por Pr. Antônio Mesquita

Páscoa JudaicaComemoração da Páscoa judaica

A Igreja do SENHOR – o Corpo de Cristo – não observa a Páscoa. Ela é essencialmente judaica e, Jesus, ao comemora-la implantou a Ceia, pois não comeu ervas amargas com o cordeiro, pois Ele mesmo é o 'Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo'.

Páscoa faz parte da Velha Aliança (de Moisés, da Lei) e sua comemoração envolve o sacrifício de cordeiro, para ser posteriormente comido, assado (jamais cozido), com ervas amargas.

O cordeiro deveria ter até um ano e ser totalmente limpo, solteiro (não carneiro), sem nenhum defeito e completamente puro em todas as suas características.

Hoje, nem mesmo o judaísmo, religião do Pacto da Páscoa, observa-a como determina Moisés, pois o judaísmo é uma religião sem suas práticas fundamentais: sacrifícios no Templo, por seus sacerdotes, com uma série de formas, fórmulas e preceitos… Como nós poderíamos observá-la!?

CEIA

A Ceia é a Aliança do Novo Concerto – o Novo Testamento – efetuado por Cristo, o Cordeiro sacrificado pelo mundo. Portando, os seguidores de Cristo – os cristãos – não observam a Páscoa, umas das três e grandes festas anuais judaicas. 

Nossa grande festa, em que comemoramos a nossa libertação da carne, do mundo, da morte e da condenação eterna, por meio do Sacrifício de Cristo, que envolve seu nascimento, sua obra e ministério, seu sofrimento e holocausto (todo queimado, morto, oferecido), morte, ressurreição, ascensão e glorificação, é a Comunhão do Corpo – a Ceia, nosso triunfo Nele e esperança da Glória.

Se você é membro do Corpo (discipulado e batizado em águas, em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, conforme Ordenança de Jesus, estabelecida à Grande Comissão, em Mateus 28 (a Ceia completa as ordenanças), e em comunhão plena, pode participar da Ceia em Cristo – a nossa Páscoa, conforme 1Coríntios 7.5-6: "Alimpai-vos pois do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento, porque Cristo, a nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Pelo que façamos festa, não com fermento velho…". 

Antônio MesquitaAntônio Mesquita
Pastor, jornalista e escritor. Gestor-executivo da Comadems – Convenção dos Ministros das Assembleias de Deus no Estado do Mato Grosso do Sul. Editor do blog Fronteira Final

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui