COMADERJ solicita retorno à CGADB
Presidente da CGADB, Pr. Wellington Junior, recebe Pr. Jonas Francisco e comitiva da COMADERJ, que solicita revogação do desligamento.

Presidente da CGADB, Pr. José Wellington Costa Júnior recebe comitiva da COMADERJ que solicita revogação do desligamento da Convenção Geral

A Convenção de Ministros das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro, COMADERJ presidida pelo pastor Jonas Francisco de Paula, reunida em sua 68ª AGO – Assembleia Geral Ordinária nos dias 2 e 3 de fevereiro deste ano, em São Gonçalo (RJ), decidiu pelo seu desligamento da CGADB para ingressar na recém-criada CADB, presidida pelo pastor Samuel Câmara. Pela decisão, a COMADERJ foi descredenciada da CGADB, e os ministros a ela filiados foram desligados conforme ofícios de próprio punho.

Nesta terça-feira (12), há pouco mais de quatro meses dessa decisão, uma comitiva liderada pelo pastor Jonas Francisco de Paula se reuniu com o presidente da CGADB, Pr. José Wellington Costa Junior, solicitando, por meio de ofício, o retorno à Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil.

O pastor Jonas Francisco, mediante ofício por ele assinado e enviado à secretaria geral da CGADB, na quarta-feira (6), pediu reconsideração do pedido. Por isso, o presidente da COMADERJ compareceu hoje à sede administrativa da Convenção Geral, acompanhado de membros da diretoria, presidentes de conselhos e comissões, além de pastores presidentes de ministérios vinculados à convenção carioca. Após pedido de perdão e de reconciliação, solicitou ao pastor José Wellington Júnior que os pedidos de descredenciamento da Convenção e de desligamento dos ministros fossem revogados, com o consequente retorno à CGADB.

Em clima fraterno e harmonioso, o presidente da CGADB ouviu atentamente o pedido, recebeu toda documentação que será apreciada pela Mesa Diretora na próxima reunião. O encontro foi encerrado com um café da manhã organizado pela equipe administrativa.

Acatado o pedido de retorno, todas as convenções do estado do Rio de Janeiro voltam a estar ligadas a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, a primeira da denominação.

Fonte: CGADB

4 COMENTÁRIOS

  1. Não sei por qual razão a COMADERJ havia pedido desligamento da CGADB, mas creio que tenha sido por ter apoiado pastor Samuel Câmara para presidente da Convenção Geral na última eleição e por ter adotado um discurso contrário e com críticas ao processo eletivo.
    Mas a saída da COMADERJ após derrota do pastor da AD Mãe parecia ter sentido, o que é de se estranhar mesmo é esse “arrependimento” repentino e pedido de retorno inusitado. O que teria motivado essa volta?
    Acho que a Convenção de Ministros da Assembleia de Deus do Estado do Rio de Janeiro nos deve uma explicação, em particular pastor Jonas.

  2. Caro Robson, o problema é que a Comaderj estava muito fragilidade qdo aderiu a CADB e parece QUE ESSE QUADRO agravou depois disso. Some-se a isso o fato do presidente da CGADB encurralar o presidente da COMADERJ apoiando UM RACHA dentro da Comaderj, fato este que originou uma nova convenção estadual que por sinal já nasce filiada a CGADB. É o poder, meu caro, operando com toda a sua força.

  3. O melhor é não ser filiada a nenhuma convenção. Qual o retorno em ser filiado? só se for financeiro para convenção porque para os membros e ministério nenhum. Estou me desligando de uma certa convenção grande no Brasil que tem seus lideres vitalícios e confesso que não procurarei outra convenção. Me sinto livre e liberto da vontade humana que se corrompe pelo poder e dinheiro. Convenção é só para pagar anuidade e inscrição em eventos nada mais.

ESCREVA UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui