Halloween é realmente uma festa feliz?

0
108

Happy Halloween?!

Por Inácio Costa Pinto

Será que Halloween é realmente uma festa feliz? Será que é uma festa inofensiva e alegre? Ou será que ele não esconde em seu aspecto inofensivo uma festa do ocultismo da pesada nas suas origens?

Uma festa que envolve celebrações fúnebres, consulta aos mortos, louvor à “divindade” da morte e contato com entidades do mundo tenebroso? Será que nossas crianças estarão apenas se divertindo numa festa ingênua e inofensiva como se diz? Deve o cristão participar desta festa?

Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios 6.12).

Podemos então perceber com os olhos espirituais, uma manipulação do mal nas brincadeiras do dia 31 de Outubro, o que veremos a seguir começando com a origem desta festa chamada Halloween.

Sua origem:

A festividade do Halloween tem sua origem nos festivais de outono dos Celtas (hemisfério norte) onde hoje é a Grã Bretanha e o norte da França. Os Celtas eram idólatras e animistas, pois adoravam a natureza e tinha o deus sol como divindade favorita. Seus sacerdotes eram chamados de Druidas.

O Calendário da bruxaria resume-se no relacionamento da “Grande Deusa” (representada pela Lua e que nunca morre) com seu filho, o “Deus Chifrudo” (representado pelo Sol e que a cada ano nasce em 22 de dezembro e morre no dia 31 de outubro) de acordo com: (Mistérios do Desconhecido: Bruxas e Bruxarias; Time Life Books publicado em 1994 pela Abril Livros).

Na roda do ano wicca (bruxaria moderna), o dia 31 de outubro é o grande sabá (festa) de Samhain. Então o que chamamos de Halloween era o festival celta de Samhain, o “deus dos mortos”.

De origem bem remota, os celtas atingiram seu apogeu em 1200 a.C., contudo, os celtas não aparecem como um povo identificado na história até os séculos VII a VI a.C. (Grimassi, Raven,Os Mistérios Wiccanos (Antigas Origens e Ensinamentos). Editora Gaia Ltda. São Paulo, Sp, 2000, pg. 24).

O culto aos mortos:

Os celtas acreditavam que o ano novo deveria se comemorado na última noite de outubro, pois o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se tornava mais frágil, sendo essa noite o tempo ideal para se comunicar com os mortos. Criam que os espíritos dos mortos voltavam dos campos e túmulos gelados para visitar suas casas e cabanas aquecidas. Os celtas criam que deveriam ser muito receptivos com os mortos e providenciavam comida para esses espíritos, com receio que os espíritos fizessem coisas terríveis em suas lavouras, animais e famílias, e se não fizessem uma festa para estes espíritos nesta data, atormentariam os vivos.

Os celtas tinham medo do Sam-hain “O senhor da morte”, e, para agradar-lhe, os druidas (sacerdotes celtas), realizavam rituais macabros. Fogueiras (feitas de carvalho, pois criam que essa era uma árvore sagrada) eram acesas essas fogueiras e sacrifícios eram feitos em homenagem aos deuses. Criminosos, prisioneiros e animais eram queimados vivos e oferenda às divindades.

Esta seria uma noite de medo para os aldeões, amedrontados, acendiam fogueiras para honrar o deus sol, sacrificavam-lhes animais e colheitas.

Os druidas criam que esta noite era mais propícia para fazer previsões e adivinhações sobre o futuro. Essa era a única noite em que a ajuda do “Senhor da Morte” era invocada para tais propósitos.

Portanto, o Halloween não era uma festa e sim um ritual macabro. Os celtas faziam este cerimonial por medo e não por prazer ou divertimento.

Se você é cristão, veja o que a Bíblia diz sobre isto: “Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva” (Isaias 8.19-20).

Como o Halloween chegou até nós:

A festa do Halloween foi introduzida nos EUA pelos imigrantes ingleses, irlandeses e gauleses. Sua celebração está muito relacionada com a história dos celtas e outras crenças religiosas. O sistema de escolas públicas da América do Norte e Europa foram um dos maiores divulgadores do Halloween, patrocinando atividades dessa festa, com concursos de fantasias, danças, carnavais, exposições de arte e artesanatos.

O interesse pelo ocultismo está muito intenso nestes últimos dias, pois o misticismo assume novas formas, virou moda. Você encontra farto material de bruxaria e literatura sobre ocultismo como nunca antes, nas bancas de jornal e livrarias e também filmes.

O famoso bruxinho Harry Potter, enfeitiçando a mente das crianças já alcançou o mundo inteiro com os livros e filmes sobre suas façanhas no mundo do ocultismo deixando uma marca ocultista na mente das crianças de tal forma que a futura geração esta enfeitiçada e procurará cada vez mais o contato com o desconhecido, o mundo dos mortos.

Hoje, copiando estes países, mais do que nunca, as escolas de todo mundo, também no Brasil e Japão estão divulgando sem reservas esta festa, que é introduzida nas escolas como “FOLCLORE” e diversão para as crianças, e os pais participam, pois também são atraídos pelo bizarro e o oculto que esta festa demonstra.

As lojas já decoram suas prateleiras oferecendo ao público consumidor todos os apetrechos necessários para que se possa comprar as fantasias para a festa do Halloween.

Conclusão

A origem do Halloween esta intimamente ligada à comunicação com os mortos. Crença espírita que ensina que o morto é um mensageiro e deseja trazer algum recado celestial, um ensinamento ou um aviso.

Sabemos que a manifestação de espíritos é real e que até mesmo por brincadeira, você pode ter contato com espíritos, mas não é o espírito de pessoa que morreu, mas sim, demônios, espíritos malignos que para enganar, imita voz e até mesmo fala particularidades da vida da pessoa. Jesus falando aos discípulos em Lucas no cap. 16, ensinou sobre o rico e lázaro que morreram, um foi para o paraíso outro para o inferno, e na tentativa de sair para avisar os vivos, na terra, foi dito ao rico que os que estão mortos não podem se comunicar com os vivos mesmo que queiram. “Respondeu Abraão: Eles tem Moisés e os profetas;ouçam-nos” (Lucas 16.29).

“Aos homens esta ordenado morrerem uma só vez, vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9.27).

Após estas pequenas pesquisas com relação a esta festa, origem, a história e o ressurgimento da festa das bruxas, podemos sem sombra de dúvidas dizer que: à luz da Palavra de Deus que a festa do Halloween é contrária aos ensinamentos bíblicos, portanto deve ser evitado pelos verdadeiros crentes em Jesus.

O apóstolo Paulo escrevendo a Timóteo ele diz: “…mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios” (I Tm. 4.1).

Fica aqui um alerta aos pais cristãos sobre o perigo de expor seus filhos a esta festa comemorada nas escolas e, principalmente nos bailes noturnos, nos quais se pedem que seus participantes se apresentem fantasiados de bruxas, vampiro, Frankstein, zumbi, sacerdote da magia negra, etc.

Freqüentando estes lugares eles estarão expostos ao ocultismo e a experiências com espíritos malignos e poderá lhes trazer muitos danos espirituais  à nossa casa.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (I Co 6.12).

“Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejais participantes com os demônios. Não podeis beber o cálice do Senhor e o cálice dos demônios; não podeis ser participantes da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Ou irritaremos ao Senhor? Somos nós mais fortes do que ele? Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam” (I Co 10.20-23).

Que Deus abençoe a todos vocês e que estejamos nos santificando pra o encontro com Jesus em breve nos ares.

Maranata (Ora vem Senhor Jesus)

Compilado da matéria sobre Halloween das revistas: “Defesa de Fé” (outubro/2000) e “Chamada da Meia Noite” (setembro/2004)

Pr. Inacio Costa Pinto | Seara NewsInácio Costa
é teólogo, apologista cristão, diretor do Seminário Passo de Fé, pastor, líder da Missão Bereana, com sede em Hamamatsu-shi, Japão, e membro da Mesa Diretora da Convenção das Assembleias de Deus no Japão – Comadeja.
Correspondente de Seara News no Japão.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome