Dentista e voluntária sem fronteiras no Haiti

2
92

Dentista e voluntária sem fronteiras no Haiti

“Estava orando para saber a vontade de Deus a respeito de uma viagem missionária. Então tive a convicção de que precisava servir com meus dons e talentos apoiando um trabalho missionário transcultural. A princípio, iria a Portugal, mas o Senhor me direcionou para o Haiti, país com pouquíssima infraestrutura, falta de energia elétrica, de saneamento básico e muita religiosidade. Servi no período de 9 a 23 de julho.

Minha igreja, a PIB Palmas/TO, e o Pr. Diogo Magalhães me apoiaram em tudo desde o início! Muitos estiveram orando por mim, pela missão. Foram levantadas ofertas para a compra de 400 kits de saúde bucal, mas a igreja foi tão liberal em suas contribuições que foi possível realizar muito mais!

Além disso, contei também com o apoio de amigos que doaram um equipamento de realização de restaurações (amalgamador digital), kit completo de educação em saúde bucal, escovas dentais. Pude ver como o Senhor age quando simplesmente nos colocamos à disposição com nossa vida. Foi muito bom ver os irmãos e amigos envolvidos com essa missão…

No Haiti, planejei junto com o missionário André Bahia as minhas ações. Ele já tinha sugerido, antes da viagem, a realização de um curso de formação de agente de saúde bucal para pessoas das próprias comunidades. Foi motivo de muita alegria para mim incluir princípios bíblicos no curso de formação para compartilhar a Palavra de Deus não só com minhas ações, mas também contando que a Bíblia nos ensina sobre nossa saúde física e espiritual.

Assim, comecei a elaborar o curso, que incluía aspectos desde a estrutura da boca, processo de formação de cárie até a escovação e uso correto do fio dental.

O curso alcançou as comunidades de Cristo Rei e Cottard. No final de cada curso, os formandos puderam realizar a técnica de escovação supervisionada nas crianças de 6 a 12 anos de suas comunidades (sob minha orientação). Agora, os alunos formados poderão realizar visita de casa em casa ensinando às famílias de suas comunidades sobre saúde bucal. Dessa forma, toda a comunidade pôde ser alcançada. Foram realizadas aplicações de flúor e restaurações provisórias para crianças de 6 anos.

Como tive bastante tempo, além dessas duas comunidades, pude realizar o curso e as mesmas ações para cuidadores, missionários haitianos e alguns brasileiros de orfanatos e creches de outras agências missionárias brasileiras.

O povo haitiano é interessado em aprender e é intelgiente. Eles têm um carinho especial pelos brasileiros. Pude aprender um pouco de crioulo naqueles dias, e muitos dos haitianos sabem um pouco de espanhol. Dessa forma, pude me relacionar principalmente com adolescentes.

Nunca vou esquecer de quando chegava à comunidade Cristo Rei, que na verdade é um acampamento (barracos improvisados com um cômodo) de pessoas que perderam suas casas no terremoto de quatro anos atrás, e encontrava as mulheres e adolescentes lavando suas roupas e dando banho nos filhos em bacias (do lado do esgoto a céu aberto) e sorrindo e nos cumprimentando com “bom dia” em crioulo. É impressionante a maneira como reagem à adversidade!

Agradeço a Deus pela oportunidade de servi-Lo servindo pessoas com os dons e talentos que Ele mesmo me deu, por me fortalecer, ter estado comigo no Haiti, a minha igreja, a PIB Palmas/TO, e ao Pr. Diogo Magalhães, aos meus amigos, a todos que oraram por mim, à turma do Radical Haiti e à família missionária que me recebeu.

Agradeço também à JMM, que tornou possível a experiência de desfrutar de uma alegria, satisfação indizível ao fazer a vontade de Deus e ouvir um haitiano em oração e pedir ao Senhor para não se esquecer de tudo o que havia aprendido e dizer que eu deveria fazer o mesmo em todas as nações!

Todos podemos colocar nossos dons e talentos à disposição de Deus, mesmo que por alguns dias, e ter o privilégio de vivenciar o que a Bíblia ensina: maior alegria está em dar do que em receber!”

Alessandra Mendes de Oliveira
cirurgiã dentista, membro da PIB Palmas/TO e voluntária sem fronteiras

Seja você também um voluntário sem fronteiras. Escreva para [email protected] e saiba como.

Fonte: JMM

2 COMENTÁRIOS

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome