Justiça mantém 'Dia do Jejum e da Oração' no calendário oficial do DF
Câmara Legislativa do Distrito Federal | Foto: Reprodução/Internet

A Justiça do Distrito Federal negou a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), acionada pelo governador do DF Ibaneis Rocha (MDB), e decidiu que a lei que inclui o Dia da Oração e Jejum no calendário de Brasília é constitucional.

A data, 12 de outubro, entrou para o calendário oficial de eventos da capital após ser promulgada pelo presidente da Câmara Legislativa (CLDF), Rafael Prudente (MDB), em junho de 2020.

O projeto de lei que cria o “Dia do Jejum, da Oração, do Arrependimento e do Perdão para a Glória de Deus” é de autoria do deputado Valdelino Barcelos (Progressistas).

- Publicidade -

Anteriormente, a PL já havia sido vetada pelo governador Ibaneis. Na ação contra a implantação da data, Ibaneis, através da Procuradoria do Distrito Federal, alegou que a criação do Dia do Jejum e Oração “ofende o princípio da laicidade do Estado” e implica, “indevida subvenção [incentivo] a culto religioso, a pretexto de inclusão de evento no calendário oficial”, o que, segundo o processo, é vedado pela Lei Orgânica do DF.

Para o desembargador José Cruz Macedo, “não há inconstitucionalidade a ser reconhecida na norma distrital” e que “não atenta contra a laicidade estatal nem subvenciona indevidamente culto religioso, a exemplo do que ocorre em várias outras comemorações”.

“A tolerância [a atos religiosos] não torna o Estado clerical, tampouco fere interesses daqueles que não professam qualquer tipo de fé, ou, ainda, daqueles que não se identificam com a crença referida em evento religioso específico”, explicou o magistrado.

De acordo com o autor da PL, deputado Valdelino Barcelos, o propósito da data é “consagrar a prática do jejum e da oração”.

“Um dia a ser comemorado para refletirmos sobre as nossas vidas, dos nossos irmãos, para desejarmos bênçãos, solicitarmos proteção, paz, implorarmos perdão e luz para todos presentes em nosso meio social”, afirmou o deputado.

Barcelos também destacou os benefícios da oração e do jejum em tempos de pandemia. “O povo cristão acredita na oração como uma reflexão e também uma das formas mais importantes de transmitir paz e proteção. Vivemos um momento único, onde a oração tem sido o conforto, o equilíbrio e porto seguro de muita gente”, declarou.

Leia também:
O que é o jejum e qual o seu propósito nas Escrituras?
Um dia pelo Brasil – 24 horas de jejum e oracao
A imprescindível necessidade da prática do jejum bíblico

Fonte: Point Rhema / Guiame

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
Se encontrou algum erro, ou deseja sugerir uma pauta, falar conosco. Clique aqui!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui