Pastor José Wellington emite nota sobre abertura de igrejas no Tocantins | Seara News
Pr. José Wellington, presidente da Confradesp e da CGADB

 

Por Paulo Pontes

Repercutiu nas redes sociais e entre sites e blogs a informação dada pelo JM Notícia, na última segunda-feira (21), de que o Ministério do Belenzinho (SP), como parte de um audacioso projeto, estaria abrindo várias igrejas nas cidades de Palmas, Araguaína e Guaraí no Estado do Tocantins, por intermédio da Assembleia de Deus em Limeira, no estado paulista. Mas, o presidente da CGADB e da Assembleia de Deus do Belém (SP), pastor José Wellington Bezerra Costa, divulgou nota de esclarecimento, desvinculando qualquer ligação na abertura de igrejas além de suas “fronteiras” eclesiásticas da Confradesp.

- Publicidade -

De acordo com informação publicada no site da Convenção Interestadual das Assembleias de Deus do Seta – CiadSetaNews, essa informação não procede, pois o próprio pastor José Wellington Bezerra da Costa, que é presidente da Convenção Fraternal Interestadual das Assembleias de Deus do ministério do Belém – São Paulo (Confradesp) e da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), emitiu nota esclarecendo os fatos, e informando que o Ministério do Belém e a CONFRADESP jamais autorizaram aos seus ministros abrirem igrejas fora dos limites do estado de São Paulo, e que o ministro responsável por tais fatos será convocado e orientado a encerrar imediatamente as atividades nos locais apresentados pela a imprensa, ou seja, as igrejas supostamente ligadas ao Ministério de Belém, nas cidades de Palmas, Araguaína e Guaraí poderão ser fechadas por determinação da própria CGADB, como menciona na nota.

O suposto responsável pela abertura dessas igrejas em Tocantins pode ser penalizado com o desligamento da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil, que em seu estatuto veda, às convenções filiadas, a abertura de trabalhos fora da sua região eclesiástica, em conformidade com os artigos em destaque:

Art. 9º. É vedado aos membros da CGADB:

I – Abrir trabalhos em outra região eclesiástica e receber ministros ou membros de uma Assembleia de Deus no Brasil atingidos por medida disciplinar;

Art. 10. Perderão a condição de membros da CGADB os infratores do disposto no artigo 9.º deste Estatuto.

Leia a nota na íntegra:

Pastor José Wellington emite nota sobre abertura de igrejas no Tocantins | Seara News
Nota da Confradesp ( Clique na imagem para ampliar )