Davi é ungido Rei
Davi é ungido Rei – Subsídio da lição 7 do 4º trimestre de 2019 – Escola Dominical

Escola Dominical – Subsídio da lição 7 do 4º trimestre de 2019 – Davi é ungido Rei.

Por Aniel Ventura

Aqueles que eram escolhidos por Deus para reinar sobre Israel eram ungidos com azeite, um símbolo do Espírito Santo, que nos capacita para fazermos qualquer obra no Reino de Deus.

O ensino desta lição enfatiza que, todo empreendimento em prol do Reino de Deus, deve ser feito sob a capacitação do Espírito Santo.

I – DAVI, O REI UNGIDO

Davi o segundo rei de Israel, fundador da monarquia unida (1000-962 a.C.).

O nome Davi pode significar “amado”, do nome hebraico dod (Jedidias, “por amor do Senhor” ou “porque o Senhor o amava” (2 Sm 12.25).

Muitos personagens bíblicos nos servem de referenciais, por deixarem exemplos de fé, coragem, obediência, paciência, etc., porém, somente um foi considerado por Deus “O homem segundo o coração de Deus” (1 Sm 13.14; At 13.22).

A unção no Antigo testamento já acontecia no tempo dos patriarcas, encontramos Jacó ungindo uma pedra para consagração daquele local ao Senhor (Gn 28.18,19).

O conceito de unção no Antigo Testamento, está lincado ao Messias prometido (Sl 45.7; 89.20; Is 61.1; Dn 9.24). O grego “chrio” traz esse conceito ao Novo Testamento, onde Deus está́ sempre envolvido. Nas referências aos sacerdotes, reis e profetas do Antigo Testamento, este conceito tem a mesma função de “mashah” que significa “untar, ungir, consagrar”.

Em Lucas 4.18, Jesus aplicou a unção mencionada em Isaías 61.1 a si mesmo. Pedro relata a unção de Jesus com o Espírito Santo (At 10.38), e Paulo relaciona a unção com o selo do Espírito e a prova do relacionamento dos cristãos com Cristo (2 Co 1.21,22). Assim, os escritores do Novo Testamento entendiam metaforicamente a unção, que consiste em dotar de poder espiritual e entendimento (1 Jo 2.20,27).

No Antigo Testamento, a unção está associada ao ofício dos reis (1 Sm 10.1-9; 16.13); mas, no Novo Testamento está associada com Cristo e com aqueles que são suas testemunhas, dentro de um contexto de proclamação do Evangelho.

Davi, o grande rei de Israel, era um homem perfeito, sobrenatural, isento de pecados? Não! Davi era semelhante a qualquer um de nós, porém, aprendeu que a melhor maneira de alcançar o coração de Deus, é o caminho da adoração, da humildade, da sinceridade e do arrependimento.

II – DAVI, O REI QUE ERA SERVO

Davi era um jovem comum à sua época:

  • Descrição física: Não possuía uma aparência exuberante (1 Sm 16.12);
  • Sua Ocupação: Pastoreava as ovelhas de seu pai (1 Sm 16.11);
  • Sua Origem: Vivia num povoado pequeno, em Belém de Judá (1 Sm 16.1);
  • Suas Habilidades: Davi foi um excelente músico (1 Sm 16.18).

Davi era ainda um jovem, porém, cultivava um coração voltado para o seu Senhor que era o seu pastor espiritual (Sl 23). Davi primava por um coração fiel diante de Deus, e foi a razão da sua escolha para substituir Saul e tornar-se rei de Israel.

Cinco qualidades de Davi

1. Obediente

Quantos filhos desprezam este mandamento.

“Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo” (Ef 6.1).

A desobediência tem levado muitos ao desespero. Temos muitos exemplos na Bíblia: Esaú, Sansão, Saul. “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef 6.2,3).

2. Trabalhador

Deus só chama trabalhadores, Abraão, Moisés, Saul, Gideão.

“… Gideão, filho de Joás, abiezrita, estava malhando o trigo no lagar, …” (Jz 6.11).

 O trabalho nos dignifica! Muitos não querem trabalhar, ajudar os pais, ter responsabilidades, estudar, estar ocupados. As drogas, o alcoolismo, as discórdias, têm levado muitos filhos a agressão aos pais, e ao suicídio.

O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam trabalhar” (Pv 21.25).

Deus espera que trabalhemos em sua seara (Mt 9.37). Jesus olhou a multidão, teve compaixão, estavam aflitas e exaustas, eram como ovelhas sem pastor, disse: A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos.

3. Valente

Davi não hesitou em arriscar a vida, para defender o patrimônio da família. “Eu saía após ele e o feria, e livrava-a da sua boca; e, quando ele se levantava contra mim, lançava-lhe mão da barba, e o feria e o matava” (1 Sm 17.35).

Davi no duelo com Golias, livrou sua nação da humilhação. “Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; sem que Davi tivesse uma espada na mão” (1 Sm 17.50)

4. Humilde, o menor (v.11)

Sabendo que era rei, se contentou em tocar harpa no palácio (v.18).

Sabendo que era rei, não se precipitou em tomar posse do reino. Davi teve oportunidade de tirar a vida do rei Saul, porém não o fez pois esperava no Senhor. “Não estenderei a minha mão contra o meu senhor, pois é o ungido do SENHOR” (1 Sm 24.10).

 Recebeu conselho de uma mulher, (Abigail) e afastou-se do mal (1 Sm 25.32).

5. Coração quebrantado

Reconheceu que era um grande pecador. “Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor” (2 Sm 12.13).

Num momento de orgulho, foi repreendido pelo Senhor, com enfermidades, fome, guerra.

“Então disse Davi a Gade: Estou em grande angústia; porém caiamos nas mãos do Senhor, porque muitas são as suas misericórdias; mas nas mãos dos homens não caia eu” (2 Sm 24.14).

Se dispusermos com confiança perante o Senhor, a fim de buscá-lo de todo o coração, com certeza seremos usados por Deus para falar do seu amor, e influenciar esta geração que a cada dia está afundada no pecado e mais longe dele. Essa missão é nossa, de resgatá-los, e Deus espera que façamos para glorificar o seu nome.

III – DAVI, O REI QUE ERA GUERREIRO

As vitórias de Davi foram tão fantásticas, que causaram ciúmes no rei Saul, quando as mulheres saíram cantando a vitória.

“E as mulheres dançando e cantando se respondiam umas às outras, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares” (1 Sm 18.7).

“Então Saul se indignou muito, e aquela palavra pareceu mal aos seus olhos, e disse: Dez milhares deram a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão só o reino?” (1 Samuel 18.8).

Porém Davi portava-se confiante em sua chamada.

O verdadeiro servo de Deus não deve fundamentar o seu ministério em elogios e aplausos, e nem tampouco nas críticas e vaias; deve seguir de cabeça erguida confiando que Deus o chamou para fazer uma grande obra (Ne 6.3).

Conclusão

Humildade, fé, obediência a Deus e coragem para enfrentar o inimigo são alguns dos requisitos de Deus para ungir e separar pessoas para a sua grande obra.

Bibliografia

  • Dicionário VINE – W. E. Vine / Merril F. Unger / Willian White Jr (CPAD)
  • Dicionário Bíblico Wycliffe – Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, John Rea (CPAD)
  • Bíblia ACF

DEIXE UM COMENTÁRIO
Siga Seara News no Twitter, no Facebook e Instagram
“O primeiro portal cristão no Estado do Espírito Santo”

1 COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui