“É maluquice acreditar na Bíblia”, diz Fábio Porchat
Fábio Porchat é apresentador e humorista. (Foto: Reprodução/O Sul)

Porchat apontou a fé em Deus como uma ‘grande invenção’ da humanidade, usada para tornar a vida mais suportável.

Na última sexta-feira, a revista Trip publicou uma entrevista com Fábio Porchat, que está gerando muitos comentários e críticas por parte dos cristãos. O apresentador falou sobre seu trabalho, sexualidade e também expôs seu ponto de vista a respeito da espiritualidade.

Porchat apontou a fé em Deus como uma “grande invenção” da humanidade, usada para tornar a vida mais suportável.

“Eu não acredito em nada. De Deus a astrologia, acho tudo uma grande invenção para as pessoas justificarem a existência, suportarem a vida, que é horrível”, disse. “Pensa: 98% das pessoas no mundo estão f***das – se todos soubessem que a vida é uma merda e que não há nada depois dela, iam pensar só em si mesmas acima de tudo e ia virar um caos”.

Jesus e Bíblia

Continuando seu raciocínio, Porchat foi mais específico a respeito da fé cristã e disse acreditar que Jesus viveu entre a humanidade, mas simplesmente como “um cara maneiro” e não como o filho de Deus.

“Pelo que falam de Jesus, ele deve ter sido um cara maneiro para caramba: pregava o amor, dava a outra face para bater, impedia apedrejamentos. Agora, falar que é filho de Deus? Peraí”, acrescentou.

O apresentador e humorista também apontou como uma “maluquice” o fato dos cristãos acreditarem na Bíblia, por ser um livro antigo e “ultrapassado”, que mais parece uma “série de histórias”.

“Também acho uma maluquice as pessoas acreditarem na Bíblia. Uma coisa é ler como uma série de histórias inspiradoras. Se as coisas mudaram de 30 anos para cá, imagina nos últimos dois milênios. Como é possível pegar um livro escrito há 2 mil anos, ler aquilo e seguir como código de conduta?”, questionou.

O apresentador chegou a demonstrar certa falta de conhecimento sobre a contextualização histórica da Bíblia em sua crítica.

“E cada um só lê o que convém: a Bíblia diz que não pode fazer a barba, que mulher não pode sair menstruada, não pode comer carneiro, mas aí as pessoas escolhem entender apenas que não pode ser gay”, afirmou.

Ao final de sua resposta, após dizer que pontos básicos do cristianismo são “maluquice”, Porchat disse que “respeita” as crenças das pessoas, mas ressaltou que a visão cristã sobre muitas questões sociais importantes são uma “loucura”.

“É lógico que respeito a religiosidade das pessoas, cada um acredita no que fizer melhor para si. Só não acho que religião deva influenciar outros assuntos importantes. A bancada evangélica escolher o ministro da educação, por exemplo, é uma loucura. O mesmo vale para decisões importantes para a sociedade, como aborto, legalização do casamento gay, genoma, análise de DNA, clonagem e muitos outros”, destacou.

Fonte: Guiame
DEIXE UM COMENTÁRIO_____________________________
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

3 COMENTÁRIOS

  1. Posicionamento reflete a humanidade nos ultimos tempos: cheia de razão e tenta justificar-se a si mesma. Uma geração sem fé, sem esperança, sem experiências e sem comunhão com Deus.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui