Sobre a interpretação das Escrituras

0
41

Por Robson Aguiar

Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação (2 Pedro 1.20).

Interpretação das Escrituras SagradasAssuntos polêmicos devem ser ensinados com muito cuidado e as vezes devemos limitá-los aos ciclos teológicos, uma vez que não temos o conhecimento absoluto da Palavra.

Não é errado discutir a Palavra, desde que em tempo e lugar oportuno, mas, não podemos esquecer que somos "cristãos" e temos que ter semilidade com Cristo em nossa postura. Não podemos deixar a ética cristã de lado. Nosso linguajar deve ser polido.

Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca (Colossenses 3.8).
Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância (1 Timóteo 3.8).

Anéis nos dedos são bonitos adornos, certificados nas paredes externam nossos esforços. Na área secular colabora para o currículo do docente e dá ideia de que um formado domina o assunto, mas, quando se trata das Escrituras, o livro de Deus, "doutorado em divindade" passa a ser um título irônico, pois, Deus se dá a conhecer a quem quer. 

Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos (Mateus 11.25).

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido (1 Coríntios 13.12).

Não devemos desprezar as ferramentas de interpretação da Bíblia, devemos usar o máximo de livros que possam nos auxiliar para entender ao menos sobre a geografia, os autores, a sociedade da época, os costumes e até mesmo a etimologia das palavras, mas, sabendo que nada disso nos revelará em absoluto o que quis dizer o autor do Livro Sagrado, apenas servirá como suplemento.

Atitude de humildade é bem vinda quando lemos a Bíblia.

Por fim, não esqueçamos que a oração é uma forte aliada para o conhecimento de Deus.

Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. Atos 6:4
Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso (Colossenses 4.3).

Robson Aguiar, pr.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome