Perseguição Religiosa: em 2012 a cada cinco minutos um cristão foi assassinado por causa da sua fé

2
97

“A cada cinco minutos um cristão foi assassinado por causa da sua fé em 2012”

“As perseguições não se limitaram aos primeiros séculos da Igreja Cristã nem se circuscreveram aos anos que se seguiram à deflagração da Reforma Protestante. Milhares de cristãos continuam a selar a fé com o próprio sangue nos mais diversos países do mundo”. [ O Livro dos Mártires ]

Por Paulo Pontes

As perseguições contra o cristianismo vem de tempos remotos. A primeira perseguição contra a Igreja Cristã deu-se no ano 67 d.C. Durante o segundo e terceiro séculos o Império Romano perseguiu os cristãos de formas cruéis, e mesmo quando havia paz, a perseguição podia recomeçar a qualquer momento, e ainda mais violenta.

A perseguição religiosa contra os cristãos caracteriza-se pelos maus tratos físicos ou psicológicos, que incluem agressões, prisões e assassinatos motivados pela intolerância, indiferença, desrespeito e preconceito.

Nos últimos séculos, os cristãos têm sido perseguidos por outros grupos religiosos, e vêm ocorrendo hoje, cada vez mais, em dezenas de países.

Em 2012 essas perseguições contra os cristãos em todo mundo alcançaram índices alarmantes: “a cada cinco minutos um cristão foi assassinado por causa da sua fé e identidade”. A informação é do pelo sociólogo Massimo Introvigne, coordenador do Observatório de Liberdade Religiosa (Osservatorio della libertà religiosa) na Itália. Numa entrevista à Radio Vaticana, alertou que nos países onde o fundamentalismo islâmico é mais forte, e onde prevalecem os regimes totalitários comunistas, são áreas que representam alto risco para os cristãos. E em países como Nigéria, Somália e Mali (islâmicos), Coréia do Norte (comunista), e o estado de Orissa, na Índia, onde existem nacionalismos étnicos, os cristãos são vistos como traidores.

O ano 2012 ficou marcado pelas ações de grupos extremistas contra os cristãos: Boko Haram assumiu a autoria de um atentado suicida contra a Igreja de Cristo em Jos, na Nigéria; No Paquistão a jovem Rimsha, foi acusada de profanar o Alcorão. No Cazaquistão várias igrejas protestantes foram fechadas. Estas e outras notícias confirmam o estudo da Universidade de Oxford que aponta que o grupo religioso mais perseguido em todo o mundo é formado de cristãos, segundo informações do The Telegraph.

De acordo com Massimo Introvigne as perseguições não se limitam apenas aos cristãos evangélicos, mas se estendem a coptas e católicos. O Papa Bento XVI pediu tolerância e cooperação entre pessoas de crenças diferentes para construir um mundo melhor, com base no respeito do indivíduo.

Introvigne destacou que, “a despeito das proporções assustadoras das perseguições, os cristãos oram por seus perseguidores devido a uma característica única do cristianismo: o perdão”.

Veja: LA REPUBBLICA.IT

2 COMENTÁRIOS

  1. Nós cristãos precisamos entender que nos lutamos no mesmo exercito e que batalha se vence com estrategias, mas por estar surgindo muitas denominações e diversos lideres com pensamentos variados, não estamos mais defendendo a mesma causa que é pregar o evangelho genuíno e a volta do SENHOR. Mas estaremos sim lutando para que esse passado terrível da igreja não ressuscite e venha destruir os poucos profetas e missionários que ainda nos restam.

    • Caro Joziel Santos, entendi seu argumento, realmente uma casa dividida não se sustenta. Mas recomendo que leia com atenção o conteúdo da matéria para ver que não se trata de “guerras” e “pelejas” internas, das dissensões, ou da falta de união entre os irmãos na igreja local ou denominacional, o que não deixa de ser um grave problema. A reportagem trata das perseguições motivadas pela intolerância política e religiosa que não admite a identidade cristã.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome