Igreja Maranata é homenageada em Sessão Especial do Senado
A sessão especial aconteceu no auditório Petrônio Portela – Foto: Pedro França/Agência Senado

Igreja Cristã Maranata recebe homenagem em Sessão Especial no Senado Federal, em Brasília (DF) por seu jubileu de ouro.

A sessão especial em homenagem aos 50 anos da Igreja Cristã Maranata, aconteceu nesta quarta-feira (23), às 10h, e destacou a importância das obras sociais e do trabalho evangelizador da instituição.

O evento foi realizado no auditório Petrônio Portela, do Senado e foi transmitido no Salão Negro do Congresso Nacional. Nos dois espaços, 1.500 pessoas acompanharam a celebração, proposta pelo senador Magno Malta (PR-ES). Além de outros senadores e deputados, estava presente o governador do Estado do Espírito Santo, Paulo Hartung. Abrindo a solenidade, o Hino Nacional Brasileiro, executado pela cantora evangélica capixaba Lauriete. 

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), ressaltou o crescimento da instituição e afirmou que a palavra Maranata se tornou patrimônio espiritual do país. Lembrou que a igreja atual é moderna e usa tecnologias para alcançar seus fiéis onde quer que estejam. “Temos convicção de que o Brasil, laico e religioso, estima enorme apreço pela instituição, destacando sua expressiva contribuição para a retomada de valores que parecem ter sido esquecidos por muitos nesse país”, —  afirmou o presidente do Senado.

O requerente da sessão, senador Magno Malta, relatou, emocionado, o seu primeiro contato com o fundador da igreja, o pastor Gedelti Gueiros, de quem se tornou amigo. Gedelti era dentista na época e socorreu Magno Malta, que não tinha dinheiro para pagar o tratamento. “Há 50 anos, Deus poderia ter chamado um doutor, um mestre no conhecimento das linhas teológicas, mas a Bíblia diz que Deus chama o menor da malhada. Há 50 anos, Deus não foi buscar um catedrático na doutrina das últimas coisas, nem alguém que já se destacava como um pregador. Foi buscar um dentista. Um homem respeitado na sua profissão, um professor. Tirou-o da malhada. Gedelti foi chamado não por aquilo que era, mas por aquilo que poderia vir a ser nas mãos de Deus” — disse Malta.

O Coral e Orquestra da Igreja Cristã Maranata abrilhantou o evento com os louvores: “Os céus declaram”, “Pátria Minha” e “Deus”. E o pastor Anchieta Carvalho, rememorou a história da igreja, além de citar os presidentes da igreja ao longo desses 50 anos, enfatizou a trajetória e princípios da fundação. “A Igreja Cristã Maranata não é uma seita, tampouco para nós é um mero rótulo denominacional. Para nós, o nome Maranata é um grito de alerta para esse último instante da igreja”, — afirmou o pastor.

Igreja Maranata é homenageada em Sessão Especial do Senado
Pr. Gedelti Gueiros, presidente da Igreja Cristã Maranata

“Diante de tudo isso que aí está, as dificuldades do mundo continuarão. Mas, olhem para cima, como disse Jesus, porque a nossa redenção está próxima” — finalizou o pastor Gedelti Victalino Teixeira Gueiros, presidente da Igreja Cristã Maranata.

O fundador e presidente da Igreja Cristã Maranata, pastor Gedelti Gueiros, agradeceu a homenagem, fez uma reflexão sobre o cristianismo atual e mencionou trechos da Bíblia, relacionando-os com o mundo de hoje. Fez uma abordagem histórica sobre o contexto vivenciado na década de 1960, destacando que a ICM não emergiu de uma briga ou discussão teológico-filosófico-ideológica. Enfatizou que a sede da alma não é saciada pela razão humana, e sim pelo Senhor. Pontuou: “a alma tem sede do Deus vivo”. Além disso, ressaltou a importância da fé, que vem de Deus e, sobretudo, o toque das trombetas, evidenciando a vinda de Jesus, que está próxima.

A Igreja Cristã Maranata foi fundada em 1968 na cidade de Vila Velha, no estado do Espírito Santo, está presente em todos os estados brasileiros, conta com aproximadamente 1 milhão de membros e cerca de 5 mil igrejas em 170 países.

Assista ao vídeo completo:

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui