Haiti: Tour of Hope cumpre a missão

Nossos voluntários do Tour of Hope entraram em campo no Haiti neste mês de outubro. Do dia 1 ao dia 10, voluntários do Brasil, Cuba e do próprio Haiti foram a este país caribenho, o mais pobre das Américas, para levar a esperança em Cristo. Ali, foram desenvolvidas ações sociais e evangelísticas com as comunidades, expressando de forma prática o amor de Deus por aquele povo e país tão sofrido.

“Foram diversos milagres. Além disso, nossos voluntários puderam presenciar curas, conversões e reconciliações, em tudo vendo o agir de Deus. Experimentaram de maneira pessoal e inesquecível a provisão e proteção divina”, afirma o Pr. Marcos Grava, coordenador do Tour of Hope.

As comunidades de Bon Repos, Saint-Christoph e o orfanato Mango Tree, coordenado pelo casal Eliel e Haydee Gonçalves, e a igreja de Mirebalais não são mais as mesmas.

“Os voluntários desenvolveram um programa intenso, com treinamentos comunitários, atividades socioevangelísticas, atendimentos de saúde, esportes e atividades lúdicas, cuidados com a beleza da mulher e visitação a casas”, conta o Pr. Grava. “No final, conseguiram alcançar um total de 2.780 pessoas”, ressalta.

Por causa de experiências como as vividas pelo Tour of Hope no Haiti – aliás, esta é a décima vez que a caravana da esperança vai ao país caribenho –, Missões Mundiais crê que grupos de voluntários formados por profissionais e ministros de diferentes áreas de atuação são uma excelente estratégia para impactar e abençoar povos e culturas carentes do amor de Deus, bem como para despertar a visão das igrejas evangélicas brasileiras para as necessidades e oportunidades de ministério a curto prazo.

“Como declarou um dos líderes que esteve no Haiti anos atrás, é difícil expressar em um único relatório tudo o que um grupo de valentes missionários viveu ali. Cada um trouxe consigo lições e experiências com Deus, que se revelou a eles e ao povo haitiano de maneira muito especial naqueles dias”, destaca o Pr. Grava.

Realmente foi assim que alguns dos voluntários se sentiram durante o tempo em que serviram no campo.

“O trabalho foi maravilhoso! Sim, tivemos dificuldades, mas o importante é que nos moldamos, mudamos e deixamos as dificuldades para trás. É sempre bom voltar ao Haiti e ver a evolução. Às vezes parece pequena, nem perceptível, mas aos nossos olhos tudo isso traz esperança. Ver o orfanato evoluindo, as crianças crescendo, ver a igreja em Saint-Christoph expandindo, isso tudo faz crescer nossa vontade de continuar a obra”, declara o voluntário Samuel de Paula.

“Esperava ter momentos únicos com as crianças e com as pessoas, mas não esperava ser usada por Deus de maneiras tão diferentes e inusitadas. Eu me senti como uma laranja sendo espremida até a última gota, dando de tudo para Deus e sendo usada com todos os meus dons e talentos naquele lugar para a glória Dele. Encontrei dentro da equipe uma família unida nas horas de risos e nas horas de batalhas. Pude ver Deus presente na face de cada criança, em cada abraço, em cada sorriso! Vi Deus reerguendo aquele lugar e aquelas pessoas com suas poderosas mãos. Deus irá continuar a obra naquele lugar, e o Haiti será completamente transformado! Sou extremamente grata a Deus pelo privilégio de ter sido usada nesse projeto”, diz Juliana Pimentel Alburquerque.

E você, o que está esperando para ir ao campo servir com seus dons e talentos em favor do próximo e do Reino. As próximas viagens do Tour of Hope já têm destino certo: Filipinas, Nepal, mais um retorno ao Haiti e atuação em um campo de refugiados. Entre em contato com a coordenação no Tour of Hope no e-mail [email protected] para detalhes sobre como você pode participar.

Por Willy Rangel

Fonte: JMM

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui