Obama pede ao presidente do Irã que solte o pastor Saeed Abedini

0
36

Barack ObamaNa primeira comunicação entre os líderes dos Estados Unidos e do Irã desde 1979, o presidente Barack Obama na sexta-feira falou com o presidente Hassan Rouhani por telefone e pediu a libertação do pastor americano Saeed Abedini, que está em uma prisão iraniana por causa de sua fé cristã e foi torturado.

Obama, o primeiro presidente americano a falar com um presidente do Irã desde a Revolução Islâmica, observou a preocupação da nação a respeito de três cidadãos norte-americanos que foram mantidos no Irã em sua conversa de 15 minutos com o presidente iraniano.

Os três cidadãos dos EUA são Robert Levinson, Pastor Saeed Abedini e Amir Hekmati acusado de ser espião da CIA, de acordo com a Fox News. “Obama observou o nosso interesse de ver estes cidadãos americanos reunidos com suas famílias”, disse um alto funcionário da administração. Obama foi citado como dizendo.

Rouhani, que passou os últimos dias na Assembleia Geral da ONU, seguia para o Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York, quando Obama chamou-o aproximadamente às 02:30h de sexta-feira. A conversa centrou-se principalmente sobre a questão nuclear.

Esta é a primeira vez que Obama se pronunciou sobre a prisão de Saeed. A esposa do pastor, Naghmeh, disse: “é a notícia mais animadora que ouvi desde Saeed foi preso há um ano”.

"Eu sou muito grata ao presidente Obama por manifestar-se a favor de Saeed e de outros americanos que são mantidos em cativeiro no Irã", acrescentou Naghmeh. "Este desenvolvimento é realmente uma resposta à oração. Exorto o presidente Rouhani, como tenho feito ao longo desta semana, para liberar Saeed para que ele possa voltar para a nossa casa e nossa família nos Estados Unidos. Nos últimos dias, o Irã liberou 80 presos detidos por causa de suas crenças. Oro para que possamos ter Saeed nessa lista em breve".

"Após 35 anos de grandes tensões entre o Irã e os Estados Unidos, e muitos problemas que persistem na relação, uma reunião dos presidentes, pela primeira vez neste período viria naturalmente, juntamente com certas complicações próprias", disse Rouhani em conferência de imprensa.

"Estamos muito encorajados pelo presidente Obama elevar a prisão ilegal do americano Saeed Abedini com o presidente iraniano, Rouhani", disse Jordan Sekulow, diretor-executivo do Centro Americano para Lei e Justiça, que representa Naghmeh e seus dois filhos. "Apelo do presidente Obama ao presidente Rouhani para liberar Saeed para que ele possa se reunir com sua família é um passo significativo neste caso crítico".

O Departamento de Estado tem repetidamente condenado o Irã manter a prisão do pastor Saeed, e mais de 100 mil pessoas têm escrito cartas ao presidente Rouhani pedindo a liberação de Saeed.

Naghmeh falou nas Nações Unidas para buscar medidas dos Estados-Membros em nome de seu marido.

Saeed Abedini e famíliaSaeed – que cresceu no Irã antes de se converter ao cristianismo na idade de 20 anos – viajou com a sua família indo e voltando ao Irã e aos EUA várias vezes ao longo dos últimos anos para atender a sua família e o trabalho cristão. Durante uma dessas viagens, em 2009, ele foi detido por autoridades iranianas e interrogado por sua conversão. Ele foi liberado com uma advertência contra a engajar-se em atividades da igreja. Ele foi novamente preso em julho passado, enquanto trabalhava em um projeto não-sectário de orfanato.

Saeed foi condenado a oito anos de prisão no início deste ano sob acusação de pôr em risco a "segurança nacional", mas o ACLJ (Centro Americano para Lei e Justiça) acredita que a punição tem mais a ver com a fé cristã de Saeed.

O antecessor de Rouhani, Mahmoud Ahmadinejad, que foi presidente de 2005 até o mês passado, tornou-se autoritário e começou a restringir a liberdade civil após a sequência de protestos em massa, conhecida como a Revolução Verde, sobre sua vitória reivindicada nas eleições de 2009 que se acreditava serem manipuladas a. Perseguição de minorias religiosas cristãs e outras também foi parte da tentativa de Ahmadinejad para apertar o controle sobre todos os aspectos da vida das pessoas em face da insegurança nacional.

Não está claro se Rouhani, um ex-comandante das defesas aéreas iranianas, tem muito a dizer em matéria de segurança nacional, que é o domínio do líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei. Os cristãos são perseguidos no Irã sob o manto da "segurança nacional".

Fonte: The Christian Post (Texto original)
Tradução: Seara News

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome