Missões Transculturais: Queria confiar e me entregar a Deus. Mas, entregar é liberar o todo sem reservas…

1
57

Missões Transculturais: Queria confiar e me entregar a Deus. Mas, entregar é liberar o todo sem reservas...

A incoerência do que cantamos e do que praticamos em relação a missões transculturais

Por Clarismundo Batista

Às vezes paro para pensar sobre o que se canta nas igrejas hoje em dia, sobre uma entrega total e verdadeira ao Senhor. Creio que na maioria das igrejas, inclusive em nossa igreja aqui em Moçambique cantamos: “te dou meu coração, eu te dou a minha alma”, outras vezes cantamos: “Se Cristo comigo vai eu irei” ou ainda “usa-me como um farol, como ponte”, “Eu vou, eu vou”. Enfim, nossas igrejas estão repletas de hinos onde a tônica principal é a entrega, a disposição para servir ao Senhor. No entanto, quando se faz um apelo missionário, nestas reuniões, para alguém dedicar seu tempo, suas mãos, seu negócio, sua vida à obra missionária transcultural, em lugares realmente necessitados do evangelho, vemos que não passou de uma música apenas, não há realmente uma entrega.

Hoje não temos nem 1,0% da igreja brasileira servindo na obra missionária transcultural, se falarmos em povos não alcançados este número cairá ainda mais. Ou seja, até quando iremos cantar o que não vivemos, até quando vamos cantar o que não acreditamos?

Imagine alguém, cantando: “Te dou meu coração, eu te dou a minha alma, eu vivo só para ti”, e o Senhor diz: “ide por todo mundo e pregai o meu evangelho” (Marcos 16.15). Qual deveria ser a reação desta pessoa que cantou o hino? Com certeza deveria ser a mesma do profeta Isaias: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaias 6.8). Mas por que isso não acontece? Teríamos muitas respostas a esta pergunta, mas a realidade é que hoje em dia não priorizamos o que realmente é importante para Deus. Damos valor às coisas que o Senhor diz que nos seguirão, caso as prioridades estejam corretas. Com isso, tratando-se de Missões Transculturais as palavras do Senhor estão cada dia mais atuais: “Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos; rogai, pois, ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara” (Lucas 10.2).

Pensemos em regiões como o norte da África, algumas regiões da Ásia e o Oriente entre outros, quando estivermos cantando hinos de entrega e consagração ao Senhor.

Clarismundo de Oliveira Batista
Bacharel em teologia, escritor, pastor na Igreja Batista Filadélfia, casado com a Prª Deise Rabelo, foi Missionário na Europa, e atualmente é missionário da Missão Antioquia e IBF na África.
Correspondente de Seara News na África. 

1 COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome