Novembro Azul: Câncer de próstata, preconceito ainda mata
Novembro Azul: Câncer de próstata, preconceito ainda mata! | Imagem: Edição Seara News

De janeiro a agosto de 2019 foram diagnosticados no estado 577 novos pacientes com a doença e 216 capixabas perderam a vida em decorrência do câncer de próstata.

Novembro tornou-se nos últimos anos um período simbólico para discussão da saúde masculina, dentro da campanha conhecida como “Novembro Azul” de conscientização e combate ao câncer de próstata. Em 2009 o Brasil instituiu a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, colocando o país, ao lado de Irlanda e Austrália, na vanguarda do enfrentamento ao segundo câncer mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do de pele.

Em 2018, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram 68.220 novos casos registrados e 14 mil óbitos no País.  A estatística revelou que a cada 100 mil brasileiros, 66 foram diagnosticados com o nódulo. Dados da Secretaria de Estado da Saúde apontam que no Espírito Santo, 1.510 casos de câncer de próstata foram registrados no último ano. De janeiro a agosto de 2019 o Estado diagnosticou 577 novos pacientes e 216 capixabas perderam a vida com a doença. A maior parte das vítimas fatais tinha entre 60 e 79 anos.

Nos últimos anos sociedade e poder público se uniram em torno da conscientização sobre a importância dos exames que detectam cânceres masculinos, como o de próstata e o de testículos. As campanhas informativas abordaram, principalmente, o preconceito: maior obstáculo na prevenção da doença.

Embora o trabalho de conscientização e informação tenha aberto caminho para a abordagem da enfermidade, a população masculina ainda resiste aos exames de detecção do nódulo.

Fatores de risco e taxas de mortalidade

Embora a recomendação de que o exame seja feito a partir de 40 anos, a Sesa informa que o risco de adquirir a doença aumenta conforme o avanço da idade, e não podemos vacilar. No Brasil, segundo a secretaria, cinco em cada nove pacientes diagnosticados têm mais de 55 anos.  Além disso, homens com casos de câncer na família, fumantes ou com sobrepeso também apresentam maior chance de desenvolver a doença.

Sintomas e prevenção

Estudos apontam que na fase inicial o câncer de próstata costuma não apresentar sintomas. Por isso, segundo o INCA, é importante observar fatores como dificuldade durante o ato de urinar, sangue na urina e diminuição do fluxo, além de necessidade de urinar muitas vezes ao dia.

Para prevenir, além de ter uma alimentação saudável, especialistas recomendam 30 minutos diários de atividades físicas, controlar o peso, evitar álcool e o fumo.  A prevenção, no entanto, continua sendo a melhor maneira de identificar a doença logo no início.

Exames

O exame mais popular e menos invasivo ainda é o PSA, que embora eficaz, tem uma taxa considerável de falsos positivos. De acordo com o urologista Dr. Gotardo Zini, embora existam literaturas acerca de novos exames e até mesmo testes de vacinas para prevenir a doença, a Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que sejam utilizados os procedimentos já conhecidos, como o exame de sangue e o de toque e, em casos de suspeitas, a realização da biópsia.

Em alguns casos, é recomendada também a ressonância multiparamédica, que mapeia possíveis áreas afetadas pela neoplasia. Vale lembrar que o Sistema Único de Saúde oferta os exames de sangue, toque e a ressonância.

“O que detecta o câncer de próstata é a biópsia e não os exames de sangue e toque. Em muitos casos, o paciente acredita que apenas os exames detectam a doença e isso é um engano”, afirma o especialista.

Combate à doença no ES

Para diagnosticar e combater a doença, o Estado conta com o Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon) e seis estabelecimentos de saúde habilitados como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) para o tratamento de câncer de próstata.

O Hospital Santa Rita de Cássia (HSRC-AFECC) – instituição filantrópica conveniada ao Sistema Único de Saúde (SUS) é classificada como Cacon. São classificadas como Unacon: Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim (HECI); Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes (Hucam); Hospital Santa Casa de Misericórdia de Vitória (HSCMV); Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV); Hospital Maternidade São José (HMSJ); e o Hospital Rio Doce.

Mutirão

 A Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa do Espírito Santo promoverá um mutirão de conscientização e prevenção do câncer de próstata e do diabetes no dia 26 de novembro, às 8 horas, em frente ao Shopping Vitória.

Para o presidente da comissão, deputado Dr. Hércules (MDB), a conscientização deve ser reforçada durante todo o ano. “O Novembro Azul é apenas uma data em que reforçamos a necessidade de realizar os exames, mas a conscientização deve ser constante. O quanto antes a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura”, lembra.

Fonte: Ales

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui