Pode o Crente ir ao Cinema?

Querer agradar a Deus com uma interpretação equívoca da Bíblia, além de isolamento da sociedade, pode também gerar fanatismo.

Pode um Cristão ir ao Cinema?

Houve um  tempo que a igreja católica ensinava  que sexo era apenas para a procriação e não para o prazer do cônjuge. Até hoje existe uma linha teológica dentro da Igreja Romana que crê dessa forma, que o isolamento e a penitência são importantes para a santidade e salvação.

“Para que cheguemos a ser santos temos que sofrer muito. O sofrimento engendra o amor e a vida nas almas”.[1]

Madre Tereza de Calcutá / [1] Fonte: https://veja.abril.com.br/blog/reveja/8220-para-ser-santo-tem-que-sofrer-8221/

Algumas pessoas na ânsia de agradar a Deus e com uma interpretação equivoca da Bíblia acabam se isolando da sociedade e de suas atividades sociais, praticando um gritante fanatismo. 

Não sou fã do pastor Ricardo Gondim, até discordo dele em muitos temas, acho que ele enveredou pelo liberalismo teológico,  mas algumas coisas do seu livro “É Proibido. O que a Bíblia permite e a igreja proíbe” faz sentido:

“A igreja não pode pensar em se isolar geograficamente do mundo. A solução para a santidade não é criarmos ordens monásticas que nos mantenham reclusos. A realidade do mundo contemporâneo é que pessoas diferentes, com culturas e até condutas éticas distintas, compartilham os mesmos espaços”.[2]

Pastor Ricardo Gondim / [2] É Proibido, O que a Bíblia Permite e a Igreja Proibe, p. 72, GONDIM, Ricardo, Mundo Cristão, São Paulo.

Em 1984, nas cidades de Paulista e Abreu e Lima, dentro das assembeias de Deus era pregado que quem assistisse a televisão estava em pecado, pois para os pastores da época TV era coisa do diabo.

Agora imaginem o que se dizia nessa época sobre cinema?

Hoje, vemos duas  grandes convenções  assembleianas, CONADEPE e CIMADB, (ambas bem antiga),  donas de Rede de Televisão.  Vê-se claramente com isso a mudança de concepção a respeito do tema.

Mesmo assim, muitas assembleias de Deus ainda hoje perduram no posicionamento contra a TV e  também contra o cinema.

Mas o que é um cinema?

Do ponto de vista estrutural é uma sala grande com poltronas confortáveis, ar refrigerado,  com uma grande tela e um som ambiente de qualidade. Hoje em sua maioria instalados dentro de Shoppings Centers.  

Do ponto de vista do entretenimento: é apenas um lugar de lazer destinado a exposição de filmes (embora hoje muitas salas de cinema são alugadas para palestras de trabalho e também cultos).

É comum entre os cristãos  reformados e também  tradicionais frequentarem cinemas, até mesmo os neopentecostais não vêem problemas nisso, mas entre os pentecostais (e ai destaco as  Assembleia de Deus)  ainda não se há consenso em relação ao tema.

Os que são contrários a ida de cristãos ao cinema alegam o seguinte:

No cinema passam filmes com cenas de sexo e outros temas que são prejudiciais a fé cristã. Dai mencionam o texto bíblico  “Não porei coisa má diante dos meus olhos. Odeio as obras daqueles que se desviam: não se me pegará a mim” Sl 101.3

Entretanto é preciso ver o contexto do versículo. Notemos o que vem depois no versículo 3

Os meus olhos estarão sobre os fiéis da terra, para que se assentem comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá.

O que usa de engano não ficará dentro da  minha casa; o que fala mentiras não estará firme perante os meus olhos.

Pela manhã destruirei todos os ímpios da terra, para desarraigar da cidade do Senhor todos os que praticam a iniquidade.  Sl 101. 6-7

Seria forçar o texto aplicando-o ao cinema. Esse argumento não se sustenta. Na verdade, o salmista não está falando de artes presente ou futura, mas de pessoas falsas, mentirosas e de  mau-caráter.

Ainda outro texto que costuma ser citado pelo os que são contra o cinema é o salmos 1

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Sl 1.1

Sobre isso, transcrevo o que escreveu  o pastor Ricardo Gondim:

“A igreja não pode pensar em se isolar geograficamente do mundo. A solução para a santidade não é criarmos ordens monásticas que nos mantenham reclusos. A realidade do mundo contemporâneo é que pessoas diferentes, com culturas e até condutas éticas distintas, compartilham os mesmos espaços. Nossos filhos sentam-se em bancos escolares vizinhos aos dos filhos de políticos inescrupulosos. Viajamos em ônibus e aviões ladeados por pessoas boas e más”.[3]

Pastor Ricardo Gondim / [3] É Proibido. O que a Bíblia Permite e a Igreja Proibe, p. 72, GONDIM, Ricardo, Mundo Cristão, São Paulo.

Observe o que disse Jesus sobre ser social

Veio o Filho do homem, que come e bebe, e dizem: Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo de publicanos e pecadores! Mas a sabedoria é justificada por suas obras, (Mateus 11.19).

Mas uma vez um fraco  argumento, pois a  roda dos escarnecedores que fala o texto  diz respeito aos zombadores da nossa fé,  e não do público que frequenta cinemas. A não ser que esteja passando na tela  algum filme que escarnece do evangelho.

Por último ainda citam: “Não ameis o mundo e nem nada do que no mundo há, quem ama o mundo o amor do pai não está nele” (1 João 1.15).

Mas  ir ao cinema, é amar o mundo?

O que diz a Bíblia?

Porque as obras da carne são manifestas , as quais são; adultério, fornicação, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias,  e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse,  que quem comete tais coisas,  não herdarão o reino de Deus, (Gálatas 5.19-21).

Em todo o texto escrito por Paulo aos Gálatas observamos que são coisas ligadas ao mundo onde jaz o maligno, praticá-las seria amar ao mundo. Mas onde se entende literalmente ou por analogia amar ao  mundo por  ir ao cinema?

Saindo dessa esfera e fazendo ai sim, uma reflexão comparativa, o que parece ser mais perigoso, assistir um filme onde há um grande público, ou em casa, muitas vezes sozinho no quarto? Quem tem mais probabilidade em cometer pecado?

Os que condenam o cinema, não deveriam assistir TV em suas casas, afinal os filmes são os mesmos. Sem contar as várias programações perniciosas como algumas  novelas e programas que defendem feminismo, uso de drogas, ideologia de gênero e outras agendas  contrárias ao evangelho.

Mesmo quando se tem um canal totalmente evangélico (como ocorre em Pernambuco com a Rede Brasil), dificilmente alguém deixará de assistir a outros canais.

É preciso  fazermos uma análise de que no passado perdemos tempo condenando a televisão, quando deveríamos ter usado essa ferramenta como propagadora do Evangelho.

Todavia, estou falando de Brasil, pois nos Estados Unidos pastores como Jimmy Swaggart já evangelizava por meio da TV. Já aqui no Brasil um dos visionários e quebrador de paradigmas  no uso da TV foi o pastor Silas Malafaia. Depois os neopentecostais se apoderaram desse instrumento por ver na TV uma grande  forma de crescimento.

Quanto ao cinema, enquanto os assembleianos estão o desprezando, mais uma vez os neopentecostais estão avançando a cada dia mais em seu uso. Contudo a Igreja Batista de Sherwood na Albany, Georgia, EUA é precursora em produzir filmes entre os quais se destacaram fazendo grande sucesso; Desafiando Gigantes (2006), Prova de Fogo (2008) e Corajosos (2011).  

“Algumas igrejas não aceitam sequer a idéia de assistir um filme evangelístico, pois crêem ser uma abertura para que as pessoas passem a gostar de filmes mundanos”[4]

Pastor Ricardo Gondim / [4] É Proibido, O que a Bíblia Permite e a Igreja Proibe, p. 71, GONDIM, Ricardo, Mundo Cristão, São Paulo.

No Brasil

Podemos dizer que um dos que se destacam na produção de filmes cristãos é o pastor R.R. Soares, que já tem lançado várias películas por meio  da Graça Filmes.

O líder religioso Edir Macedo também tem usado o cinema e alcançado um bom número de pessoas através das grandes telas. Os dez Mandamentos, por exemplo, figurou entre os mais assistidos nos últimos tempos.

Recentemente a Biografia do Bispo Edir Macedo sob o título “Nada a Perder” também fez grande sucesso nos cinemas superando em bilheteria todos os filmes nacionais que o antecederam.

O  problema não está no cinema, mas no que assisto.

O cristão tem que peneirar a programação, e assistir aquilo que lhe proporciona prazer, sem que isso lhe tire a santidade e lhe afaste de Deus.

Alguns filmes podem até aumentar a nossa fé.

Quem sabe esse não é momento de não apenas irmos ao cinema, mas aproveitarmos já que estamos com um governo de Direita e pleitearmos por meio da Lei Rouanet recursos para produzir filmes que edificam e evangelizam.

R.A

DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui