Igrejas e Crentes numa ‘Guerra Santa’

1
104

Igrejas e Crentes numa ‘Guerra Santa’Algumas igrejas e crentes de denominações evangélicas perderam o foco da razão de sua existência como tal. 

Por Paulo Pontes | Seara News

A quem interessa impedir o avanço da Igreja?

Em vez de se unirem em torno do evangelho, alguns crentes preferem criticar ou mesmo difamar uma igreja, um ministério, um pastor…

O papel infeliz de perturbador, perseguidor e acusador entre outros sempre foi do inimigo da obra de Deus. Mas não é de hoje que muitos crentes estão agindo da mesma forma. Parece até que estão com inveja dele! Por quê? Não são legítimos servos de Deus? São agentes disfarçados, a serviço do inimigo, atuando no meio dos crentes?

Sei que ao longo de sua história, a Igreja jamais ficou sem perseguição, e o Evangelho sempre foi criticado pelos antagonistas do cristianismo.

Mas pastores, obreiros, líderes e liderados que adotam métodos e atitudes alienadas da Palavra de Deus, praticando ou apoiando o divisionismo entre igrejas, mercanciando o evangelho e a graça do Altíssimo, entre outras coisas, é, no mínimo, vergonhoso. Isto não tem qualquer ligação com a vocação e a razão da existência da Igreja.  De que adianta se orgulhar dos índices de crescimento dos evangélicos no Brasil, se a receita para o crescimento começa com divisão? Dividir para depois multiplicar, certamente não satisfaz o Senhor da Igreja, que declarou: “Edificarei a minha Igreja…” (Mt 16.18). Também não alcança os propósitos de Efésios 4.10-16: “com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguem à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em caridade, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual todo o corpo, bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor. Portanto, a equação ‘dividir para multiplicar’ não dá o resultado correto, mas gera uma multidão de crentes partidários à semelhança da Igreja em Corinto (1Co 10-31).

O mundo precisa de Sal e de Luz. Mas enquanto os crentes guerreiam, e os líderes fazem concorrência,  a obra permanece inacabada.

“Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre” (Sl 133.1-3).

A nossa guerra é contra Satanás e uma multidão de espíritos malignos. O destaque aqui é para o texto de Ef 6.12: “porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”.

Ore para que o Senhor te desperte para esta realidade: “E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente” (2Tm 2.5). O atleta só recebe medalha após vencer lutando conforme as regras.

Que Deus nos ajude!

Pr. Paulo Pontes

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome