Copa do mundo: alegria efêmera e cheia de frustrações

0
52

Copa do mundo: alegria efêmera e cheia de frustrações

"Porque a alegria do Senhor é a vossa força" (Ne 8.10).

Por Douglas Baptista

A alegria é algo fundamental para a vida do ser humano. Sorrir, um dos aspectos da alegria, faz bem para a saúde do corpo e da alma. Estudos mostram que o sorriso libera no cérebro um hormônio anti-estresse chamado “betaendorfina”. Quem libera esse hormônio com frequência vive nove anos a mais em relação aquele que vive estressado. O sorriso ajuda a promover e a manter a saúde mental. A psicologia catalogou nada menos de dezessete tipos de sorrisos.

O sorriso espontâneo melhora o humor, reduz o estresse e ajuda a combater infecções, fortalece o sistema imunológico, combate as células malignas e ainda alivia a dor. A gargalhada aumenta a frequência cardíaca e torna a respiração mais profunda. Ao rir estimulamos os músculos da face, do estômago e do diafragma. Sorrir cem vezes ao dia equivale a quinze minutos de pedalada. Portanto, sorrir e alegrar-se é altamente benéfico.

O problema é que o homem busca alegrar-se em coisas efêmeras ou em pessoas que acabam por frustrar as melhores expectativas. O Brasil experimentou nestes dias de Copa do Mundo uma alegria passageira. Milhões de brasileiros pensaram encontrar alegria nos jogos da seleção brasileira. Homens e mulheres depositaram esperança de alegria no sucesso da seleção canarinho.

Indignados com a corrupção generalizada, revoltados com a injustiça social e impotentes diante da impunidade, parte dos brasileiros esboçaram algumas reações contra a copa do mundo. Porém, quando os jogos começaram, a euforia tomou conta de quase todos. Por algumas semanas os torcedores procuraram sorrir, cantar e alegrar-se com a competição do mundial. Para preencher o vazio existencial e esquecer as mazelas da vida, milhões de brasileiros acreditaram ser possível o sonho do “Hexa”. As vitórias da seleção trouxeram sensação de bem-estar ao esperançoso povo brasileiro. Chegar a semi-final da competição fez a população esquecer, por um pouco de tempo, o caos da saúde pública, a insegurança nas ruas, os problemas na educação, o desemprego, os desmandos e os milhões de reais investidos para realizar a copa no Brasil.

Porém, com a vexatória e desmoralizante derrota diante da seleção da Alemanha, o sonho do "Hexa" ruiu e foi por água abaixo. A euforia deu lugar para a frustração. A esperança cedeu espaço para a decepção. A alegria foi substituída por profunda tristeza e lágrimas. Despertado pela realidade da derrota, o Brasil acordou e frustrado descobriu que viveu dias de ilusão e felicidade aparente.

Esta frustração repete-se na vida de todo aquele que deposita esperança de alegria naquilo que é efêmero. As Escrituras ensinam que a verdadeira alegria somente pode ser encontrada em Cristo. O vazio que existe na alma da humanidade só pode ser preenchido pela alegria do Senhor. A alegria do Senhor é fruto do Espírito. Esta alegria é duradoura e independe das circunstâncias a nossa volta. Cristo é a única esperança de felicidade permanente.

Pr. Douglas BaptistaDouglas Baptista
Pastor, líder da Assembleia de Deus de Missão do Distrito Federal, doutor em Teologia Sistemática, mestre em Teologia do Novo Testamento, pós-graduado em Docência do Ensino Superior e Bibliologia, e licenciado em Educação Religiosa e Filosofia; presidente da Sociedade Brasileira de Teologia Cristã Evangélica, do Conselho de Educação e Cultura da CGADB e da Ordem dos Capelães Evangélicos do Brasil; e segundo-vice-presidente da Convenção dos Ministros Evangélicos das ADs de Brasília e Goiás, além de diretor geral do Instituto Brasileiro de Teologia e Ciências Humanas.

 

Fonte: CPADNews

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário!
Por favor, digite seu nome