O que é o Jejum? E qual o seu propósito nas escrituras?
Assim como a oração, o jejum é extremamente necessário para o equilíbrio da nossa vida em Deus | Foto: Pixabay

O jejum descrito e praticado nas Escrituras tem como objetivo proporcionar uma amplitude espiritual sobre a vida de quem o exerce  

Por Jhones Bazelatto

A princípio a ideia inicial a respeito da pratica caracterizada como “Jejum” no dicionário popular seria a abstinência, total ou parcial, de alimentação ou bebidas sobre determinados dias ou horas, sendo por penitência ou prescrição religiosa, ou médica, trazendo uma desintoxicação do corpo.

Porém, o jejum descrito e praticado nas Escrituras tem como objetivo proporcionar uma amplitude espiritual sobre a vida de quem o exerce.  Podemos dizer que o propósito primário do Jejum é a mortificação da carne, que serve como um equilíbrio da vida espiritual sendo essa a principal fonte de conexão direta com Deus.

“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” (João 4.23) – versão JFA-RC.

Não existe uma data preconizada para exercer a prática do “Jejum”, também não se tem uma definição comumente de maneira arbitraria sobre o período de tempo que deve permanecer a abstinência dos alimentos e líquidos, sendo assim cada um tem liberdade de estabelecer o período necessário para alcançar a premissa necessária do propósito pré-estabelecido no jejum.

Período de tempo do Jejum

Embora não tenha exigência a respeito do determinado período de tempo do jejum, encontramos alguns exemplos nas escrituras sobre os períodos realizados:

– O jejum do Dia da Expiação que tinha a duração de “1 dia” (Lv 16.16,21). A data da celebração desse jejum era no 10 de Tishrei (sétimo mês do calendário judaico – Lv 16.29) e sua celebração começava no pôr do sol do dia anterior e segue até o anoitecer do dia posterior.

O jejum de Ester (Et 4.16) e de Paulo que durou “3 dias” (At 9.9). Ambos feitos para um determinado propósito;

O Jejum por luto pela morte de Saul que dourou “7 dias” (I Sm 31.13);

O jejum involuntário de Paulo e os que com ele estavam no navio que durou 14 dias (At 27.33);

O jejum de Daniel em favor de Jerusalém que durou “21 dias” (Dn 10.3);

– O jejum do Senhor Jesus no deserto que dourou “40 dias” (Lc 4.1,2);

Tipos de Jejum: alguns exemplos nas Escrituras

– Jejum normal – não comer nada, só beber água. Este é o tipo de jejum mais normal, que Jesus fez no deserto (Mateus 4.1,2 – um detalhe a ser observado que o texto diz que ele não comeu e por isso teve fome, e não que teve sede pois o texto não menciona a respeito).

– Jejum total – este é o mais radical, que só aconteceu em situações extremas, como o caso de Ester, e nunca por mais de três dias (Et 4.16).

– Jejum parcial – durante três semanas Daniel não tomou vinho, carne ou coisas saborosas (Daniel 10.2,3). É o mais recomendado para pessoas com algum impedimento para fazer um jejum normal, como trabalho muito pesado ou problemas de saúde.

O tempo de Jejum só é acrescentado relativamente de acordo com suas limitações e necessidades, e principalmente o peremptório do propósito criado, e para isso não importa o tempo o importante é que seja realizado.

Como deve ser feito o jejum?  

Logo, se for feito apenas a abstinência de alimentos e líquidos sem “oração e propósito” o jejum se torna algo monótono sem sentido. Entendemos que o jejum é uma forma de mortificar nossa carne e nos alinhar espiritualmente, com isso o mesmo deve ser feito com oração sendo o principal meio de nos comunicamos com Deus.

“Porém esta espécie de demônios não sairá enquanto vocês não tiverem orado e feito jejum” (Mateus 17.21) – Versão VIVA.

A exemplo desse texto, entendemos que ao jejuar passamos a remover aquilo que limita a nossa fé, ou seja a carne. Por essa razão o jejum deve ser feito juntamente com a oração para fortalecer o Espírito.

Encontramos um exemplo nítido sobre o jejum sendo realizado de maneira errada:

“O povo pergunta a Deus: ‘Que adianta jejuar, se tu nem notas? Por que passar fome, se não te importas com isso?’ O SENHOR responde: ‘A verdade é que nos dias de jejum vocês cuidam dos seus negócios e exploram os seus empregados” (Isaias 58.3) – Versão NTLH.

O jejum deve ser realizado com um propósito verdadeiro e especifico e não para objeções pessoais. Jesus condenou a pratica do jejum realizada sem as motivações corretas, onde os Fariseus faziam tal ato para mostrar sua devoção e disciplina espiritual, porém não tinha propósito.

“Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuardes, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Mateus 6.16-18).

Aqui Jesus está condenando claramente o chamado exibicionismo dos fariseus que buscavam como meio de comprovar sua espiritualidade. Observa que Jesus nesse texto não está proibindo falar sobre o “Jejum”, até porque a Bíblia deixa claro sobre dias específicos de pessoas que jejuaram como o caso do próprio Jesus que ficou 40 dias, assim como Paulo 3 dias, certamente ambos detalhes descritos por eles mesmo.

Qual o propósito do Jejum?

O propósito fundamental de jejuar é exatamente a mortificação da carne para uma amplitude de fé e vida espiritual em Deus, porém biblicamente encontramos outros propósitos:

  • Interceder por causa das aflições – (2 Sm 12.16-23; 2 Cr 20.3).
  • Um clamor por uma proteção – (Ed 8.21-23)
  • Por aqueles que estavam enfermos – (Sl 35.13)
  • Interseção sobre a nação – (Dn 9.3)

Então, assim como a oração, o jejum é extremamente necessário para o equilíbrio da nossa vida em Deus, e para petições propositais visto que por meio desse ato nos abstemos de nós mesmos.

Para refletir
O fato de jejuar não tornará Deus mais bondoso ou misericordioso para conosco, ele está ligado diretamente a nós, à nossa necessidade de romper com as barreiras e limitações da carne. Jejuar deixará nosso espírito atento, pois mortifica a carne e aflige nossa alma. (JBazelatto)

Colabore com o trabalho do portal Seara News, contamos com seu apoio para ampliar e fortalecer nossa atuação, acesse agora apoia.se/searanews e faça sua doação.

Seara News 25 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO ABAIXO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui