar acontecendo com seus filhos, vindo de pessoas tão próximas… Minha mãe até hj está casada com ele, moro com minha vô, quem me sustenta é meu namorado. Faço faculdade com a ajuda do meu nmorado, pq desde que eu sai de casa e comecei a namorar com ele, é a única pessoa que me apoia e me ajuda pra eu ter um futuro melhor depois de me formar.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome