Há democracia no Brasil dominado pelo lulopetismo?

por Ciro Sanches Zibordi

Que democracia há no Brasil, um país que há treze anos está debaixo da “ditadura da propina”, como tem acusado com indignação o lúcido ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes? Lamentavelmente, hoje, os três poderes — Executivo, Legislativo e Judiciário — têm sido controlados pelo lulopetismo, o qual abarca petismo, peemedebismo e outros partidos menores.

O Legislativo não tem sido um poder independente, haja vista o Congresso Nacional, em suas duas Casas (Câmara e Senado), ser controlado pelo PMDB. Este partido é inteiramente submisso ao lulopetismo — e parte integrante dele —, apesar de vermos, às vezes, alguns “jogos de cena”. Na última madrugada, por exemplo, os principais vetos da “presidenta” — que prejudicam boa parte dos brasileiros e dão força ao atual (des)governo com aprovação abaixo de 10% — foram mantidos porque ela prometeu nada mais que cinco ministérios aos peemedebistas!

E o Judiciário? Este, como temos visto, tem um STF flagrantemente controlado pelo lulopetismo, uma vez que a maioria dos ministros, inclusive seu presidente, foi indicada pelo partido protagonista do mensalão e do petrolão. Não bastasse isso, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é presidido por um ex-advogado desse mesmo partido responsável pelo “maior projeto criminoso de poder da história da humanidade”, como tem dito o contundente historiador Marco Antonio Villa. Infelizmente, “está tudo dominado”. Oremos. Que Deus tenha misericórdia do nosso país. ‪#‎ProntoFalei.

Artigo anteriorCrianças palestinas afirmam que irão ‘explodir os judeus’
Próximo artigoPastor Saeed Abedini é torturado com aparelho de choque na prisão
Ciro Sanches Zibordi
Casado com Luciana e pai de Júlia. Pastor na Assembleia de Deus da Ilha da Conceição, em Niterói-RJ; pregador do Evangelho, professor de Hermenêutica, Exegese e Teologia Sistemática, autor e articulista. Formação: Teologia (Faculdade Evangélica de São Paulo-SP); Português-Francês (Universidade Federal Fluminense-RJ); Relações Internacionais (Universidade La Salle-RJ). Membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil e da Casa de Letras Emílio Conde; colunista do CPAD News; articulista do Mensageiro da Paz (CPAD); autor dos livros: Erros que os Pregadores Devem Evitar (bestseller; série de 3 volumes); Procuram-se Pregadores como Paulo; Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria; Erros que os Adoradores Devem Evitar, etc.; coautor de Teologia Sistemática Pentecostal, todos da CPAD. Pastoreou congregações na AD do Ministério do Belém-SP e foi copastor da AD Cordovil-RJ; atuou na CPAD (RJ) como gerente de TI e editor (2001-2008).

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui