Espírito Santo em luto: ex-governador Gerson Camata foi brutalmente assassinado
Gerson Camata 29/06/1941 – 26/12/2018 (Foto: Reprodução).

No final da tarde desta quarta-feira (26), o ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata foi brutalmente assassinado com tiro à queima-roupa efetuado por seu ex-assessor.

O crime ocorreu em frente a um restaurante na Praia do Canto em Vitória, capital do Estado. O Samu foi acionado, mas o ex-governador, de 77 anos, não resistiu ao disparo de arma de fogo efetuado por Marcos Vinicius Andrade, de 66 anos, que por 20 anos trabalhou como assessor de Camata.

O ex-assessor fugiu após cometer o crime, mas foi preso e encaminhado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), para prestar depoimento.

Edmar Camata, sobrinho do ex-governador, foi quem confirmou a morte do tio fazendo o reconhecimento do corpo no local do crime. Ele lamentou a forma fria e bárbara como o tio foi assassinado.

“A reflexão que fica é sobre a banalização da vida. Mesma banalização que a gente vê em uma área pobre, é a mesma que em uma área rica. A vida vale pouco, as pessoas matam por nada… Mudar isso requer um envolvimento coletivo, uma visão ampla, que não é só liberar arma e produzir mais violência”, disse Edmar.

A Secretaria de Segurança Pública, na pessoa de seu secretário Nylton Rodrigues disse que após a prisão, Marcos Andrade confessou o crime e declarou que a motivação foi uma ação judicial movida em seu desfavor pelo ex-governador, resultando no bloqueio de R$ 60 mil em sua conta bancária.

Repercussão no Estado

O atual governador do Estado, Paulo Hartung, decretou luto oficial de sete dias em respeito ao amigo ex-governador: “Recebi com muita tristeza a notícia da morte de um amigo, nosso querido ex-governador Gerson Camata. Gerson foi o primeiro governador eleito no nosso Estado no período de redemocratização do país. Fez um governo realizador e que entrou para a história dos capixabas. O Espírito Santo perde uma de suas principais lideranças. Decretei luto oficial de sete dias. Suspendi imediatamente todas minhas agendas de trabalho para acompanhar de perto a apuração desse crime tão bárbaro. Estou colocando o Palácio Anchieta à disposição da família Camata para que o funeral seja realizado na sede oficial do governo”.

O governador eleito para o próximo pleito, Renato Casagrande, disse: “É lamentável que um homem como ele, que tanto contribuiu para o desenvolvimento do nosso Estado, tenha perdido a vida de forma tão trágica. Nos despedimos hoje, com muita tristeza, desse líder carismático e agregador, que fez história no Espírito Santo. À família, meus sentimentos e minha solidariedade nesse momento de dor”.

O presidente da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, deputado Erick Musso declarou: “É com muita tristeza que recebi a notícia da morte do ex-governador Gerson Camata. Há alguns dias tive a oportunidade de estar com ele em Marilândia. De sorriso fácil e muita simpatia, sempre fazendo questão de nos deixar a vontade. Sua história política, marcada pela democracia, inspirou muitas gerações. Foi um dos grandes governadores do Estado, progressista, reconhecido pelos próprios capixabas, principalmente no interior. Aos familiares, meus mais profundos sentimentos e que Deus possa confortar o coração de todos”.

O senador Magno Malta lamentou a morte em vídeo postado: “Estou triste e muito abatido com a morte do Camata. Minha dor é do tamanho da dor de todo o povo do Espírito Santo. Deixo aqui minha oração aos familiares de Gerson Camata”.

A senadora Rose de Freitas publicou em suas redes sociais: “Nada tão injusto quanto tirar a vida de uma pessoa. Nada tão injusto quanto tirar a vida de um homem bom, um líder que foi tão importante para o povo capixaba, que era muito querido e tinha uma história tão bonita. O Espírito Santo perdeu uma pessoa que vivia de bem com a vida. Uma pessoa bondosa, afável no convívio e humilde no trato com o ser humano. Todos nós estamos sentindo muito a trágica morte de Camata”.

Repercussão nacional

A morte de Gerson Camata teve repercussão nacional. O presidente da República Michel Temer publicou uma nota em suas redes sociais: “Lamento a morte do grande político, ex-jornalista, deputado estadual, deputado federal, senador constituinte, governador do Espírito Santo e meu amigo, Gerson Camata. Envio meus sentimentos de sincero pesar à esposa, ex-deputada Rita Camata, e aos filhos”.

O presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira, também se manifestou: “O ex-senador Gerson Camata, que por 24 anos representou, com destaque, o Espírito Santo no Senado Federal, depois de construir sólida carreira política como vereador, deputado estadual e governador. Nossa solidariedade aos seus familiares, amigos e ao povo capixaba”.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados disse: “Recebo com tristeza e consternação a notícia da morte trágica do ex-governador do Espírito Santo e ex-senador Gerson Camata, um homem público que prestou grande serviço ao Espírito Santo, ao Parlamento e ao Brasil. Presto minha solidariedade aos capixabas, à família e amigos”.

Biografia de Camata

Filho de Higino Camata e Júlia Bragato Camata, Gerson Camata nasceu na cidade de Castelo, no sul do Espírito Santo, em 29 de junho de 1941.

Formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), tornou-se conhecido como radialista de algumas emissoras, chegando a trabalhar na TV Vitória, afiliada à Record TV.

Sua carreira política teve ao todo 43 anos de mandatos, começando em 1967 como vereador de Vitória pelo partido ARENA, seguido de um mandato como deputado estadual em 1970 e dois mandatos como deputado federal em 1974 e 1978.

Em 1982, pelo PMDB, disputou as eleições para o governo do Espírito Santo, obtendo 67% dos votos nas urnas e sagrando-se como o primeiro governador eleito após a redemocratização.

Esteve à frente do governo estadual de 1983 a 1986, quando decidiu disputar uma vaga no Senado Federal. Foi reeleito duas vezes, uma em 1994 e a última em 2002, ocupando por três mandatos consecutivos o cargo de Senador da República.

Casado por 37 anos com a ex-deputada federal Rita Camata, teve dois filhos, Bruno e Enza Rafaela.

Aos 77 anos deixa uma longa lista de serviços prestados à população capixaba e ao Brasil.

 

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui