24.4 C
Vila Velha

Extremistas agridem cristãos e fecham Igrejas em ataque no Níger

Os radicais ameaçaram transformar igrejas cristãs em mesquitas

EM FOCO

Paulo Pontes
Paulo Ponteshttps://www.searanews.com.br
Fundador e CEO da Seara News Comunicação, jornalista, cidadão vilavelhense, natural de Magé (RJ), pastor, teólogo (Teologia Pastoral e Catequética), presidente do Diretório da SBB-ES, autor do livro Você Tem Valor, membro da Assembleia de Deus em Cobilândia, Vila Velha-ES.

Os cristãos que vivem perto da fronteira entre Níger e Burkina Faso enfrentam intensa pressão de grupos jihadistas. Em 13 de agosto, extremistas atacaram cristãos que participavam do culto perto do horário de oração.

Quatro homens armados invadiram a igreja na aldeia de Panpangou. Cada homem carregava um rifle, uma faca e um chicote. De acordo com um cristão que testemunhou o ataque, eles apontaram armas para os fiéis e perguntaram: “Vocês não ouviram que proibimos os atos cristãos nesta área?”

Cristianismo “banido”

Os cristãos explicaram que não tinham recebido qualquer aviso sobre a proibição, mas os jihadistas responderam: “Estamos nesta área há três anos. Como podem dizer que não sabiam que proibimos o cristianismo nesta área? Se vocês estarão mentindo para nós se dizendo que não ouviram nosso alerta”.

Os homens armados ordenaram que os cristãos se ajoelhassem. Um extremista armado com um chicote avisou que iria espancar os seguidores de Jesus porque eles desobedeceram às ordens dos extremistas de não se reunirem em igrejas.

As mulheres casadas foram separadas do grupo. Os extremistas disseram que não iriam bater por causa dos recém-nascidos e das gestantes. Mas, todas as mulheres solteiras foram açoitadas juntamente com os homens.

Açoites

Cada cristão foi chicoteado dez vezes. Entre eles, 14 são do sexo masculino e 3 do sexo feminino. O pastor ficou por último e foi chicoteado 30 vezes. Os jihadistas alertaram que este era um aviso contra as atividades cristãs na aldeia.

Os radicais ameaçaram transformar igrejas cristãs em mesquitas se os seguidores de Jesus desobedecerem à ordem, porque o cristianismo está proibido e banido na região. Depois de saírem da igreja, foram para outro templo e encontraram jovens reunidos ali para adorar. Muitos jovens escaparam pelas janelas quando avistaram os extremistas. Mas três moças ficaram para trás e foram chicoteadas oito vezes. Os jovens cristãos foram novamente avisados ​​de que se tentarem realizar cultos, os jihadistas voltarão e destruirão o vilarejo.

Igrejas fechadas

De acordo com parceiros locais da Portas Abertas, outras cinco igrejas do vilarejo foram fechadas antes do ataque e agora nenhuma igreja está aberta na região. O cristianismo não é permitido em áreas controladas pelos jihadistas e, além de ameaçarem transformar igrejas em mesquitas, eles afirmaram que forçarão os cristãos a tornarem-se muçulmanos se forem encontrados realizando cultos novamente.

A maioria dos grupos jihadistas que atua na região é formada por extremistas Fulanis que fazem parte do Estado Islâmico do Saara (ISGS). A insegurança e a violência fizeram com que muitos cristãos se deslocassem internamente.

Países vizinhos como Burkina Faso e Mali, que também fazem parte da Lista Mundial da Perseguição 2023, estão sob os ataques destes grupos, que diariamente prejudicam a segurança na África Subsaariana. Os cristãos que vivem nesses países suas orações.

Ore pela Igreja perseguida no Níger.

- Publicidade -

LEIA MAIS...

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

LEIA TAMBÉM

ESTUDOS E DEVOCIONAIS

- Publicidade -
Rádio Seara News
- Publicidade -
Suprema Contabilidade
- Publicidade -spot_img