Monumento em homenagem à Reforma Protestante em Genebra é vandalizado
Muro da Reforma vandalizado em Genebra (Foto: LemanBleu.ch)

O Muro da Reforma, monumento representando Calvino, Farel, Bèze e Knox apareceu coberto de tinta com as cores do arco-íris. A cidade registra uma reclamação.

Os turistas que passeavam pelo Parc des Bastions em Genebra (Suíça), nesta segunda-feira (15), viram que o Muro da Reforma havia sido vandalizado.

O monumento em homenagem à Reforma Protestante é uma das principais atrações turísticas da cidade em que João Calvino, um dos principais reformadores protestantes franceses, desenvolveu seu trabalho depois de 1536.

O Muro da Reforma foi inaugurado em 1909, e também homenageia a influência de Guilherme Farel, Teodoro de Beza e John Knox.

A tinta foi jogada no monumento conforme as cores do arco-íris, que é um símbolo dos grupos LGBT. Na primeira reação, a polícia disse que ninguém havia reclamado o ataque. De acordo com o site local LemanBleu, o conselho da cidade de Genebra registrará uma queixa criminal. Funcionários trabalhando no parque disseram que o monumento seria limpo o mais rápido possível.

Houve vários atos de vandalismo contra o monumento protestante no passado. De acordo com o jornal Le Matin, em março, ativistas feministas escreveram um graffiti na parede dizendo: “Onde estão as mulheres?”

O Muro

O Muro dos Reformadores é um dos monumentos mais famosos e simbólicos da cidade de Genebra. Com aproximadamente 100 metros de comprimento e cinco de altura, a construção marcou a comemoração dos 400 anos do nascimento de João Calvino, um dos principais nomes da Reforma na Suíça.

Monumento em homenagem à Reforma Protestante em Genebra
A partir da esquerda: Guilherme Farel, João Calvino, Teodoro de Beza e João Knox

O monumento na sua parte central representa os quatro pioneiros da Reforma Protestante vestidos com a capa de Genebra:

– Guilherme Farel (1489 – 1565) é um dos instigadores da Reforma em Genebra;
– João Calvino (1509 – 1564) é a personagem chave desse movimento;
– Teodoro de Beza (1513 – 1605) foi reitor da Academia de Genebra e sucessor de Calvino; e,
– John Knox (1513 – 1572) foi o fundador do culto presbiteriano na Escócia.

No pedestal onde se encontram estas estátuas está gravado o Cristograma: ΙΗΣ (Jesus Homem e Salvador).

No monumento também se vê a divisa de Genebra: Post Tenebras Lux (Depois das trevas, a luz).

Deixou marcas profundas na arquitetura e economia genebrina. Alguns dos locais importantes e representativos desse momento histórico seguem existindo e o Muro dos Reformadores é um desses locais.

A Reforma

A Reforma foi um movimento revolucionário religioso que aconteceu dentro do catolicismo, no século XVI, na qual Genebra foi um dos principais centros. Teve início na Alemanha em 1517 com Martinho Lutero e encontrou terreno fértil para crescer e se propagar por causa da corrupção dentro da Igreja Católica. Contudo, os pensamentos deste movimento religioso só começariam a soprar em Genebra em 1525.

Levou mais 10 anos para que Genebra adotasse a nova religião, apenas entre 1535 e 1536. Isso aconteceu por conta do empenho de Guilherme Farel, um personagem importante dentro desta revolução religiosa.

Entretanto, o movimento ganhou realmente forças com a chegada de João Calvino em 1536 à cidade suíça.

Com informações de Evangelical Focus / EPM / Wikipédia

DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui