Grupos de direitos humanos criticam contínuas violações no Sudão

0
9

Um bispo sudanês escreveu ao presidente Barack Obama pedindo ações imediatas para salvar as vidas nas Montanhas Nuba e nas regiões de Darfur e do Nilo Azul. O rev. Andudu Adam Elnail pediu duras ações contra o regime sudanês. Ele lembrou os líderes mundiais de não se concentrarem somente no conflito sírio, mas para prestarem mais atenção à guerra que ocorre em várias partes do Sudão.

Grupos de direitos humanos criticam contínuas violações no SudãoDe acordo com o rev. Andudu, seu país é assolado por “crimes contra a humanidade patrocinados pelo governo” que merecem a atenção de Obama.

“Como vítima e sobrevivente de um genocídio, gostaria de lembrar o seu respeitável gabinete que é necessário grande esforço para acabar com as mortes e com as pessoas desabrigadas, restaurando a paz em nossa comunidade que tem sofrido por tantos anos”, escreveu Andudu em carta publicada no jornal Sudan Tribune. “Nosso povo se sente como se o mundo tivesse se esquecido dele. Nós nos perguntamos por que vocês não agiram para acabar com o sofrimento de nosso povo ou do povo de Darfur, que ainda sofre e cuja condição está piorando”. 

“Continuamos a ser atacados diariamente. Bombas caem em fazendas e escolas, igrejas e mesquitas, clínicas e mercados. Civis inocentes, mulheres e crianças são mortos durantes seus afazeres diários. Aqueles que sobreviveram, passaram a conviver com um medo constante e, por dois anos, têm morado em cavernas nas montanhas”. 

O bispo também lastima as condições do povo que vive nos territórios sudaneses afetados pela guerra, citando as condições de fome nas regiões de Kao Nyaro e Warni, nas Montanhas Nuba. “Se a situação política não for tratada e não houver ajuda humanitária para o povo imediatamente, a catástrofe aumentará até que seja tarde demais”.

Andudu também instou com Donald Booth, enviado dos EUA recém-designado ao Sudão e Sudão do Sul, para que desenvolva uma nova pró-democracia e uma política orientada para a proteção dos civis no Sudão. 

Barrado pelas autoridades

Na semana passada, o pedido de visto do presidente do Sudão, Hassan Omer al-Bashir, para comparecer à Assembleia Geral das Nações Unidas virou manchete internacional. À luz da acusação de Hassan pela Corte Penal Internacional por crimes em Darfur, seu pedido foi negado. Uma porta-voz do Departamento de Estado dos EUA não deu indícios de se o visto seria concedido, mas disse: “Nós condenamos qualquer esforço em potencial” de Hassan al-Bashir em comparecer ao encontro das Nações Unidas.

Portas Abertas

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome