Brinquedos ou maldição: o que os pais estão dando aos filhos?

Brinquedo ou maldição: o que os pais estão dando aos filhos?
Brinquedo traz foto de criança em forma de demônio cortando o pulso (Foto: Reprodução/YouTube/TVReport200)


Brinquedo do mal: mãe compra “Varinha Mágica” para a filha e descobre imagem macabra.

Por Paulo Pontes

Este é mais um alerta aos pais, que precisam tomar cuidado quando forem comprar brinquedos para seus filhos, ou quando as crianças ganharem presentes.

- Publicidade -

Se de um lado alguns fabricantes e lojistas não estão preocupados com segurança das crianças, produzindo, importando e vendendo brinquedos sem a certificação do Inmetro (no Brasil), por outro, também não se importam com as consequências da má influência que certos brinquedos podem exercer na vida das crianças.

No mês de agosto, publicamos no site o artigo “Monster High: o que há por trás das bonecas monstro?” escrito por Juliana Kontopp Henklein, chamando a atenção de pais e mães cristãos quanto às influências sobre as crianças, citando a ocorrência de casos em que algumas tiveram experiências sobrenaturais, desde convulsões até tentarem se matar para morar num caixão igual ao das bonecas. O post já foi compartilhado por mais de 8 mil vezes e nos comentários a opinião dos leitores são divergentes, mas a maioria apoia a autora do artigo.

Os pais devem realmente observar o tipo de “entretenimento” aos quais seus filhos são induzidos ou submetidos, e não podem ser omissos deixando as crianças se comprometam com brinquedos e brincadeiras que causam opressão e toda sorte de influência destrutiva.

Hoje, me deparei com a notícia que passo a relatar a seguir.

Trata-se de uma moradora da cidade de Dayton, no estado americano de Ohio, que comprou um brinquedo ficou chocada ao descobrir algo macabro: a imagem de uma criança com aparência maligna!

O brinquedo comprado para uma das filhas foi uma “varinha mágica” tomou um susto enorme logo depois das filhas começarem a brincar. Uma delas mexeu na varinha e um papel laminado caiu revelando a imagem do mal: Uma menina com sangue nos olhos, sangue na boca, e tentando cortar os pulsos com uma faca. Pior, ela parece muito alegre em tentar cometer suicídio.

Até a repórter de uma rede de TV americana se surpreendeu em quão maléfico é o brinquedo. Quem olha de longe, não percebe que algo tão macabro está escondido por trás da inocente varinha.

Brinquedo ou maldição: o que os pais estão dando aos filhos?
A repórter mostra  o brinquedo com a imagem coberta por papel laminado (Foto: Reprodução/YouTube)

 

Brinquedo ou maldição: o que os pais estão dando aos filhos?
A repórter mostra ao mundo a imagem macabra escondida no brinquedo (Foto: Reprodução/YouTube)

Nicole Allen, a mãe que comprou o brinquedo, afirmou “que ficou indignada com a imagem”, principalmente pela sugestão de suicídio.

Algumas pessoas não viram qualquer problema no brinquedo, como o proprietário da loja onde foi comprado, Amar Moustafa, que afirmou que o brinquedo é adequado para crianças entre 5 e 10 anos. Mas aí tem um problema, já que a varinha é recomendada para crianças com idade acima de 3 anos.

Nicole disse que não entende como alguém pode pensar que esse brinquedo é adequado para uma criança.

Apesar da reclamação, o dono da loja, disse que cabe aos pais ler corretamente as informações sobre o brinquedo.

Independente da recomendação, a imagem no brinquedo é extremamente sinistra para qualquer criança. A varinha macabra é só mais um na onda de novos brinquedos amaldiçoados.

Os pais não devem terceirizar a educação dos filhos, nem deixar que sejam educados pela Tv, ou usar desenhos animados e brinquedos tinham mensagens subliminares para cumprir as tarefas “educativas”.

As crianças aprendem brincando, e pela brincadeira, lidam com seus conflitos, se divertem, e se desenvolvem. É um processo que deve ocorrer com segurança.

Alguém pode alegar que o brinquedo já foi certificado pelo Inmetro. O Selo do Inmetro garante a qualidade dos brinquedos por meio de exames de laboratório declarando que foram legalmente fabricados e comercializados no Brasil, para que a criança possa brincar e se desenvolver com a devida segurança. Mas, além da certificação pelo Inmetro, os pais cristãos devem observar se os brinquedos não ferem princípios bíblicos para garantir segurança emocional e espiritual dos filhos.

 Paulo Pontes, com informação de R7Notícias

2 COMENTÁRIOS

  1. Se o nome do brinquedo é evilstick que traduzindo quer dizer figurinha do mal o que esperar? Mas concordo. Existe muito fabricante de brinquedo sem noção e os pais também deviam ler na embalagem que tipo de brinquedos dão a seus filho, além da faixa etária e instruções.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui