O que é a Mordomia Cristã
Escola Dominical – Lição 1 – 3º Trimestre de 2019 – O que é a Mordomia Cristã

Subsidio da Lição 1: “O que precisamos saber sobre Mordomia Cristã”.

Mordomia Cristã. Caros professores da Escola Dominical, estamos dando inicio a mais uma etapa de lições bíblicas. Esta, por sua vez, veio para nos desafiar e ao mesmo tempo nos tirar do comodismo cristão.

As palavras chaves inseridas nesta lição um são: “Deus, mordomo, mordomia e cristão”. Pelo que pude ver, não há necessidade de nos aprofundarmos nos significados desses termos referentes ao assunto, porque o comentarista, pastor Elinaldo Renovato, o faz com muita precisão. No entanto, nos deteremos em alguns pormenores sobre a questão sem irmos muito a fundo.

De inicio veremos três substantivos e um verbo sobre o verbete mordomo, logo mais conversamos sobre os outros termos e suas aplicações.

Que fique claro que nesta primeira lição trabalhei apenas as traduções e definições de alguns termos, nas outras, veremos algo de cunho mais aplicativo.

Três substantivos gregos sobre o termo mordomo

1 – Oikonomos – denota primeiramente “o administrador de uma casa ou propriedade”. Neste caso temos “Oikos” que é casa, e “Nemô” que é arranjar ou ainda organizar. Literalmente à luz do grego, este termo resume um escravo arrumador de casa (ou da casa de seu senhor. Este mordomo escravo era uma espécie de “escravo livre” que fazia tudo debaixo de uma liberdade (Lc 12.42; 16.1,3,8; 1 Co 4.2; Gl 4.2).

Partindo para o âmbito metafórico da questão, este termo “mordomo” pode ser aplicado:
a) aos pregadores e mestres da palavra de Deus (1 Co 4.1);
b) despenseiros, pastores e bispos da igreja (Tt 1.7);
c) aos crentes em geral (1 Pe 4.10).

2 – Epitronos – este termo é encontrado no grego do novo testamento em Mt 20.8, e a ideia é de um procurador ou guardião.

3 – Oikonomia – esta expressão é usada em Lc 16.2-4 e indica mordomia.

Um verbo

Oikonomeô – a ideia geral é apontar uma pessoa que atua ou é um mordomo de uma casa; sendo que o pensamento mais correto para se aplicar este termo é: “ser mordomo de uma casa”.

Exegese dos termos “oikonomos” e “oikos”

Baseado no termo “oikonomos”, o mordomo atuava como um administrador da casa. No entanto, baseado no termo “oikos”, este mordomo não era apena um administrador de uma casa simples ou comum onde residia uma família normal. O termo “oikos”, por sua vez, nos leva mais adiante e nos faz entender que resume os termos:

a) Lar – vai além do significado casa como moradia, pois, revela o estado de uma verdadeira família, independente de terem um teto ou não.

b) Casa – esta palavra usada em sentido figurado pode liberar muitos outros sentidos, porém, aqui veremos apenas a casa como um local fechado que abrigava as famílias em geral.

c) Família – responsável pela formação de uma sociedade boa ou má; jamais existirá sociedade sem família constituída.

d) Templo – neste caso, apontamos o Tabernáculo e o Templo como meio de religião ou de prestação de sacrifício ao Deus verdadeiro.

Temos por assim dizer quatro tipos de administradores: do lar, da casa, da família e do templo.

Notem que o termo “oikos” pode ser entendido partindo destes quatro vocábulos. Nunca pense que um termo bíblico sempre aparecerá ausentado de sinonímia; saiba que dar atenção aos sinônimos das palavras evita muitas interpretações errôneas.

Nota etimológica do termo “oikonomos”

(I) Particularmente: Alguém que tem autoridade sobre os servos ou escravos de uma família para designar as suas tarefas e suas porções de alimentos. Juntamente com esta função, a administração geral de assuntos e contas (Lc 12.42). Normalmente, estas pessoas eram, elas mesmas escravas – José e Eliezer (Gn 15.2; 39.4).

(II) Em sentido mais amplo: Alguém que administra uma função pública, um administrador, ministro, agente. Sobre o agente fiscal de uma cidade ou estado, tesoureiro (Rm 16.23).

(III) Metaforicamente: Apontando os apóstolos e outros professores, como administradores ou Ministros do Evangelho (1 Co 4.1; Tt 1.7; 1 Pe 4.10).

Nota etimológica do termo “oikos”

(I) De modo geral: Mt 9.6,7; Mc 5.19; Lc 1.40; Jo 7.53; At 2.46; 5.42; 8.3; 10.22; 20.20; Rm 16.5. As ideias aproximadas que temos partindo destes termos são as seguintes: “vários tipos de casas, ou edifícios como a casa do rei, um palácio, uma casa de comercio, com o significado de bazar; especificamente a Casa de Deus significando o Tabernáculo ou Templo onde sua presença habita.

(II) Como metonímia: Ama casa, família, e aqueles que vivem juntos em uma casa (Lc 10.5; At 10.2; 11.14; 16.15; 1 Co 1.16; 2 Tm 1.16; Tt 1.11). Família, linhagem, posteridade, descendência, descendentes de um líder ou ancestral; como por exemplo, a casa de Davi (Lc 1.27,69; 2.4). Todo um povo descendente de um ancestral, como a casa ou povo de Israel (Mt 10.6; 15.24); a casa de Jacó (Lc 1.33); a casa de Davi (Hb 8.8).

(III) Em sentido coletivo: As casas ou habitantes de uma cidade ou nação (Mt 23.38; Lc 13.35).

Encerramos aqui o subsídio da 1ª lição: “O que é a Mordomia Cristã” – para professores e alunos das classes de adulto do 3º trimestre de 2019, CPAD, abordando o tema central Tempo, bens e talentos.

Para refletir:

“Como mordomos do reino de Deus, todos devemos exercer o cargo de atuar como Jesus atuou em seu ministério terreno; se falharmos nesta mordomia logo deixaremos de ser sua igreja” (Eneias S. Ribeiro).

Bibliografia
Dicionário Vine – W.E.Vine

Bíblia de estudo palavras chave – Hebraico-Grego
Leia também:
– Lição 12 – A Nuvem de Glória
– Lição 13 – O Sacerdócio Celestial
Saiba mais sobre o autor: Enéias S. Ribeiro
DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui