Desligamento do Pr. Samuel Câmara da CGADBPor Robson Aguiar

Desligamento! Deixa vê se eu entendi, será realizada uma AGE "na Sede do Belenzinho" para tratar da expulsão dos pastores Samuel, Ivan Bastos e Cia? É isso? Nossa! Já chegamos a esse ponto? E isso é moral? Independente da postura da oposição, essa direita está mais para esquerda, atos como esse só descredenciam aqueles que se apresentam como modelos a serem seguidos. Isso definitivamente não é cristão, não é democrático e nem é moral. Me espanta que o pastor José Wellington faça parte disso. O poder realmente cega, e ainda vão dizer que isso é legal. Por essas atitudes é que o Samuel tem levantado a voz e com razão pelo que vejo, pois apesar de não concordar com algumas coisas no Samuel, observo que esse desligamento está preso ao medo de alguns de vê-lo na presidência da CGADB. Atitude política, nada mais. O pior, é que ninguém vai se levantar para protestar contra esse abuso, pois o sistema coronelista reinante em nossa denominação cala os colonos do ministério, e os burgueses beneficiários do sistema jamais vão se colocar contra os seus Imperadores eclesiástico.

Lamento por tudo isso, choro por essa degradação espiritual e moral que nos atinge. Um choro solitário que ao longe se escuta pelos gemidos das letras. Infelizmente não tenho voz que ecoa retumbante chamando a atenção de todos para esse absurdo.

- Publicidade -

Estamos entrando no sistema de castas dentro das Assembléias de Deus, não vê quem não quer, grupos começam a se formarem e usam do poder para se imunizarem e ainda calar a voz dos contrários,  e se alguém se levantar contra vai ser linchado, queimado na fogueira das injustiças e excomungado do ministério com direito a purgatório midiático do tipo “ele não era crente” “ele rebelou-se” ou coisa desse tipo.

Jerônimo Savanarola e Lutero estão se mexendo nos túmulos, Daniel Berg e Gunnar se estivessem vivos estariam escandalizados. Ouço a voz de sacerdotes desviados gritando no meio do povo “crucifiquem-no!” também vejo uma fila de escritores em frente a uma pia d’água lavando as mãos.

Não dá para ficar calado.

Escrevo dessa maneira pelo histórico que tenho do episódio, por ter acompanhado o caso nas AGOs e AGEs, me sinto confortável em me manifestar por ter ouvido de pessoas tanto de um lado como do outro palavras de ódio e rancor. Não é justo o que estão fazendo ao Samuel e aos que lhe apoiaram, não podem tolher das pessoas o direito de escolha, somos livres em todos os aspectos, temos o direito legal de nos expressarmos. Temos o direito de discordarmos. Hoje eles calam Samuel, mas não calarão os sete mil profetas que não se venderam a esse sistema opressor.

Minha sugestão é que essa AGE seja em outro Estado, e que o Ivan Bastos continue no cargo até que seja votado em plenário a sua situação e a dos demais. Isso sim, seria coerente, o resto é oportunismo e politicagem.

Robson Aguiar, pr.