Onde está a incongruência?

0
28

"Onde está a incongruência?"

Reverendo Martin Luther King, pastor, pacifista, político.

Por Robson Aguiar

Onde está a incongruência ?Não me furtarei de comentar a respeito de uma opinião de um grande teólogo do nosso tempo, que desaprova a candidatura de pastores aos cargos políticos por entender que não há como exercer o sacerdócio e o mandato ao mesmo tempo. Também frisou em seu texto que o pastor não deve usar de seu status eclesiástico para manipular a sua igreja.

No tocante ao exercício do ministério pastoral até concordo que realmente aquele que é pastor de igreja vai sacrificar parte do seu tempo em viagens e expedientes, mas, isso já acontece com vários ministros do evangelho que não são assalariados pela igreja e que para sobreviver tem que trabalhar fora. Isso é uma questão polêmica, pois bem sabemos que correto seria o pastor viver do seu ministério, mas, as denominações divergem nesse particular, no nordeste principalmente a maioria dos pastores não vivem da igreja. Bom pontuar que existem os pastores itinerantes, esses, por não tomarem conta de rebanho, são exceção.

Agora, se o pastor pode trabalhar em um banco, hospital, polícia, na própria prefeitura ou governo com cargo comissionado ou concursado, porque não pode pleitear um cargo eletivo?

Outra coisa que quero acrescentar, é que na sua maioria os pastores são mais preparados para representar o povo e dentro da política se tornam mais respeitados pelos pares por sua posição de liderança conhecimento teológico e secular.

Um dos mais lembrados pastores que conheço por sua luta contra a divisão e preconceito racial, e que foi um grande político, foi Martin Luther King, cuja a biografia não se faz necessário apresentar.

Concluo, dizendo que independente dos escândalos existentes na política, um cristão, seja ele membro ou pastor, pode sim ser um político, pois é nas trevas que a luz brilha mais. Além do mais, temos visto os nossos representantes trabalharem para evitar que leis que beneficiam grupos isolados e que nos perseguem sejam impedidas de serem aprovadas.

Não podemos generalizar, não podemos demonizar a política em nenhuma esfera, existem até mesmo pessoas que não são evangélicas e possuem um comportamento ético, agora se alguém não concorda com essas palavras, é um direito que lhe cabe, seu livre pensamento, que até um tempo atrás queriam cercear, mas, que graças a Deus e aos nossos representantes cristãos não lograram êxito.

Robson Aguiar, pr.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome