Pastor Yousef Nadarkhani é novamente libertado, informa ANAJURE

0
40

A CSW envia email a ANAJURE informando sobre a libertação do Pr. Nadarkhani hoje, 07/01.

Por Jussara Teixeira

O pastor Yousef Nadarkhani foilibertado nesta segunda-feira (07/01) depois de preso novamente em 25 de dezembro de 2012 de forma irregular a pedido de autoridades prisionais iranianas. A notícia foi dada hoje exclusivamente à Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (ANAJURE) pelo presidente da Christian Solidarity Worldwide (CSW), Dr. Mervyn Thomas.

Para o Dr. Uziel Santana, presidente da ANAJURE, a libertação do líder religioso iraniano foi o resultado da atuação firme de entidades de juristas cristãos de todo o mundo. “Nossa parceira, a CSW, tem lutado com intrepidez pela defesa das liberdades civis fundamentais dos cristãos. Aqui no Brasil a Anajure tem atuado na mesma direção, com a graça de Deus. Devemos orar e trabalhar em outras situações, pois como o caso do pastor Yousef, existem outras centenas em todo o mundo”, comentou Santana.

Na carta, o Dr. Mervyn Thomas se mostra satisfeito com a notícia, mas manifesta preocupação com outros cristãos injustamente detidos em regimes totalitários. Ele cita o advogado do caso Nadarkhani, Dr. Mohammed Ali Dadkhah, que dá sinais de deterioração de sua saúde na prisão onde se encontra.

“Estamos preocupados ao saber de sua condição (…) as tentativas oficiais para justificar a sua prisão agora tentando coagi-lo a fazer uma declaração de culpa ‘ao vivo’ não são só condenáveis, mas também são indicações claras de que as acusações contra ele eram falsas”, diz Thomas na carta enviada.

A CSW pede a libertação imediata do Dr. Dadkhah e que se encerre “esta campanha de perseguição da sociedade civil”. No mesmo comunicado, ainda apela ao governo iraniano que defenda o Estado de direito e permita às minorias religiosas do país que desfrutem da liberdade religiosa como garantida pelo Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é signatário.

Entenda o caso

Em setembro de 2012, o pastor Nadarkhani foi absolvido da acusação de apostasia, mas recebeu uma sentença de três anos por evangelizar muçulmanos.

Como já havia cumprido cerca de três anos na prisão Lakan em Rasht, o líder religioso foi liberado após pagar fiança. Dias depois, ele foi preso novamente no dia de Natal sob as ordens de autoridades do sistema prisional iraniano, que alegaram que ele tinha sido liberado cedo demais devido à insistência de seu advogado, o Dr. Mohammed Ali Dadkhah.

Nascido muçulmano, Yousef Nadarkhani converteu-se ao cristianismo aos 19 anos e três anos depois passou a praticar evangelismo na cidade de Rasht, noroeste de Teerã. Nadarkhani chegou a liderar um grupo de cerca de 400 cristãos no Irã.

Em 2009 protestou sobre a doutrinação islâmica nas escolas onde seus filhos estudavam. Seu argumento era de que as crianças não deveriam ser forçadas a aprender sobre o Islã.

A sentença para apostasia foi a execução por enforcamento, mas, após pressão internacional sobre o sistema judicial iraniano o veredicto foi adiado, passando o caso para o aiatolá Ali Khamenei, autoridade suprema da nação, para revisão.

Mesmo condenado em setembro de 2010 por um tribunal local à morte por enforcamento, a pressão internacional fez com que  a sentença não fosse colocada em prática.

 Mais informações podem ser obtidas através do site: www.anajure.org.br

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome