Papa Bento XVI renuncia ao pontificado

1
57

Papa Bento XVI renuncia ao pontificado

Joseph Ratzinger diz que não tem vigor para continuar o pontificado e que deixará o cargo no dia 28 de fevereiro. O Sumo Pontífice alega que sua condição de saúde já não é adequada para o exercício de suas funções.

O Vaticano confirmou na manhã desta segunda-feira que o papa Bento XVI vai renunciar ao posto de líder mundial da Igreja Católica no próximo dia 28 de fevereiro. Ele anunciou em latim a decisão pela primeira vez durante um consistório (reunião de cardeais) no Vaticano nesta segunda-feira (11).

Em comunicado, o Papa disse que tomou a decisão por considerar que sua condição de saúde e idade avançada já não eram adequadas para continuar no cargo. Ele continuará realizando suas funções normalmente até o dia 28 de fevereiro.

“Após ter repetidamente examinado minha consciência ante Deus, eu tive a certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, não são mais ideais para um adequado exercício do ministério Petrino”, disse o Papa em comunicado.

A decisão do Papa é uma grande surpresa para a comunidade católica e para a imprensa mundial, uma vez que, apesar de rumores, não havia sinais de que ele estava prestes a renunciar. Na semana passada, um porta-voz do Vaticano disse que boatos de que Bento XVI renunciaria eram “criações infundadas de alguns jornalistas”.

BentoXVI-renuncia-ppEm entrevista coletiva para esclarecer a decisão do Papa, o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou na manhã desta segunda-feira que a decisão pegou “todos de surpresa”, incluindo os assistentes mais próximos. Ele também salientou que a decisão não foi tomada por quaisquer dificuldades que Bento XVI possar ter encontrado em seu papado, nem por uma doença específica, apenas pela idade avançada.

Bento XVI completará 86 em abril. Ele é o terceiro Papa mais velho da história, atrás apenas de Leão XII, que morreu aos 93 anos, e Clemente X, que chegou aos 86 anos.

O porta-voz disse que o novo Conclave para eleger um novo Papa deverá ser realizado em algum ponto de março, antes do final do mês. Bento XVI não irá participar da escolha, segundo Lombardi.

O porta-voz também anunciou Bento XVI deve ir à residência papal de verão, nas proximidades de Roma, após sua renúncia entrar em efeito. Posteriormente, o Papa deve retornar ao Vaticano para morar em uma residência reclusa e dedicar o restante de sua vida a orações, escrever e estudar a fé.

bentoXVI-renunciaEm entrevista à agências de notícas alemã DPA, Georg Ratzinger, irmão mais velho de Bento XVI, afirmou que o sumo pontífice tem cada vez mas dificuldades para andar, o que complica sua vida pública, e ressaltou que seu “irmão quer mas tranquilidade a esta idade”. “A idade oprime”, disse Georg.

O alemão Joseph Ratzinger, 85 anos, se tornou Papa em abril de 2005. Ele substituiu João Paulo II, que morreu no mesmo mês. Ao contrário do atual pontífice, João Paulo II permaneceu no posto mesmo doente até sua morte, aos 92 anos.

Bento XVI deveria vir ao Brasil em julho deste ano. Ele participaria da Jornada Mundial da Juventude que acontecerá no Rio de Janeiro.

Renúncia Papal

A renúncia de um Papa está prevista no Código de Direito Canônico, que estabelece que para que seja válida é necessário que seja livre e especifica que não precisa ser aceita por ninguém.

“Se o Romano pontífice renunciar a seu ofício, requer-se para a validade que a renúncia seja livre e se manifeste formalmente, mas que não seja aceita por ninguém”, estabelece o cânone 332,2 do Código de Direito Canônico, único elemento válido para julgar o tema.

O último Somo Pontífice a renunciar foi Gregório XII, em 1415. Bento XVI é o quarto Papa a renunciar ao cargo.

Leia abaixo a íntegra do discurso em que ele, falando em latim, fez o anúncio:

cartarenunciapapaafp“Caríssimos Irmãos,

convoquei-vos para este consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino.

Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor, quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado.

Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.

Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração, vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice.

Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.

Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013.

BENEDICTUS PP XVI”

Fonte: Terra e G1

1 COMENTÁRIO

  1. BENTO XVI, O líder da Igreja Católica Romana anuncia a sua renúncia. Conhecido pela sua rigidez dogmática, o Vaticano insiste que a decisão do papa não foi gerada por pressões internas. É claro que é muito cedo para uma análise, mas, o catecismo da ICAR não abre portas para os eventos da vida cotidiana de seus fiéis, que estão fora do seio da igreja por causa de seus poblemas sociais, conjugais e até de cunho pessoal. Além da imposição do celibato para os sacerdotes e a enxurrada de denúncias envolvendo o clero: abuso sexual, pedofilia e corrupção. Será que não houve pressão interna. Sim, Bento XVI (pp.) não tinha o veio carismático e político que legou o seu antecessor por mais de 20 anos a frente da ICAR, apesar de ser renomado doutor em Teologia e consagrado afirmador da doutrina da fé católica. Qual será o perfil do novo papa? Moderado? Conservador? Liberal? Muito embora a Santa Sé não confirme doença específica, mas a alegação da renúncia é de preservação da saúde do papa Bento XVI. Destarte, fico pensando sobre a atitude do sumo pontífice em relação ao poder. E quantos dos nossos líderes evangélicos deveriam ter passsado o cajado há muito tempo, mas preferem ficar até serem carregados pela alça do caixão a ver a igreja avançar por outro líder. Renunciar não é um descalábrio, é uma atitude digna, entendendo que a Igreja tem um Dono – Jesus Cristo. Por enquanto é isso volto ao assunto com mais profundidade no que diz respeito a reflexão sobre a nossa forma de liderança. Santa Paz de Cristo.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome