Destruidores de reputação e assassinos de inocentes
Nero apontou os cristãos como culpados, pois segundo ele dizia, os crentes pregavam o fim do mundo. | Foto: Reprodução

Uma má interpretação, uma calúnia, uma mentira pode destruir não só a reputação de alguém, mas a vida de uma ou de várias pessoas.

Embora haja outras versões, alguns historiadores afirmam que o Imperador Nero foi o mandante do incêndio que destruiu boa parte da antiga Roma em 18 de julho de 64 d.C., afetando 10 dos 14 bairros da cidade, e causando destruição completa de três dos seus bairros.

Essa catástrofe teria ocorrido ao som da música de uma harpa tocada pelo imperador romano no terraço do seu palácio enquanto assistia a cidade pegar fogo.

Ao ser acusado, Nero apontou os cristãos como culpados, pois segundo ele dizia, os crentes pregavam o fim do mundo. Junte-se a isso o fato do fogo não ter alcançado os bairros onde os irmãos residiam.

Começou então com a aprovação popular, uma perseguição estatal e sistemática aos cristãos.

Outros imperadores foram surgindo e a guerra contra a igreja só aumentava, até que a perseguição foi oficialmente encerrada em 30 de abril de 311 pelo Edito de Galério. Mas tarde, com o imperador Constantino em 313 d.C., a perseguição foi encerrada totalmente.

Dentre os vários motivos que desencadearam a perseguição ferrenha e procurava justificar as atrocidades cometidas contra os servos do Senhor, registrava-se boatos que os cristãos praticavam incesto, comiam carne humana e bebiam sangue.

Os cidadãos romanos assistiam, sorriam e aplaudiam a morte dos crentes no Coliseu como um espetáculo. Não sentindo nenhum remorso.

A razão desse ódio e insensibilidade repousava simplesmente em boatos.

A mentira e a má interpretação dos fatos levaram uma sociedade inteira a condenar, massacrar e assassinar de forma cruel milhares de vidas.

Mas na verdade os crentes casavam entre si (irmão com irmão espiritual), comiam o pão e bebiam o vinho na Santa Ceia (símbolos da carne e do sangue de Cristo).

Uma má interpretação, uma calúnia, uma mentira pode destruir não só a reputação de alguém, mas a vida de uma ou de várias pessoas.

Os efeitos de uma calúnia podem ter consequências duradouras (mesmo depois de pedidos de desculpas, retificações públicas e retratações). 

É preciso termos cuidado e estarmos vigilantes com o que ouvimos e com o que reproduzimos e compartilhamos.

Deus certamente vai requerer de nós o mal que causarmos a alguém. Não ficará impune.

. “O homem… difamador separa os maiores amigos” (Pv 16:28).

. “A quem difama os outros às ocultas, eu o farei calar! Assim como outros altivos de coração e arrogantes não suportarei” (Salmos 101:5).

. “Não andarás como mexeriqueiro entre o teu povo; nem conspirarás contra o sangue do teu próximo. Eu sou o Senhor” (Levítico 19:6).

. “Sem lenha o fogo se apaga; não havendo mexeriqueiro, cessa a contenda”. (Provérbios 26:20).

R.A


DEIXE UM COMENTÁRIO 
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui