Irã liberta presos, inclusive cristãos, para limitar propagação do coronavírus
O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, usou luvas de proteção em uma cerimônia. (Foto: AFP / BBC News Brasil)

O governo do Irã está liberando presos como medida para impedir propagação do coronavírus.

Como parte dos esforços para limitar a propagação do coronavírus, o Irã libertou 54 mil prisioneiros, entre eles seis cristãos.

No dia 26 de fevereiro, Ramiel, filho do pastor Victor Bet-Tamraz, foi libertado da prisão de Evin, em Teerã, no Irã. As informações foram confirmadas pela filha do líder cristão e irmã do ex-prisioneiro, Dabrina, ao site britânico Article 18.

O cristão assírio cumpria pena de quatro meses por “ameaça à segurança nacional”, já que participava de uma igreja doméstica no país. Ele já havia cumprido um mês da sentença e foi convocado em janeiro para completar o restante da pena.

Durante o tempo preso, o cristão aproveitou para se reunir com outros seguidores de Jesus. Nesses momentos, eles oravam uns pelos outros e revezavam a exposição da Bíblia.

Dabrina testemunhou que Ramiel estava bem, apesar de viver preso, e tentava levar com bom humor toda a situação. A libertação do cristão estava prevista para o dia 22 de março, início do Ano Novo persa.

Irã liberta presos, inclusive cristãos, para limitar propagação do coronavírus
O pastor Victor, o filho dele Ramiel e a esposa Shamiran foram condenados por seguirem Jesus no Irã. (Foto: Portas Abertas)

Além de Ramiel, Fatemeh Mohammadi (Mary) e outro cristão ex-muçulmano que não pode ser nomeado foram libertados na quarta-feira da semana passada, conforme informa o site Article 18.

Veja também: Ativista cristã deixa prisão no Irã após pagamento de fiança

Já na segunda-feira, 2 de março, outros três cristãos convertidos do islamismo receberam 36 dias para deixar a prisão. Entre eles estão Rokhsareh Ghanbari, que cumpria pena de um ano, Amin Khaki, condenado a 14 meses de prisão, e um terceiro cristão que não pode ser identificado.

Mary foi obrigada a pagar fiança de cerca de 2 mil dólares. Já Amin teve que pagar o equivalente a 3 mil dólares.

Perseguição religiosa

No país, que ocupa a 9ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020, muitos líderes cristãos são condenados e recebem longas penas, podendo chegar até 15 anos de reclusão.

Apesar das igrejas assíria e armênia serem reconhecidas pelo Estado, os membros são considerados cidadãos de segunda classe no país e estão proibidos de ter contato com cristãos ex-muçulmanos. 

Pedidos de oração

Agradeça pelos cristãos que foram libertados e peça ao Senhor que restaure a paz em seus corações. Ore pelos demais cristãos ainda presos. Que Deus os proteja de maneira especial neste momento delicado onde há possibilidade de infecção pelo coronavírus. E que na hora certa, eles sejam libertados.

Interceda para que outros presos enxerguem Jesus na vida de cada cristão e que eles experimentem o amor do Pai.

Com informações da Portas Abertas

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”
.
Seara News 25 anos

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui