Homossexual defende Marco Feliciano e pede oração para mudar

0
41

fofo-cantora

Um homossexual Robson, conhecido como “Coragem”, deu o seu depoimento a favor de Marco Feliciano, no programa de entrevistas ‘Fofo Cantora’ com Vanilda Bordieri.

Robson é filho de pais evangélicos e descobriu sua homossexualidade aos 14 anos. Ele disse que foi evangélico até os 18 anos, convivendo com os ensinamentos da Bíblia.

Durante a entrevista, ele defendeu Marco Feliciano por suas declarações contra o homossexualismo e disse que tem medo de ficar quando vier o arrebatamento.

“Como eu fui evangélico até os 18 anos, eu acho que ele está certo e o que eu estou fazendo é errado”, disse Coragem, apelidado assim por sua coragem de falar sobre seu homossexualismo em público.

Coragem disse que quando lembra dos ensinamentos que recebeu e sua condição como homossexual, fica muito confuso.

“Eu fico muito confuso, porque é uma coisa que eu luto comigo mesmo diariamente. Eu sofro, choro no meu quarto trancado…”

 “Eu sempre falo para os meus amigos íntimos que eu não queria ser. Às vezes o que eu passo eu não desejo para ninguém.”

A mãe evangélica, cantora gospel com CD gravado, não aceita. “Ela me ama como filho, mas meus atos, isso ela não aceita. Mas eu dou toda a razão para ela.”

Apesar das declarações de pastor Silas Malafaia de que o homossexualismo é comportamento e não é passado geneticamente, Robson acredita que nasceu assim.

Sobre os ativistas que vão para protestar e se expor nas igrejas, Coragem diz que é contra. “Por mais que seja um gay não precisa estar se expondo”.

“Sempre tem as pessoas que não são preparadas por isso. Eu namoro uma pessoa mas a gente sai, sai como amigos, não pegamos na mão”.

O preconceito atrapalha na libertação

Robson contou sobre sua problemática em conviver com as pessoas mesmo dentro da igreja.

“Eu fiquei na igreja um mês, orando jejuando. Tinha grupo de jovens, cantavam, eles ficavam me olhando e eu me cansei.”

Segundo ele, as pessoas têm medo de se aproximar dele e não aguenta os olhares das pessoas. “As pessoas tem medo de se aproximar (…) A maior dificuldade em um culto é que todos ficam lhe olhando.”

“Todo mundo fica te olhando e eu não gosto. Eu me sinto envergonhado. Dá vontade de virar as costas e sair de dentro da igreja.”

Apelo: “Não posso mudar sozinho”

Robson fez seu apelo às pessoas para que orem por ele, porque acredita que não pode mudar sozinho.

“Eu não tenho forças para mudar sozinho. Peço orações, amor, carinho (…).”

Segundo ele, seus pais e sua tia oram e choram com ele e ele crê que a libertação pode vir de Deus através da oração.

“Queria mudar peço para que os irmãos orem por mim”.

“Eu preciso da orações de vocês, sei que Deus pode me libertar. Eu não quero ficar no fogo do inferno eu quero subir.”

Veja aqui a entrevista:

Fonte: The Christian Post

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome