Paulo no Poder do Espírito

Paulo no Poder do Espírito
Cara da Lição 6 EBD Adultos – 4 Trimestre 2021

“O Apóstolo Paulo: Lições da Vida e Ministério do Apóstolo dos Gentios Para a Igreja de Cristo”

Manoel Coutinho Pimentel Júnior
“E impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam” (At 19.6)

Nesta semana estaremos mais uma vez, pela graça do Altíssimo, compartilhando mais uma poção das Escrituras, por meio da maior escola do mundo que estuda a Palavra de Deus sistematicamente a Escola Bíblica Dominical – EBD. Na lição passada, disponível em nosso site: Seara News, o internauta pode acessar a abordagem do tema: “Jesus Cristo, e Este Crucificado – A Mensagem do Apóstolo”. O assunto desta semana é: “Paulo no Poder do Espírito”. Estudaremos sobre a atuação do Espírito Santo na vida ministerial do Apóstolo Paulo, ainda aprenderemos sobre as verdades bíblicas para a nossa vida e sobre como o Salvador Jesus Cristo deve ser pregado. A resposta, sem dúvida alguma, é na plenitude do poder do Consolador que está na Terra. Buscaremos meditar sobre o argumento que Paulo nos escreveu nas Cartas do Novo Testamento endereçadas a Igreja de Éfeso, Coríntios e outras, expondo a fonte de ensino sobre o Espírito do Apóstolo dos Gentios.

Pregando a Cristo no Poder do Espírito

A Igreja neotestamentária começou em Jerusalém, atendendo a própria orientação do Senhor registrada em Atos 1.4: “E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes”. A orientação de Cristo, era para que os discípulos aguardassem o revestimento de poder do Espírito Santo, (Mc 16.15) para então cumprir o Ide, o que aconteceu para que fossem revestidos de poder, (Atos 2), como sabemos, e em seguida propagassem o evangelho de Cristo como “testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria e até os confins da terra”, ou seja até nós (Atos 1.8).

No encontro memorável à caminho de Damasco o prometido Salvador da Humanidade com Saulo, o Senhor o surpreende ao enfatizar o nome dele mais de uma vez, quando este, foi impactado pelo resplendor do Céu, que o cercou no caminho de Damasco, registrado por Lucas em Atos 9.4: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”

- Publicidade -

Notamos que quando o Nazareno enfatizou algumas vezes, o mesmo nome, em momentos ímpares no decurso de seu ministério de pouco mais de três anos, aqui na Terra e o fazia quando queria chamar a atenção profundamente de uma pessoa ou população. Alguns exemplos: “Jerusalém, Jerusalém” (Lc 13.34); “Marta, Marta” (Lc 10.42).

Jesus é maravilhoso e tem a sua forma de falar ao nosso coração, quando nos chama. No encontro com Cristo, Saulo ele imediatamente se prontificou a realizar a vontade de Deus em sua vida e perguntou qual era a vontade de Jesus na vida dele e se colocou de prontidão para executar a vontade de Deus. Quantos de nós temos sido chamados por Deus para executarmos uma obra. Será que sempre nos prontificamos a executar o chamado do Senhor?

Abrimos um parêntese para mencionar que, em suas viagens missionárias, o Espírito Santo de Deus sempre esteve guiando o Apóstolo. Ele só fazia as viagens sob a orientação de Deus, mesmo tendo desejo de ir a um determinado lugar para levar a Mensagem da Cruz, como foi o caso de ir à Roma, registrado em Rm 1.13. Neste versículo Paulo diz que muitas vezes propôs ir a Roma, no continente europeu, anunciar o Evangelho aos gentios, e que estava pronto a realizar a obra do Senhor lá.

Paulo também foi impedido pelo Espírito de ir para a Ásia (At 16.6). Quando chegaram em Mísia, tinham planejado viajar para Bitínia, e novamente o Espírito Santo não permitiu (At 16.7), então eles desceram em Trôade, e naquela cidade, Paulo teve uma visão maravilhosa. Ele viu um varão da Macedônia que lhe pediu: “Passa à Macedônia, e ajuda-nos” (At 16.9). Naquele momento, Paulo entendeu a vontade do Pai Celestial, e esta era que a sua Palavra fosse pregada na Macedônia.

Logo, Paulo e Silas viajaram e chegaram em Filipos, a primeira cidade da região da Macedônia. Foi nesta viagem que Lídia, a vendedora de púrpura foi alcançada com toda a sua família e foram salvos. Foi também nesta viajem que Paulo e Silas foram libertos da prisão de forma miraculosa por meio de um terremoto e abertura das cadeias, e salvação do carcereiro (At 9.26-34).

No texto bíblico central desta lição (At 19.6), observamos que Paulo, por meio da imposição de mãos, foi o canal que o Senhor usou para que os discípulos que estavam em Éfeso fossem batizados no Espírito Santo, e passassem a falar em línguas e profetizar. Somente alguém que estivesse crido na morte e na ressurreição de Cristo, cheio do Espírito Santo e revestido de Poder, poderia agir assim e ter um ministério tão profícuo! Sabemos que o marco inicial de revestimento do Espírito, se deu quando recebeu a imposição de mãos do discípulo Ananias, quando recebeu a cura da cegueira que o acometeu por três dias e foi revestido pelo Poder do Espírito (At 9.17). Agora, cheio do Espírito Santo, impõe as mãos sobre os irmãos e estes são selados pelo Espírito Santo. Oh glória!

É necessário estar sob a direção do Espírito para Ele nos direcionar na hora certa, para o lugar certo a fim de cumprir o chamado que Ele tem para conosco. Precisamos estar preparados para pregar a Palavra a tempo e fora de tempo, até porquê o tempo de Deus não é mensurável como o nosso, denominado khronos e sim kairós. A eternidade diverge do tempo terrestre. Na verdade, sabemos que quando o Senhor nos direciona e nós ficamos atentos e andamos no centro da sua vontade, Ele age conosco no tempo certo e vai conosco, e como diz o louvor nº 515 da Harpa Cristã: “Se Cristo comigo vai, Eu irei. E não temerei, com Cristo irei”

Argumento de Paulo sobre a Plenitude do Espírito Santo

Em seguida, Paulo impõe as mãos sobre os discípulos e eles foram cheios do Espírito Santo. O Apóstolo sempre dirigido por Deus, agia de forma positiva, aproveitando a oportunidade de ensinar corretamente a Doutrina da Salvação e do revestimento do Espírito Santo de Deus. Antes de ir a Éfeso ele encontrou-se com dois cristãos que estavam desejosos de ir ao campo missionário, a saber, Timóteo e Silas (At 16.1).

Quando pregou aos gentios em Atenas, mesmo se comovendo ao ver a cidade tão entregue a idolatria (At 16.16), ele utilizou a cultura local quando falou a filósofos e epicureus no Areópago, quando disse que viu um altar escrito: “Ao Deus Desconhecido” (At 23). Não deixou passar a oportunidade e disse que era este Deus que ele estava anunciando.

Da mesma forma precisamos utilizar as oportunidades que o Eterno nos concede para falar da Sua Palavra. Na verdade, temos que, ao anunciar o evangelho na plenitude do Espírito Santo, utilizemos a realidade local, e encaixemos a Palavra de Deus à necessidade do pecador em qualquer situação que esteja, além de ressaltarmos os efeitos desta fonte sanadora: a mensagem da cruz do calvário, e seus efeitos na vida dos judeus, gregos, e para a nossa vida na atualidade.

Não basta viver a plenitude do Espírito Santo por um momento! O Espirito Santo deve habitar em nós, é o Selo da Promessa, ele nos oficializa como propriedades do Pai Celestial, “[…]Todavia, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Rm 8.9). Na vida do Apóstolo não foi diferente Ele permaneceu vivendo a plenitude da Verdade em sua vida inteira, combatendo o bom combate até a morte, mas guardando a fé (2 Tm 4.7). É desta forma que devemos militar na carreira celestial, é estar vivendo a nossa vida sob a direção do Espírito de Deus, guardando a fé, assim como Paulo, e escondendo a Palavra do Senhor em nosso coração (Sl 119.11) para não pecar contra o Pai.

A fonte do ensino de Paulo sobre o Espírito Santo aos Efésios

Na leitura bíblica de Atos 19.1-7, depois de passar pelas cidades superiores, (interior) chega a Éfeso uma importante cidade da Ásia Menor, hoje Turquia, uma Metrópole de mais de 300 mil habitantes, onde tinha o templo dedicado a Artêmis ou Diana, deusa da fertilidade, uma das maravilhas do mundo antigo.

O Anfiteatro recebia até 25 mil pessoas. Na cidade imperava a idolatria, bruxaria, ocultismo e vários deuses. Ali o apóstolo encontra alguns discípulos, e lhes faz uma pergunta objetiva sobre o recebimento do Espírito Santo; mas, eles responderam que nem sequer tinham ouvido da existência do Espírito Santo. Aqueles discípulos tinham em mente o monoteísmo judaico. Após Paulo novamente lhes dirigir outra pergunta em que haviam sido batizados, eles afirmaram ser batizados com o batismo de João Batista, na verdade eram fiéis discípulos de João Batista. Paulo não refutou o batismo de João, porém lhes ensinou o batismo em nome do Senhor Jesus e estes creram e foram batizados.

Logo em seguida, Atos 19.8-10. Depois de passar três meses pregando a Palavra na sinagoga e ministrando sobre o reino de Deus, observou que alguns deles estavam teimosos e incrédulos, ainda falavam mal do “Caminho”.  Paulo então, decidiu levar os discípulos que estavam no Caminho e tinham aceitado a mensagem para a escola de Tirano e permaneceu ali por cerca de dois anos ensinando a Doutrina da Salvação por meio de Cristo Jesus. Ao todo, Paulo passou ali por volta de 3 anos. A Palavra atingiu toda a região da Turquia. As Igrejas de Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodiceia, para as quais João Batista escreveu cartas registradas em Apocalipse 2 e 3.

Como observamos, pelo Poder do Espírito Santo, e por meio da Igreja de Éfeso, as demais igrejas foram plantadas, inclusive o Apóstolo levantou ofertas para enviar para a Igreja da Judéia, pois os judeus tinham sido expulsos de Roma pois na época era um período de grande fome ali, além das perseguições que os cristãos foram expostos, rebeliões, violência pelos nacionalistas judeus, agindo com amor. E em Éfeso, houve um grande tumulto, quando Demétrio e outros porque a profissão que quem fazia pequenas imagens da deusa Diana corria o risco de desaparecer, graças à conversão dos habitantes daquela cidade que estavam abandonando o culto à deusa Diana para seguir o “Caminho”, Jesus Cristo, Paulo decidiu sair de Éfeso. Na verdade, uma igreja plantada em um determinado local, precisa revolucionar pelo Poder de Deus o lugar onde está.

Meditemos na Palavra de Paulo aos Coríntios 2.9 que diz: “O qual vos confirmará também até o fim, para serdes irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu filho Jesus Cristo nosso Senhor.”

Assista ao vídeo do estudo da lição:

Bibliografia
– CLAUDIONOR, Correia de Andrade, Dicionário Teológico: 26 Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
– ANDRADE, Claudionor de. Paulo em Atenas. 2 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1986
– Revista Ensinador Cristão, Rio de Janeiro: CPAD. N.º 87, p. 38.
– Declaração de Fé das Assembleias de Deus, 11 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2021

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
Se encontrou algum erro, deseja sugerir uma pauta, ou falar conosco. Clique aqui!

3 COMENTÁRIOS

  1. A paz do Senhor….(((Com todo respeito a sua sabedoria , muito aprendi e desfrutei de sua gestão como Superintendente, Pastor,amigo e o ensino do Evangelho

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui