Devemos deixar a prosperidade e orar pelos perseguidos, diz filha de Billy Graham

Devemos deixar a prosperidade e orar pelos perseguidos, diz filha de Billy Graham
Ruth Graham em discurso no funeral de seu pai, Billy Graham, no dia 2 de março de 2018. (Foto: Billy Graham Evangelistic Association)

Engajada na conscientização sobre a perseguição religiosa, Ruth Graham incentiva cristãos do mundo inteiro a orarem.

Ruth Graham, filha do renomado evangelista Billy Graham, tem reunido esforços para conscientizar a igreja sobre a realidade dos cristãos perseguidos e a urgência em promover um apoio missionário.

“Os cristãos estão sofrendo em todo o mundo, nós simplesmente não sabemos sobre isso. Nós não sabemos o que essas pessoas estão suportando”, disse ela em entrevista ao jornal Bangor Daily News.

A escritora e conferencista de 67 anos tem se aprofundado na realidade da perseguição religiosa desde o ano passado. Além de ser conhecida por ministrar sobre questões como aborto, pornografia e vícios, um de seus objetivos é alertar que existem cristãos colocando suas vidas em risco apenas por ler a Bíblia.

“A Lista Mundial da Perseguição nomeia 50 países em que ser cristão é quase impossível”, lembra Graham. “Eles estão em grande perigo. Eles temem por suas vidas. Eles temem por suas famílias, suas casas e suas igrejas”.

A lista é atualizada todos os anos pela Portas Abertas, uma organização missionária que há mais de 60 anos oferece suporte aos cristãos que vivem em países onde o cristianismo é proibido pelo governo ou intolerado pela sociedade.

“Precisamos continuar orando por essas pessoas queridas, porque permanecemos em nosso conforto, nossa prosperidade, nosso bem-estar e podemos cultuar a Deus da maneira que nos agrada. Somos tão abençoados e não damos o devido valor para isso”, alerta.

Ruth Graham está se preparando para um culto de oração voltado aos cristãos perseguidos no próximo dia 8 de setembro em Alabama, nos Estados Unidos. Sua intenção não é dar espaço para pregadores, mas sim para as pessoas que sofrem com a perseguição religiosa.

“Vamos ouvir aqueles que foram perseguidos em todo o mundo. Serão relatos de pessoas que sofreram por sua fé. Haverá conselhos práticos sobre o que podemos fazer [para ajudá-los], e os participantes receberão cartões de oração, uma para cada nação, e conselhos sobre como orar pelas pessoas nesses lugares”, conta Ruth.

Entre os cinco países que lideram o ranking da lista de perseguição aos cristãos estão Coreia do Norte, Afeganistão, Somália, Sudão e Paquistão. Nessas regiões, são registradas a disseminação do islamismo radical, a ascensão do nacionalismo religioso e a intensa violência contra os grupos religiosos minoritários.

Fonte: Guiame

DEIXE UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome