Paulo, a vocação para Ser Apóstolo

Paulo, a vocação para Ser Apóstolo
A preparação do Apóstolo dos Gentios para o exercício do Santo Ministério | Foto: Capa da Lição 4

“O Apóstolo Paulo: As Lições de Vida e Ministério do Apóstolo dos Gentios Para a Igreja de Cristo”

Manoel Coutinho Pimentel Júnior

“Paulo, chamado pela vontade de Deus para ser apóstolo de Jesus Cristo” (1 Co 1.1).

Nesta lição, o comentarista nos desafia a estudar o “Marco Inicial para a vocação de Paulo”, asseverando que essa convocação foi feita pelo Cristo Ressurreto, além de sublinhar os importantes aprendizados no deserto. Estudaremos também a preparação do Apóstolo dos Gentios para o exercício do Santo Ministério. Assim sendo, traremos a nossa contribuição sob a orientação do Espírito Santo, além de apresentarmos subsídios da Bíblia Sagrada para enriquecer a aula dos professores, vocacionados para o ensino, bem como para todos que estudam a Santa Palavra do Eterno.

Como vimos na lição anterior, que está disponível em nosso Sitio Eletrônico: Seara News, o próprio Jesus a caminho de Damasco, aparece ao então perseguidor dos crentes – Saulo, por meio de um resplendor de luz do céu e por meio da voz do Senhor o chamando pelo nome. (At 9.3). Agora o néctar da lição, encontra-se na declaração do perseguidor do caminho (At 22.4), convertido no caminho de Damasco. O nosso Senhor Jesus é maravilhoso, amoroso, bondoso, misericordioso e não vê os homens como nós os vemos. Ele enxerga o coração e tem um Plano para cada um de nós.

- Publicidade -

Deus tem muitos ensinamentos para nós neste estudo, e o principal deles é que vivamos para fazer a Obra do Senhor na Terra, principalmente cumprindo a ordenança do Senhor na Evangelização, (Mc 16.15).

O Ponto de Partida para a Vocação de Paulo

Deus em sua onisciência executou o plano dEle na vida de Saulo, e interviu no momento oportuno para cumprir o seu propósito. Como o próprio Apóstolo afirmou, o Pai tinha um plano na vida dele desde o ventre de sua mãe (Gl 1.15).

Por meio de sua onisciência, que por sinal, é um atributo moral e absoluto de Deus e significa que o Senhor tem conhecimento de todas as coisas o tempo não o limita, pois o Eterno trabalha o tempo e as estações (1Ts 5.1) e age no tempo certo, nos chama atenção que o próprio Jesus comissionou a Saulo naquele encontro tão extraordinário e sobrenatural, e depois de três dias selou através do Discípulo Ananias, como veremos adiante “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1).

É importante frisar que, a Soteriologia é o campo da teologia que estuda a salvação. O verbo “salvar” aparece 150 vezes só no Novo Testamento. A salvação procede de Deus e não do homem; Deus predestinou o homem para a Salvação (Rm 8.29), e no versículo 30 lemos: “E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou”.

Não há como estudarmos o projeto de Deus sem tangenciarmos o plano maior que é a salvação do homem. Os chamados e justificados o Pai usa a vocação do homem para realizar a sua obra.

A Salvação do homem, foi planejada pelo Eterno (Jo 3.16), foi consumada pelo seu Filho Unigênito – Jesus Cristo, conforme lemos em Isaías 53.5: “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”; e, é operacionalizada em nós pelo Espírito Santo, conforme lemos em João 14:16,17: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós”.

O Senhor chamou Saulo para uma obra grandiosa e impactante. O Evangelho do Cristo ressurreto foi socializado pelo Apóstolo com profusão de pensamentos e exatidão de palavras inspiradas pelo Espírito Santo. Nesse sentido, estudamos no livro de Atos que o ministério do apóstolo foi revestido de poder com uma unção especial e sobrenatural do Espírito.

Daquele momento em diante, da Imposição de mãos do Ananias, que foi tocado pelo Mestre, inclusive com o endereço onde Saulo estava falando com o Senhor por meio de oração e jejum. Depois do revestimento do Espírito e do Batismo nas águas o seu ministério marcado por cartas escritas e eternizadas no Novo Testamento, pregação fervorosa, exemplo de vida, curas, sinais, milagres e maravilhas operadas por meio do Espírito Santo de Deus, conforme a Palavra: “E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão” (Mc 16.17,18).

Deus, em sua infinita misericórdia, fez com que os homens, inspirados pelo Espírito, registrassem no Compêndio Sagrado estas importantes lições extraídas a partir da vida do Apóstolo Paulo, para nos mostrar que o Espírito Santo usa circunstâncias de nossa vida, sobre as quais não encontramos respostas no momento, para realizar uma grande obra. Muitas vezes, lá adiante, depois de passarmos pelas adversidades, provas, lutas, dificuldades, que temos aqui no mundo (Jo 16.33), entendemos o trabalhar de Deus em nossa vida, pois, Ele nunca nos abandona, mas, nos ajuda a superar as dificuldades.

Sua Vocação foi efetivada pelo Cristo Ressurreto

O caráter de Paulo revela pela defesa no que cria (Gl 1.14). Com suas convicções, o fariseu zeloso, tinha zelo pela palavra, especialista na Torah, da seita dos judaizantes (Gl 1.14), defensor da Letra, perseguidor da Igreja, agora convertido foi revestido de poder, batizado nas águas e com a unção do Espírito pregava o Evangelho da graça nas sinagogas (At 9.20). Que mudança definitiva de rumo! O homem que ficara atônito no caminho de Damasco, agora os ouvintes que ficavam atônitos, perplexos, pois pregava com ousadia o Cristo ressuscitado, cheio do Espírito Santo (At 9.17). O Senhor oculta estas coisas aos sábios e entendidos e revela aos pequeninos (Mt 11.25). Glória a Deus!

A obra que Jesus havia planejado para nós, seria executada por intermédio da vida de Saulo, “[…] vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel” (Gl 1.9). O Cristo ressurreto chancelou o seu apostolado pessoalmente, através de uma luz resplandecente um a caminho de Damasco, pois como o próprio Senhor disse no texto lido, vaso escolhido, ou seja, vocacionado, que depois de ter visto essa Luz resplandecente, ficou cego, e desta forma três dias depois, outorgou-lhe a missão por meio de Ananias que impôs as mãos sobre ele, orou e logo Saulo voltou a enxergar fisicamente e espiritualmente!

Vocação de Paulo e o Aprendizado no Deserto

Saulo logo após ser impactado pela unção do Espírito, depois de falar nas sinagogas por um breve período, os judeus queriam matá-lo; os irmãos o fizeram descer por uma fissura que havia no muro (At 9.25), então, ele partiu para a Arábia. Desconhecido naquelas terras áridas do deserto, o Apóstolo dos Gentios (Gl 1.17), durante três anos antes de voltar para Damasco e depois para Jerusalém, aperfeiçoou a sua vocação.

Neste ambiente desolador, Paulo passou por uma experiência solitária, – no deserto o homem fica totalmente na dependência de Deus, é no deserto, quem assume o comando é Deus e dirige o homem. Em Provérbios 16.9 lemos: “O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos”. Paulo, a partir dali, foi totalmente controlado pelo Espírito Santo em todas as decisões de sua vida.

A lição prática da vida do Apóstolo para nós é que o vocacionado antes de realizar a obra que Deus o dirigiu a fazer, precisa preparar-se para executar o Ide. Paulo era um estudioso da Palavra, formado aos pés de Gamaliel, mas sentiu o desejo e partiu para passar no “Seminário de Jesus” durante três anos. Paulo escreveu sobre isso na segunda carta a Timóteo: “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja corretamente a palavra da verdade” (2Tm 2.5). Esta Palavra da verdade foi soprada pelo próprio Deus: “Toda escritura inspirada por Deus é útil” (2Tm 3.16). Estudemos a Palavra!

Jesus disse assim: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós” (Jo 14.16,17).

Paulo escreveu aos Gálatas que foi Jesus quem deu as instruções foi diretamente a ele: “Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo” (Gl 1.12). O apóstolo dos gentios foi um destemido servo do Altíssimo, o seu agir era totalmente direcionado para ganhar almas por intermédio da pregação da Palavra a tempo e fora de tempo, ele mesmo exortou Timóteo a fazer o mesmo (2Tm 4.2).

Em síntese: O Pai, após salvar-nos, também vocaciona a cada um por meio de um plano e chamado específico. Desta forma, executemos o propósito de Deus, como o próprio Apóstolo Paulo escreveu: “Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor” (Rm 14.8). Precisamos crer em Sua Palavra e tomar posse do que Ele nos prometeu: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” (Mt 28.20).

Assista ao vídeo do estudo da lição

Bibliografia
– CLAUDIONOR, Correia de Andrade, Dicionário Teológico: 26 Ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
– ANDRADE, Claudionor de. Paulo em Atenas. 2 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1986
– Revista Ensinador Cristão, Rio de Janeiro: CPAD. N.º 87, p. 38.
– Declaração de Fé das Assembleias de Deus, 11 ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2021

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
Se encontrou algum erro, deseja sugerir uma pauta, ou falar conosco. Clique aqui!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui