Meu caminho para ser PMP - Project Management Professional

Por Thiago Pina

Vou compartilhar minha experiência para alcançar a certificação PMP (Project Management Professional) pois com certeza foi a mais difícil que fiz até hoje, e muita gente poderá ser ajudada com algumas lições aprendidas valiosas acumuladas em meses de estudo e muita dedicação.

Para ser PMP, o PMI (Project Management Institute) exige que sejam comprovadas no mínimo 4500 horas de experiência em projetos e 35 horas de educação formal em gerenciamento de projetos. Não vou falar muito disso, mas é importante conhecer bem as regras para ir se preparando o quanto antes.

Em meados de novembro do ano passado decidi fazer a inscrição para a prova. Após pagar a taxa e receber meu código de autorização para agendar a prova, fiz o agendamento no centro Prometric do RJ, para mim o lugar mais perto já que no meu estado ainda não existe um local de aplicação da prova por computador, pelo qual o resultado é dado na hora.

Com a prova agendada, planejei bem os estudos e mergulhei em todo material disponível para me preparar o máximo possível. Algumas pessoas optam por fazer um curso preparatório, existem vários na internet, inicialmente preferi não fazer isso e estudar sozinho, mas tem que ter disciplina e disposição, pois, a rotina não é fácil.

Inicialmente li o PMBOK 5ª edição, considero essa leitura obrigatório pelo menos uma vez. Além dele, adquiri o material de estudos da Rita Mulcahy (http://www.rmcls.com/about/rita.aspx), tanto o livro quanto o simulado (http://shop.rmcls.com/index.aspx). Após a leitura do PMBOK, iniciei a leitura do livro da Rita, fazendo os exercícios, mas pulando os simulados que ela coloca ao final de cada capitulo. Quando terminei todo o livro, voltei relendo as partes mais importantes e fazendo o simulado no final de cada capitulo, criei uma planilha simples no Excel que tinha cada área com minha performance, assim fui controlando onde precisava melhorar. No final dessa empreitada eu tinha um relatório completo do meu desempenho. Diante desse relatório, pude perceber minhas deficiências e assim trabalhei duro, pesquisando em outras fontes sobre o assunto e fazendo alguns resumos para fixar melhor o conhecimento. Nessa pesquisa, encontrei no Youtube uma playlist muito bacana do Carlos Jacobino, (clique aqui), ele é professor de um curso preparatório e gravou todas as aulas do curso na 5ª edição do PMBOK e colocou na internet de graça. Achei fantástico, me ajudou muito, pois com algumas explanações que ele faz nas aulas pude assimilar melhor alguns conceitos importantíssimos para o exame. Usei muito o Evernote, já tinha o app no smartphone, instalei também no computador pessoal, criei um caderno de anotações exclusivos para a prova e fiz resumos das aulas do Carlos Jacobino, separados por área de conhecimento, contendo anotações do livro da Rita e observações que fiz na correção dos simulados, além da lista de PMI-Ismos que a Rita dispõe em seu livro. Já em fevereiro, após assistir todas as aulas, ler todo material e já ter feito quase 1000 questões de simulado, comecei a fazer os simulados de 200 questões com cronometro de 4 horas que é o tempo da prova, faltava um mês e eu tinha que me preparar para administrar o tempo. Nas primeiras vezes a performance estava legal, mas ainda abaixo de meus objetivos, em torno de 70%. A recomendação é que o desempenho esteja em torno de 80% antes de prestar o exame. A cada simulado que fazia, eu deixava uma planilha aberta e anotava o ID das questões que tinha muita dúvida para responder, essa lista de questões seria analisada cuidadosamente, uma por uma, para não sobrar lacunas em meus conhecimentos. As questões erradas eram revistas também, uma a uma, e a cada dúvida eu voltava no PMBOK e no livro da Rita, ou até mesmo na aula do Jacobino. Nos 15 dias antes do exame, fiz imersão em simulados, ao todo fiz em torno de 2000 questões, minha performance um dia antes da prova estava na casa dos 85%, isso me deixou mais confiante e seguro.

O detalhe que ainda me preocupava é que a prova foi modificada em janeiro de 2016, ou seja, muito do que eu estava fazendo no simulado, como por exemplo questões sobre ética, nem cairiam na prova que eu prestei em março de 2016, e outras questões que não estavam sendo abordadas no meu simulado seriam abordadas na prova. Ao todo foram 25% de modificações na prova, por isso, ter experiência e preparo foi fundamental para ter sucesso nesse projeto. São anos de trabalho em projetos, na área financeira, varejo, serviço e indústria. Ter conhecimento de muitos processos de negócio ajudou muito. Áreas como qualidade e aquisições que são muito complicadas para muitas pessoas foram fáceis devido a minha convivência com elas em projetos e nas empresas onde trabalhei, o fato de trabalhar com TI (Tecnologia da Informação) em muitos projetos de ERP (Enterprise Resource Planning) entre outras tecnologias ajudou muito.

Recomendo para quem está nessa busca que faça um planejamento, não só para a prova, mas de carreira. Que siga seus objetivos, que defina metas, e não olhe apenas para suas forças, mas também para suas fraquezas, pois aí você encontrará grandes oportunidades de melhorar e fazer mais.

Sucesso!!!

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui