Educação Cristã e Didática, Uma arma a favor do Reino?
Fonte: Internet

Por Carol Gimenes

Vivemos dias de grande apostasia, onde o desinteresse pelo Reino de Deus tem crescido em grande escala. Abordamos aqui, uma das grandes dificuldades encontradas pela Igreja no que diz respeito à frequência e interesse dos membros, congregados e visitantes nos cultos e programações voltadas ao ENSINO.

Enfrentamos dias, onde nossa fé é colocada a prova, como disse o professor de Apologética Jerônimo Gonçalves, do Instituto Teológico Daniel Berg, em sua obra Apologética, “para os adeptos da vida pós-moderna, não existem verdades absolutas, paradigmas, valores de referências e nem padrões sociais… hoje, por incrível que pareça, há debates sobre a “igualdade” entre animais irracionais e os homens. Tudo é relativizado, tudo vira um debate. A VERDADE SE TORNA UMA VERSÃO SUBJETIVA DOS FATOS, SEM RESPEITAR E CONSIDERAR A REALIDADE MATERIAL QUE CONSTITUIU E CONSTRUIU OS PRÓPRIOS FATOS”.

Estamos preparados para responder a razão de nossa fé? (cf I Pe 3.5)

A educação cristã é de suma importância para o crescimento da Igreja, seus ministros e o próprio cristão individualmente, pois desde o princípio de tudo, quis Deus dar-se a conhecer ao ser humano, coroa de sua criação. Ao menos é o que percebemos no próprio relato da criação onde o Senhor aos poucos vai se revelando ao casal Adão e Eva quando na viração do dia os visitava, o mestre dos mestres, desde a fundação.

Congruentemente a Educação Cristã transcende a inclusão no currículo escolar de disciplinas que tratem da Bíblia ou de temas do Cristianismo, mas falamos aqui sob uma ótica ministerial, onde no período patriarcal, bem como no estabelecimento da lei mosaica, o ensino estava presente; afinal, Deus fez que o resumo de seus mandamentos ficassem gravados na pedra. Abordamos então a DIDÁTICA, segundo o Dic. Aurélio, “a técnica de dirigir e orientar a aprendizagem; técnica de ensino”. Deus ordenou que os pais usassem formas de gravar para as próximas gerações suas leis e feitos (cf Dt 11.18-20).

Tal importância deu Jesus ao ensino, a educação que aos 12 anos escolheu estar entre doutores. Os apóstolos dedicavam-se a estudar e ensinar. Os profetas eram mestres, ensinavam a palavra, bem como exortava o povo a dedicar-se ao ensino e buscar o conhecimento de Deus. Oséias, no capitulo 6.3 lançou o desafio: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor”. Ele chega a declarar que o “conhecimento de Deus é superior aos holocaustos” (cf Os 6.6).

A didática por sua vez, vem para colaborar com a educação. É o método usado para levar-nos a um melhor aprendizado. Jesus era profundamente didático, suas parábolas, sua forma de explicar o complexo de forma simplificada é prova disto. Olhamos para os exemplos do Mestre, e então mudaremos a realidade e contribuiremos para o interesse mútuo da Igreja no que tange ao ensino e aprendizado nos cultos de ensino, escolas bíblicas, simpósios, palestras, seminários etc.

Temos a tarefa de aprendermos sobre Educação e Didática, sua importância, o porquê investir, suas finalidades e propósitos, ou, tornamo-nos pastores, ministros, professores, cristãos, teólogos, rasos e retrógrados, pois secularmente grande tem sido o investimento.  Reconheçamos tal importância, pois quem cessa de aprender, cessa de ensinar.

Há desafios que só serão solucionados com atitudes. Busque se informar quais são os principais desafios na sala de aula de sua classe ou na Igreja em geral. A didática pode sim ser uma arma a favor do reino. Exerça o que foi confiado a você com prioridade! Que nosso caráter seja forjado mediante a Palavra de Deus, assim como de nossas crianças, contribua para isto, não os deixem a mercê desta era. 

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui